perspectivas

Terça-feira, 25 Setembro 2018

As 5 características principais do Totalitarismo de Veludo que começamos a sentir em Portugal

 

1/ leis opacas de difícil entendimento, ou de interpretação ambígua e ambivalente, insuficientemente objectivas em relação às punições respectivas; politização da justiça;

2/ presença de comissários políticos que se infiltram em todos os níveis da sociedade, e intelectualmente pouco qualificados (por exemplo, alguns jornalistas — como Daniel Oliveira ou Fernanda Câncio — operam, na prática, como comissários políticos do Totalitarismo de Veludo);

3/ ética definida pelo estatuto da pessoa — por exemplo, o homem branco heterossexual e cristão é um alvo preferencial de perseguição política.

4/ medo da discussão pública de assuntos controversos mas fundamentais (a “espiral do silêncio”) — um medo difuso que atravessa a sociedade e impede o contraditório público e real.

5/ demonização da dissidência ideológica e política (“quem não é por mim, é contra mim”); o Totalitarismo de Veludo não só não admite dissidentes, mas também não faz prisioneiros: a dissidência é constantemente fabricada para alimentar a voragem do puritanismo ideológico.

ANTONIO-COSTA-taxas-web

Quinta-feira, 2 Abril 2020

O António Guterres está “lélé da cuca”

O Guterres nunca me enganou; um indivíduo insidioso, com ares de bonacheirão, que singrou na política através de um certo sincretismo ideológico característico da chamada Terceira Via socialista (por exemplo, Tony Blair).

Agora, o Guterres vem exigir 10% do total do PIB do planeta (de todos os países do mundo) para a ONU ! — alegadamente para combater o vírus da China.

O homúnculo está louco!

O valor total exigido por Guterres para a ONU é de cerca de 8 biliões de Euros (8 triliões Euros, na classificação anglo-saxónica), o que corresponde a 2.900 vezes o actual orçamento anual da ONU que é de 3 mil milhões de Euros (ou 3 biliões de Euros).

O homenzinho não pode estar bem da cabeça…!

guterres-costa-taxamos o ar-web

Quarta-feira, 1 Abril 2020

O comunismo emotivo e lacrimejante, ou as lágrimas de crocodilo do senhor António Figueiredo e Silva

Filed under: A vida custa,Esta gente vota — O. Braga @ 10:18 am

Winston Churchill escreveu:

“Tentar manter boas relações com um comunista é como fazer festas a um crocodilo. Nunca sabemos se devemos afagá-lo debaixo do queixo ou bater-lhe por cima da cabeça. Quando abre a boca, nunca sabemos se está a sorrir ou a preparar-se para nos comer.”

Está hoje na moda uma espécie de “comunismo emotivo e lacrimejante” em que, em vez de sorrir, o comuna chora-nos o coração; mas sorrindo ou chorando, o comuna prepara-se sempre para nos comer.

Há quem pretenda confundir “emoção” e “poesia/literatura”. Outro reaccionário — graças a Deus ! — escreveu o seguinte:

“O que se escreve a partir da emoção, é retórica. Os poemas forjam-se a frio”

Nicolás Gómez Dávila 

Portanto, tentar apelar-nos para “um mundo onde não há desigualdades” é retórica de comunista lacrimante. É tentar enganar o leitor, utilizando a lágrima no olho. É estratégia manipuladora de filho-de-puta.


«O vício inerente ao capitalismo é a distribuição desigual de benefícios; a virtude inerente ao socialismo é a distribuição equitativa de desgraças.» — Winston Churchill


O texto do senhor António Figueiredo e Silva em PDF

Terça-feira, 31 Março 2020

O cínico Paulo Rangel

Filed under: A vida custa,Esta gente vota — O. Braga @ 8:54 pm

Fulano toma uma determinada posição ética ou moral. E, face a essa atitude de Fulano, há sempre quem pergunte: “¿o que é que ganhas com isso?”.

