perspectivas

Quarta-feira, 27 Abril 2016

O papa Chico critica o papa Chico

Filed under: Tirem-me deste filme — O. Braga @ 8:16 am
Tags: , ,

 

Quando li que o papa Chico criticou o clericalismo, por um segundo acreditei que a sua (dele) crítica fosse pertinente.

Segunda-feira, 11 Abril 2016

É preciso avisar a Ana Lourenço que a RTP não é a SIC

 

Na sequência do documento vergonhoso emitido pelo papa Chico sobre a família, a Ana Lourenço chamou ao estúdio da RTP o Frei Bento Domingues em entrevista exclusiva; ou seja, sem contraditório. Parece que a Ana Lourenço chegou à RTP com os vícios adquiridos na SIC, em que o Bilderberger Pinto Balsemão impõe a lei da rolha em matéria de discussão de costumes e tradição.

Sobre a entrevista exclusiva do Frei Bento Domingues à Ana Lourenço, ler este artigo.

Sexta-feira, 19 Fevereiro 2016

Este papa é uma vergonha

 

O papa-açorda Francisco declarou solene- e publicamente que o Donald Trump não é cristão — ou seja, fez um juízo de valor sobre a fé de uma pessoa, mesmo quando se recusou fazer qualquer juízo de valor  acerca do comportamento homossexual .

“¿Quem sou eu para julgar?” Lembram-se?

Dos três papas de que me lembro bem — João Paulo II, Bento XVI e este —, o papa-açorda Francisco é o único que assumiu o papel de capataz partidário em umas eleições políticas. Este papa é uma vergonha.

Aconteceu recentemente em Roma uma concentração de cerca de 2 milhões de pessoas a favor da família natural; e não ouvimos nem uma palavra de apoio do papa-açorda Francisco. E é esta mesma criatura de Deus que não se pronuncia sobre o massacre dos cristãos no Médio Oriente às mãos dos islamitas, ao mesmo tempo que defende a imigração discricionária de islamitas na Europa.

Mas quando Donald Trump critica a invasão islâmica da Europa e denuncia os massacres dos cristãos nos países muçulmanos, este papa vergonhoso diz que ele não é cristão.

Sábado, 13 Fevereiro 2016

Para uma mulher pertencer ao governo socialista, basta ter uma vagina no lugar dos miolos

 

“A Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade salientou que os refugiados, "pelas suas características culturais e sociais, têm normalmente mais filhos do que os europeus"

A secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade, Catarina Marcelino, defendeu hoje que a entrada de refugiados em Portugal vai ajudar a resolver o problema da baixa natalidade no país. "Acreditamos que, para o país, é positivo nós termos pessoas que possam ajudar a renovar a nossa população, que possam trazer outras experiências", afirmou, em declarações à Lusa”.

Catarina Marcelino: refugiados ajudam a resolver problemas de natalidade

isabel moreira_família_web


As redes sociais estão ao rubro com os erros de português da deputada do PS Catarina Marcelino:

catarina-marcelino

Bem diz o ditado português: “quem tem uma vagina, tem uma mina!”

Quarta-feira, 19 Novembro 2014

A mentalidade argentina do João Miguel Tavares

 

Um catalão disse-me, um dia, que não gostava dos argentinos porque estes eram muito convencidos da sua putativa superioridade em relação a tudo e a todos.

Em Portugal também temos “argentinos”, nomeadamente aqueles que descendem do Alentejo profundo, cuja ascendência comeu o pão que o diabo amassou — e que hoje fazem parte da alta roda lisboeta apaparicada pelos me®dia politicamente correctos, convencidos da sua superioridade argentina e terceiro-mundista. É o caso do João Miguel Tavares.

O argentino João Miguel Tavares não raciocina: não adianta dizer-lhe que os Vistos Gold existem nos Estados Unidos, Austrália, Reino Unido, França, Alemanha, Canadá, etc., porque o João Miguel Tavares pensa como um argentino de Évora. E pior do que um argentino propriamente dito é um argentino da pasmaceira, embora radicado em Lisboa.