Trata-se de uma falácia (falácia da interrogação): quem faz a pergunta parte do princípio (ad Hominem) de que a posição ética ou moral de Fulano não é genuína, e que implica apenas algum tipo de ganho político ou material.

Holanda: uma achega à reacção de Costa: «este padrão de táctica diplomática em Costa não é inédito. Em Junho, ele também garantiu “à cidade e ao mundo”, que, com a sua veia europeia, havia entronizado Timmermans como Presidente da Comissão – o que faria dele um influente “king maker”. Resultado: isso simplesmente não aconteceu e o espanhol Sánchez, que até aí o acompanhara, abandonou-o sem dó, para “sacar” para a Espanha o Alto Representante para a Política Externa.» (Paulo Rangel)

A ideia de Paulo Rangel é a de que António Costa toma qualquer tipo de posição pública — ética, moral ou política — para “ganhar alguma coisa com isso”. Como escreveu Óscar Wilde, Paulo Rangel tem a mundividência de “um cínico que sabe o preço de tudo e o valor de nada.”

O Coronavirus ou “vírus da China” é uma arma biológica

Filed under: China — O. Braga @ 7:09 pm
Tags:

«Researchers at DeCode genetics have found 40 mutations of the coronavirus in Iceland alone; one individual had been infected by two variants at the same time.»

Iceland has good and bad news about the Coronavirus

islandia-coronavirus-web

Investigadores descobriram que o chamado “vírus da China” sofreu (pelo menos) 40 mutações, e apenas na Islândia. Cada mutação do vírus corresponde a uma estirpe, ou a uma subespécie do vírus (variantes). Descobriram também que uma pessoa islandesa foi infectada simultaneamente por duas estirpes (duas variantes) do vírus da China.

Estas descobertas científicas permitem afirmar que o vírus da China não é um simples vírus: é uma arma biológica de origem chinesa — 40 variantes de um mesmo vírus, e apenas em um território minúsculo como é a Islândia, indiciam engenharia humana.

Imaginem a quantidade de variantes que o referido vírus pode assumir em um país com a população dos Estados Unidos… !

Há dias escrevi aqui o seguinte:

“A probabilidade de o vírus da China ter tido origem no laboratório (biológico) da cidade Wuhan é (pelo menos) tão credível como a narrativa jornaleira da probabilidade do mercado de animais.

Eu não tenho dúvidas nenhumas acerca do seguinte: o regime comunista chinês — ao contrário do regime russo, construído sobre uma sociedade de tradição cristã — não tem qualquer pejo em sacrificar milhões dos seus próprios cidadãos para causar um qualquer dano ao Ocidente.

Nós não devemos ver a China com os olhos da tradição cristã ocidental: a mente chinesa funciona de modo diferente da nossa.”

Para os dirigentes do Partido Comunista chinês, a morte de alguns milhões de chineses é um pequeno dano colateral na actual guerra fria contra os Estados Unidos.

Domingo, 29 Março 2020

O que disse o comunista Daniel Oliveira acerca de Jair Bolsonaro

Filed under: Bloco de Esquerda,Daniel Oliveira — O. Braga @ 5:12 pm
Tags:

É inacreditável como o comunista Daniel Oliveira continua a ser patrocinado pelo globalista (e Bilderberger) Pinto Balsemão que é, por sinal, o fundador do Partido Social Democrata.

No vídeo abaixo e em directo num programa da SICn, o referido comuna afirmou que “não lamentaremos morte de Bolsonaro por Coronavirus”.

Há coisas que podemos dizer num blogue, como é o meu caso; mas será difícil justificar que se digam num programa de televisão com audiência nacional.

Eu defendo aqui veementemente a ideia segundo a qual – à semelhança de milhões de portugueses — eu não lamentaria a morte do Daniel Oliveira, por Coronavirus ou por outra razão qualquer; e vou mais longe: eu até patrocinaria a morte dele, e contribuiria activamente para as festividades fúnebres que se seguissem a um tão fausto acontecimento.

Sexta-feira, 27 Março 2020

O cinismo do aproveitamento político da crise do covid19 por parte dos socialistas

Filed under: A vida custa — O. Braga @ 8:18 pm
Tags:

Chateia-me o facto de a Esquerda (que inclui o PSD e o CDS de Assunção Cristas) andar há uma década a tentar aprovar os Eurobonds (ou seja, a comunhão socialista das dívidas nacionais dos países da zona Euro), e não o tendo conseguido, aproveitam agora a crise humanitária do covid19 para o conseguir. É de um cinismo próprio de filhos-de-puta.

Com os Eurobonds, um país (como é o caso da Holanda) que tenha uma dívida pública, digamos, de 50% do PIB — e segundo o que os governos socialistas de Portugal, Espanha e Itália pretendem — passará a ser co-responsável pelos desmandos despesistas dos governos socialistas da União Europeia com despesas públicas superiores a 100% do PIB (no caso de Itália, a coisa já anda perto dos 200% do PIB).

Compreendo muito bem a razão por que o Reino Unido se pirou da União Europeia !

passos-e-a-troika-web-650

Não obstante a filha-da-putice socialista, concordo com a forma — mas não com o conteúdo — da reacção do socialista António Costa em relação às declarações do ministro holandês.

A forma do discurso de António Costa, contrasta com a forma do discurso de Passos Coelho — e aqui discordo da Helena Matos: Passos Coelho humilhou-se a ele próprio e ao país, ajoelhando-se perante os tigres de papel da União Europeia.

A genuflexão política (de Passos Coelho) é intolerável!

Nenhum país é perfeito, e Portugal tem com certeza os seus defeitos; mas não temos que aturar os flatus vocis de um qualquer ministro de um país que já foi uma colónia espanhola.

Em 2009, a gripe suína matou mais de meio milhão de pessoas, e nenhum país parou

Filed under: A vida custa — O. Braga @ 10:20 am
Tags:

Quinta-feira, 26 Março 2020

Distinção entre vontade e interesse próprio

Filed under: filosofia — O. Braga @ 9:27 pm

Um leitor escreveu:

“certa vez um amigo me fez a seguinte afirmação: “Toda pessoa age por interesse. Isso é um axioma!”.

Eu concordo que a maioria das pessoas age por interesse. Logo não seria um axioma.

O que você poderia falar sobre essa questão?”


Um exemplo de um axioma, na geometria plana: “duas rectas encontram-se, ou não (neste último caso, são rectas paralelas).

Ou seja, é um axioma a proposição segundo a qual “duas rectas se encontram”; mas também é um axioma  que “duas rectas não se encontram” (as rectas paralelas).

O axioma não exige quetodas as rectas se encontrem, ou não se encontrem”.

Portanto, também podemos considerar axiomática (também é axioma) a proposição segundo a qual “a maioria das pessoas age por interesse”.


O problema é saber o que é “interesse” — porque se é verdade que toda a gente age por interesse (interesse = vontade do indivíduo), temos que distinguir “interesse” enquanto vontade, por um lado, de “interesse próprio”, por outro lado.

“Nem toda a gente age sempre por interesse próprio”; esta proposição também pode ser considerada axiomática.

Esta gente tem que ser erradicada / eliminada de Portugal #BlocoDeEsquerda

Filed under: Bloco de Esquerda — O. Braga @ 8:29 pm

Esta gente é parte activa do governo de António Costa; esta gente contribui decisivamente para a feitura das leis de Portugal.

esta-gente-web

Quando os idosos com covid19, provenientes de lares de terceira idade, são enviados para o hospital militar do Porto (que tem as condições mínimas e precárias de acolhimento), esta gente defende a nacionalização de hospitais privados de luxo para acolher criminosos!