Se as notas de 10 Euros fossem falsificáveis, o argentino João Miguel Tavares defenderia que se retirassem as notas de circulação e não se substituíssem por outras. E fala de cátedra argentina. O problema do argentino João Miguel Tavares não é a possibilidade de falsificação das notas de 10 Euros: é a própria existência das notas que o preocupa. E os “burros” são os outros.

Quinta-feira, 23 Outubro 2014

A Raquel Varela vai aderir ao Partido Social Democrata de Pinto Balsemão

 

Pinto Balsemão disse um dia na SICn (eu ouvi e vi!) que “se Portugal tivesse metade da população que tem hoje, não teria problemas económicos”.

A comunista Raquel Varela escreveu o seguinte:

“No debate sobre a natalidade, argumentei que tenho dúvidas sobre a existência de um problema populacional em Portugal.”

Um dia destes vamos ver o Jerónimo de Sousa a participar em uma reunião do grupo de Bilderberg a convite de Pinto Balsemão.

E Raquel Varela vai lá estar como militante de Pinto Balsemão.

Domingo, 12 Outubro 2014

A Esquerda caviar, a Direita salmão, e adopção de crianças por pares de invertidos

 

Para além da Esquerda caviar, existe em Portugal uma Direita salmão-rosa que defende o casamento anfíbio: a reprodução anfíbia é externa e a desova é feita em ambiente adequado e politicamente correcto para que a “prole” se mantenha viva.

“Temos uma dinâmica familiar em que ambos assumimos o papel de pais, a lei só me reconhece a mim, mas o nosso filho não tem dúvidas”, revela Diogo Infante.

Há uma dúvida que o filho adoptivo dele não tem: é a de que não tem mãe conhecida.

foi cesarianaNão ter mãe ou pai conhecidos, é uma infelicidade. Mas uma coisa é admitirmos que existem casos de crianças que, por infelicidade, não têm mãe conhecida; e outra coisa é apoiar um movimento político homossexualista que fomente a proliferação e vulgarização de mães desconhecidas. Uma coisa é constatar que as desgraças existem; outra coisa é tentar promover e normalizar a desgraça das crianças em nome de putativos “direitos” de adultos.

Ademais, há aqui um detalhe que não é despiciendo: o facto de a lei permitir, por hipótese e por exemplo, que um homem se “case” com o seu cão, não se depreende dessa permissão legal que exista de facto um “casamento”. A lei pode ser o que qualquer doente mental quiser; o casamento, não.

Esta gente mete nojo! — não porque sejam homossexuais (cada um come do que gosta), mas porque apresentam sintomas claros de psicopatia: não conseguem colocar-se no lugar de uma criança a quem é apagado, do registo civil, o nome da mãe e de todo o ramo familiar materno.

E, não contentes com isso, pretendem levar a sociopatia mais longe através das “barriga de aluguer” que será a próxima guerra destas bestas com forma humana.

Sexta-feira, 12 Setembro 2014

O martírio silencioso dos cristãos no Iraque

Filed under: Tirem-me deste filme — O. Braga @ 4:05 pm
Tags: , ,

 

cristão crucificado no iraque web

Quinta-feira, 11 Setembro 2014

O Partido Popular Europeu (EPP) apoia a Conchita Chouriço

Filed under: Europa,Tirem-me deste filme — O. Braga @ 6:05 pm
Tags:

 

É esta a Europa que temos: uma cambada de panascas no Poder.

conchita chouriço

Terça-feira, 19 Agosto 2014

¿Quem é que fornece os dados para as estatísticas do Estado? É o Estado!

 

Para os neoliberais, o Estado é fiável quando lhes interessa: quando é conveniente, pode-se confiar no Estado; quando não é conveniente, o Estado é o diabo.

A coisa funciona assim: o Estado fornece estatísticas à OCDE; e depois essas estatísticas são utilizadas, pelos neoliberais assim como pelos marxistas (les bons esprits se rencontrent …) para a guerra ideológica. A diferença é que os marxistas são coerentes: não diabolizam o Estado.

(more…)

Sábado, 16 Agosto 2014

“Pelo cu; políticas anais” em nome do progresso

 

Existe um partido político espanhol semelhante ao Bloco de Esquerda que dá pelo nome de “Podemos”. Uma das activistas mais notórias do referido partido, Beatriz Gimeno, escreve o seguinte no seu blogue:

“Me gustaría contribuir a problematizar la siguiente cuestión: dado el profundo simbolismo asociado al poder y a la masculinidad que tiene en la cultura patriarcal la penetración (a las mujeres), ¿qué podría cambiar, que importancia cultural tendría una redistribución igualitaria de todas las prácticas, de todos los placeres, de todos los roles sexuales, incluida la penetración anal de mujeres a hombres?”

Ela está a falar a sério! Isto não é para rir!

“Me interesa mucho el culo masculino como lugar de la vergüenza y como espacio altamente simbólico donde se concentra la pasividad entendida como feminización (degradante) y como lugar de placer inasumible para los hombres heterosexuales.

La penetración anal o vaginal tiene importantes significados simbólicos en torno a los cuales se concentra una parte importantísima del discurso sexual patriarcal especialmente en lo que hace referencia a la feminidad/pasividad (impotencia) y masculinidad/actividad (agencia, potencia) Y, sin embargo, el ano es una de las principales zonas erógenas para hombres y mujeres, pero especialmente para los hombres.

Estoy convencida, cada vez más, que para que se produzca un verdadero cambio cultural tienen que cambiar también las prácticas sexuales hegemónicas y heteronormativas y que sin ese cambio, que afecta a lo simbólico y a la construcción de las subjetividades, no se producirá un verdadero cambio social que iguale a hombres y mujeres.”

Ou seja, para as feministas e para os progressistas, a sexualidade feminina é equivalente ao sexo gay. E por isso, tomar no cu deve tornar-se obrigatório, para que os homens e mulheres sejam iguais.

Terça-feira, 29 Julho 2014

Não tenho um outro título para este verbete

 

Um automóvel está parado no sinal vermelho; e vem um ciclista e bate-lhe na traseira, causando danos na bicicleta e no automóvel. Segundo as associações de ciclistas, quem deve pagar todos os prejuízos (do automóvel e da bicicleta) é o proprietário do automóvel e em nome de um conceito a que chamam “responsabilidade objectiva”.

Eu andei à procura do significado de “responsabilidade objectiva”, que absurdamente implica a existência do conceito jurídico de “responsabilidade subjectiva” — como se no Direito a responsabilidade não tenha que ser sempre “objectiva”. A “responsabilidade subjectiva” é própria do confessionário católico, e não da barra dos tribunais.

Das duas, uma: ou eu estou a ficar “gágá” e perdi a possibilidade de coerência lógica, ou a política ensandeceu de vez. O ser humano é louco por natureza, mas é a loucura humana que gera a Razão que, por sua vez, vai controlar a loucura. No caso da política portuguesa, a loucura já não gera a Razão.

A Helena Matos fez aqui a categorização dos argumentos das associações de ciclistas.

O que é espantoso é que aquele argumentário das associações de ciclistas seja publicado em jornais. Os jornais publicam qualquer tipo de notícia desde que por detrás dela esteja um qualquer poder fáctico. Eu estou convencido de que se existisse em Portugal uma Associação de Psicóticos Profissionais, qualquer nota de imprensa dessa organização seria publicada pelos me®dia.

Página seguinte »

O tema Rubric. Blog em WordPress.com.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 771 outros seguidores