Reparem como esta gente diz que os reclusos criminosos são “prisioneiros” — utilizam a linguagem militar, em que o “prisioneiro” é consequência de uma guerra, e não de uma actividade criminosa.

O Lumpemproletariado é a essência da estratégia de acção política desta gente.

Não existem pontos de contacto ideológico entre o bom-senso e o senso-comum nacional, por um lado, e esta gente, por outro lado.

Não podemos continuar a conviver com esta gente. Esta gente está a destruir o nosso país.

Esta gente tem que ser eliminada — física- e espiritualmente.
Esta gente está a mais, em Portugal.

O senhor António Figueiredo e Silva conclui que o mundo não está em ordem, e tira daí conclusões politicamente correctas

O senhor Figueiredo, que escreveu este texto, deveria ter lido estoutro para que não caísse na armadilha positivista.

antonio piedade cientismo profetico web

cientismoAfirmar que “a ciência se baseia em factos rigorosamente confirmados” é próprio de uma pessoa que sofreu uma lobotomia (por exemplo) do coimbrinha Carlos Fiolhais; e o senhor Figueiredo também é de Coimbra… estas coisas pegam-se pela vizinhança, tal como um vírus.

Também faz falta que o senhor Figueiredo leia qualquer coisa escrita por Karl Popper, antes de dizer “umas coisas” .

Noto que o senhor Figueiredo defende a criação de um paraíso na terra (a imanentização do éschatos), quando escreveu que “se o Deus do Homem não existisse, isto seria o paraíso”.

Naturalmente que o senhor figueiredo deveria estar a pensar em Cuba, ou na URSS ou na China de Mao Tsé Tung — sítios onde o tal “Deus do Homem” já foi erradicado, graças a Deus. Só lhe falta (ao senhor Figueiredo) cantar o “Imagine” de John Lennon, para que o cenário neo-ateísta “New Age” coimbrinha fique completo.

Os ateus (mais ou menos declarados, ou mais ou menos “New Age”) não perdoam ao “Deus do Homem” o facto de Ele não existir. Dedico ao senhor Figueiredo um textículo de Eric Voegelin:

« Quando o coração é sensível e o espírito contundente, basta lançar um olhar sobre o mundo para ver a miséria da criatura e pressentir as vias da redenção; se são insensíveis e embotados, serão necessárias perturbações maciças para desencadear sensações fracas.

É assim que um príncipe mimado se apercebeu pela primeira vez de um mendigo, de um doente e de um morto ― e tornou-se assim em Buda; em contrapartida, um escritor contemporâneo vive a experiência de montanhas de cadáveres e do horroroso aniquilamento de milhares de indivíduos nas conturbações do pós-guerra na Rússia ― e conclui que o mundo não está em ordem e tira daí uma série de romances muito comedidos.

Um, vê no sofrimento a essência do ser e procura uma libertação no fundamento do mundo; o outro, vê-a como uma situação de infelicidade à qual se pode, e deve, remediar activamente. Tal alma sentir-se-á mais fortemente interpelada pela imperfeição do mundo, enquanto a outra sê-lo-á pelo esplendor da criação.

Um, só vive o além como verdadeiro se ele se apresentar com brilho e com grande barulho, com a violência e o pavor de um poder superior sob a forma de uma pessoa soberana e de uma organização; para o outro, o rosto e os gestos de cada homem são transparentes e deixam transparecer nele a solidão de Deus. »

Graças a Deus, ainda há pessoas despertas (nem tudo está perdido)

Filed under: A vida custa — O. Braga @ 9:32 am
Tags:

Aconselho a leitura de uma série de apostilas do Henrique Pereira dos Santos :

Só falta agora que a União Europeia venha decretar o estado-de-sítio, para que o cenário político actual comece a fazer sentido.

lobotomy-in-progress web

Quarta-feira, 25 Março 2020

O jornalismo entendido como uma “aristocracia”

Filed under: comunicação social,merdia — O. Braga @ 9:33 pm

Página seguinte »

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: