perspectivas

Quarta-feira, 26 Julho 2017

A família real portuguesa é descendente de Maomé — dizem eles

Filed under: A vida custa,Cuidado que esta gente tem opinião! — O. Braga @ 7:17 pm

 

Li algures, na Internet, uma tese segundo a qual Donald Trump era descendente da família real inglesa (através da mãe de Trump, que era escocesa), directamente desde Henrique VIII.

A tese era verosímil: havia no artigo uma “árvore genealógica” que ia buscar parentesco real a todo o lado, e todo o bicho-careta ascendente da mãe de Donald Trump tinha sangue azul. É claro que é possível que Donald Trump possa ser eventualmente descendente de um bastardo real qualquer; pode ser, mas não há factos documentados que sejam credíveis e que comprovem que Donald Trump seja descendente de Henrique VIII.

Portanto, não havendo provas, teremos que ser racionais e considerar falsa a alegação segundo a qual Donald Trump é descendente da família real inglesa. Ponto final.


Hoje vi uma tese ainda mais extraordinária: “a família real portuguesa é descendente de Maomé” — ver imagem em baixo, ou ir a esta ligação.

caga-can-web

A tese é defendida por um indivíduo que se chama “Nova Portugalidade”; ou seja, a defesa desta tese é anónima.

Segundo a tese, O Condestável D. Nuno de Álvares Pereira seria descendente dos “califas de Damasco” e “através da Casa da Maia” (?).

catarina-martins-neanderthal-webO leitor repare bem nisto: os historiadores não sabem, com certeza, o local de nascimento de D. Nuno Álvares Pereira [uns dizem que ele nasceu em Cernache de Bonjardim, e outros dizem que ele nasceu em Flor da Rosa]: mas o “Nova Portugalidade” sabe com certeza que ele era descendente de Maomé através dos “califas de Damasco”. Prodigioso!

E ¿o que são os “califas de Damasco”? É o califado Omíada, que tinha capital em Damasco, e que foi extinto e derrotado pelo califado Abássida que mudou a capital de Damasco para Bagdade.

Ora, os herdeiros políticos do extinto califado Omíada foram os califas de Córdova que constituíam o Al-Andalus que o Nova Portugalidade diz que “não tem nada a ver com o Aga-Khan” — e aqui é possível que ele tenha razão, ou não: simplesmente não há provas de uma coisa ou do seu contrário.

O leitor repare bem : todos nós somos descendentes de Adão e Eva.

O primeiro problema é o de saber se Adão e Eva existiram de facto — é possível que tenha “surgido” um primeiro casal da espécie Homo Sapiens Sapiens em um qualquer ponto remoto da Pré-história; e depois teremos que saber se alguns dos nossos ancestrais do paleolítico não se misturaram com a espécie de Neanderthal que se extinguiu há cerca de 30.000 anos — o que faz com que a descendência de Adão e Eva seja menos directa em uns homens actuais do que noutros.

O que nós sabemos de Maomé é que (entre outras coisas) ele tinha uma doença que se chama Acromegalia que tinha como consequência (entre outras) uma imensa dificuldade em procriar a partir de determinada idade; por isso é que Maomé chegou a ter 11 “esposas”, sendo que nove delas em simultâneo.

Maomé teve três filhos e quatro filhas de duas mulheres apenas: as outras nove mulheres (incluindo uma “cunhada” que ele obrigou a divorciar-se do respectivo marido) não tiveram filhos dele. Todos os filhos e filhas de Maomé morreram antes dele e antes de chegarem à idade adulta — excepto uma filha, Fátima, que sobreviveu e que garantiu a descendência de Maomé com o acasalamento com Ali que é o chefe espiritual xiita.

maomé-familia-real-web

Dos dois filhos de Fátima e de Ali, apenas um deles deixou descendência: Husayn Bin Ali. Dizer que D. Nuno Álvares Pereira é descendente de Husayn Bin Ali — mesmo sabendo que existiu cruzamento de sangue árabe com sangue godo na península ibérica no reino de Granada — é quase uma impossibilidade matemática. Ou especulação histórica.

Quinta-feira, 20 Julho 2017

¿ Não há por aí alguém que vá ao cu ao Luís Aguiar-Conraria ?

 

É que ele parece ansioso com os “homófobos”; parece que, segundo ele, quem não leva no cu é “homófobo”. E por isso chama “homófobo” ao dr. Gentil Martins e ao dr. Abel Matos, sendo que o primeiro é um “senil homófobo”, ou seja, o dr. Martins é homófobo porque é senil: a senilidade, segundo ele, é causa de homofobia. E os burros somos nós, os “faxistas”.

Quando o Aguiar-Conraria souber definir “homofobia”, talvez seja possível começar a levar a sério aquilo que ele diz; mas enquanto ele não tem uma noção de “homofobia”, devemos recomendar-lhe umas saunas de Lisboa onde ele poderá praticar campeonatos de cu aberto.

Aquele texto não tem pénis por onde se pegue nem cu que o aguente. A única solução que nos resta é mandar o Luís Aguiar-Conraria levar no cu — que morra empalado, para que seja feliz até na morte…

Quarta-feira, 12 Julho 2017

A polícia não deve entrar mais no bairro da Cova da Moura

 

A polícia deve abster-se de entrar na Cova da Moura, e deve apenas controlar as saídas e entradas do bairro (as periferias do bairro) — porque qualquer pequeno incidente com a polícia será sempre aproveitado pela Esquerda (principalmente pelo Bloco de Esquerda e pelo Partido Comunista) para condenar a polícia através de parangonas nos jornais que são nitidamente controlados pela Esquerda.

cova-da-moura-web

Tal como acontece noutras cidades da Europa onde existem guetos étnicos onde a polícia não entra (por exemplo, Paris, Londres, Estocolmo, Bruxelas), assim a polícia portuguesa não deve entrar na Cova da Moura, para evitar ser “crucificada” na opinião pública pelo politicamente correcto.

swedish-guettos-web


Sexta-feira, 7 Julho 2017

Isabel Moreira e a arte de argumentar sem dizer nada

 

Nós (a chamada Direita) somos a actual contra-cultura.

Por isso, o status quo (o sistema) esquerdista recorre à violência para silenciar qualquer oposição ideológica e lógica.

 


Lemos este trecho da Isabel Moreira:

“Isabel Moreira acusou o CDS de ter uma leitura constitucional que converge numa "espécie de construção de modelo comportamental único, de cidadão-tipo": "O que nos traz à memória o pior da escuridão do século XX", disse, sem concretizar”.

Ou seja, para a Isabel Moreira o cidadão-tipo é aquele que não é cidadão-tipo — mas, ainda assim e depreendendo das suas (dela) palavras, existe um cidadão-tipo, de qualquer forma. Por outras palavras, a Isabel Moreira é burra; faz parte da Esquerda doente mental que se julga um supra-sumo ideológico.

A cumbersa da Isabel Moreira não diz nada. Por exemplo:

(…) a partir do preâmbulo do projecto de lei dos centristas, que qualificou "todo ele uma confissão de uma visão da sociedade que não tem cabimento no século XXI", que é consequência de "uma leitura dos valores constitucionais" que esquece que os princípios da dignidade da pessoa humana e do livre desenvolvimento da personalidade, "habilitam o legislador a encontrar soluções para aqueles que somos em cada momento e não, como propõe o CDS, para aqueles que deveríamos ser".

Para Isabel Moreira, a visão do mundo do CDS patente no preâmbulo do diploma hoje discutido "não encontra conforto na Constituição", que diz ser "avessa a paternalismo e que, por isso, não admite supremacias morais e desconfianças estaduais relativamente às escolhas pessoais e necessariamente plurais de cada ser humano".

Eu poderia responder à Isabel Moreira dizendo o seguinte:

“Atendendo e considerando que é a arte e não a natureza que previne as contingências e a adesão das infra-estruturas, a totalidade social não tem vida própria acima do que é por ela concatenado, e de que ela própria é constituída. Ela produz e reproduz-se através dos seus momentos singulares. Tão pouco é de dissociar esse todo da vida, da cooperação e do antagonismo do individual.”

Você, caro leitor, ¿percebeu o que eu quis dizer? ¿Não? Então você é um burro que não pertence à elite política deste país.

isabel-moreira-jc-web

Sexta-feira, 16 Junho 2017

Freud era “surdo” em relação a música

Filed under: A vida custa,Cuidado que esta gente tem opinião! — O. Braga @ 5:47 pm

 

Se Freud vivesse hoje, não saberia distinguir uma música dos Pink Floyd, por um lado, de uma partitura de Bach, por outro lado; ou melhor dizendo, a distinção ser-lhe-ia difusa, imprecisa. Em linguagem popular, “Freud era muito duro de ouvido”.

A sensibilidade à música é uma forma de inteligência — a inteligência musical. Ninguém é perfeito, e Freud faltou-lhe essa forma de inteligência.

De um modo semelhante, ao Ludwig Krippahl falta-se a sensibilidade em relação a Deus que também é uma forma de inteligência — diria eu, a inteligência espiritual.

Falar com o Ludwig Krippahl acerca de “Deus” é a mesma coisa que falar com Freud acerca de música. Pura perda de tempo.

Sexta-feira, 2 Junho 2017

Os jornaleiros do Público passam a vida a mentir

 

Há uma jornaleira de merda do jornal Púbico que dá pelo nome de Andrea Cunha Freitas que, como a esmagadora maioria dos jornaleiros portugueses, é mentirosa quando escreve:

Enquanto se discute sobre quem fica fora e dentro do Acordo de Paris, o mundo aquece, o Árctico derrete e a Antárctida fica um bocadinho mais verde. Não são projecções ou especulações, são constatações que estão em relatórios de cientistas que continuam a medir os efeitos das alterações climáticas no planeta Terra”.

accumulatedmapOu seja, parece que a NASA anda a mentir, e quem tem razão é o Carlos Fiolhais e os coimbrinhas todos juntos.

Segundo dados oficiais da NASAé de notar que a NASA, quando comparada com o coimbrinha Carlos Fiolhais, é uma merda “the vast majority area of Greenland has seen surface snow and ice gain over the past 9 months. Moreover, Arctic temperatures for now are below normal.”

A teoria malthusiana do Aquecimento Global Antropogénico é uma estratégia política que pretende justificar a necessidade do globalismo plutocrata (sinificação do planeta) e da abolição de fronteiras e dos Estados soberanos.

Um estudo da NASA de 2015 — NASA que é uma merda quando comparado com o Carlos Fiolhais e portugas quejandos, que são mais intelijumentos que a NASA toda — revelou que a massa de gelo na Antárctida está a aumentar:

“A new NASA study says that an increase in Antarctic snow accumulation that began 10,000 years ago is currently adding enough ice to the continent to outweigh the increased losses from its thinning glaciers.

The research challenges the conclusions of other studies, including the Intergovernmental Panel on Climate Change’s (IPCC) 2013 report, which says that Antarctica is overall losing land ice”.

NASA Study: Mass Gains of Antarctic Ice Sheet Greater than Losses

Portanto, ó Andrea Cunha Freitas, em vez de fazeres perder tempo às pessoas, vai apanhar onde apanham as galinhas!


É claro que o clima muda; sempre mudou. Desde que existe uma proto-atmosfera no planeta Terra, o clima mudou sempre. Mas a ideia — por exemplo — do politicamente correcto segundo a qual “os incêndios em Portugal se devem ao Aquecimento Global Antropogénico” só pode vir de gente que, ou é atrasada mental, ou é de uma perversidade infinita. A Andrea é atrasada mental.

Ou seja, a alteração do micro-clima em uma determinada região do globo terrestre não significa necessariamente que exista um Aquecimento Global Antropogénico.

Em 1570, na Holanda, aconteceu uma inundação marítima monstruosa no dia de Todos os Santos (1 de Novembro) com ventos fortes que mataram mais de 20 mil pessoas. Imagine agora, caro leitor, as vidas que se teriam poupado em 1570 se existissem naquele tempo o Acordo de Paris e “taxas de carbono”. ¿Já imaginou? Puta-que-os-pariu!

Sexta-feira, 26 Maio 2017

A liberdade gay é maior do que a liberdade do cidadão normal

 

No texto, os deputados do Bloco de Esquerda sustentam que duas alunas da Escola Secundária de Vagos “terão sido vistas “a beijarem-se por uma funcionária da escola” e depois “chamadas à direcção da escola, onde terão sido informadas que não se podem beijar em público porque isso ‘incomoda pessoas’”.

“A actuação da direcção da escola visou especificamente a orientação sexual das alunas. Os alunos da Escola Secundária de Vagos realizaram hoje um protesto contra a homofobia e contra a presente situação em concreto”, expõem os deputados bloquistas, acrescentando que, “de acordo com relatos de alguns alunos e alunas, a polícia terá sido chamada e os estudantes ameaçados de processo disciplinar”.

Alunos de Vagos protestam contra “homofobia”, BE pede explicações

Vemos aqui em baixo um exemplo da “liberdade gay” na via pública.

liberdade-gay-web

Quarta-feira, 24 Maio 2017

O intelectual português é burro

Filed under: Cuidado que esta gente tem opinião!,esquerdalho — O. Braga @ 10:20 am

 

Diria mais: o intelectual português é, em geral, deficiente mental.

Por exemplo, um intelectual portuga faz o seguinte comentário em um meu verbete: “Este texto não tem ponta por onde se lhe pegue”. ¿E por quê? “Porque não!”.

O “porque não” é considerado pelo intelectual portuga como sendo um bom argumento. A classificação ou categorização puramente subjectiva de um texto ou de uma ideia são consideradas pelo intelectual tuga como argumentos suficientes.

Confrontado pelas suas próprias limitações cognitivas e epistemológicas, por um lado, e encerrado na campânula do normal narcisismo esquerdista, por outro lado, o intelectual tuga arrota postas de pescada (“Este texto não tem ponta por onde se lhe pegue”) quando não tem argumentação possível.

Perante um facto racionalmente irrefutável mas que lhe desagrada, o tuga espertalhão de Esquerda entra em dissonância cognitiva.

Quarta-feira, 17 Maio 2017

A simbologia da “libertação” da mulher vale mais do que a vida de qualquer homem

 

An "extraordinary" Oxford University student who stabbed her ex-boyfriend in the leg may avoid jail as it would affect her career prospects, a judge has said.

Oxford student Lavinia Woodward ‘may avoid jail’ for knife attack

A estudante de medicina em Oxford, Lavinia Woodward, espetou uma faca da cozinha no seu namorado. O juiz inglês decidiu não lhe aplicar pena de prisão para não prejudicar os seus estudos de medicina.


Numa sociedade machista, como é a sociedade ocidental — machista, sexista, homofóbica, transfóbica, patriarcal, etc. —, temos que manifestar a nossa admiração por aquele juiz que, entre dois valores — uma faca espetada num homem, por um lado, e um curso superior de uma mulher, por outro lado —, escolheu o mais elevado, porque a ferida da facada acaba por sarar, ao passo que a interrupção do curso de medicina retiraria àquela mulher a hipótese de pertencer à futura elite da sociedade.

E mesmo que o namorado tivesse morrido em consequência da facada, ela não deveria ser presa, porque a simbologia da “libertação” da mulher vale mais do que a vida de qualquer homem.

Domingo, 14 Maio 2017

Olha que não, João Miguel Tavares! Olha que não!

 

“A tese oficial da Igreja, que deveria ser mais conhecida, é esta: Nossa Senhora não apareceu na Cova da Iria, mas dentro da cabeça de Lúcia”.

João Miguel Tavares


fbd-2-webO João Miguel Tavares abre o seu texto com as declarações do Bispo rabeta acerca de Fátima; mas ao mesmo tempo considera S. Paulo como um dos precursores da racionalização da fé — o mesmo S. Paulo que classifica o comportamento tendencial do Bispo rabeta de “passiones ignominiae”, “usum contra naturam” e “turpitudinem operantes” (Romanos 1, 26-27).

O João Miguel Tavares pega na opinião de meia-dúzia de lunáticos ditos “católicos” — entre eles o Bispo rabeta Carlos Azevedo, o chanfrado Anselmo Borges, o gnóstico da Antiguidade Tardia Frei Bento Domingues, o marxista empedernido Torgal Ferreira, entre outros — e o João Miguel Tavares conclui que o que eles dizem é “a tese oficial da Igreja Católica acerca de Fátima”.

O que o João Miguel Tavares poderia ter dito, com propriedade, é que hoje não existe uma tese oficial da Igreja Católica acerca de praticamente nada — porque o Chico colocou em causa dois mil anos de História e tradição da Igreja Católica, e criou um cisma na Igreja Católica de que é tabu falar-se nos me®dia de que o João Miguel Tavares faz parte.

Ao contrário do que o João Miguel Tavares diz, a Igreja Católica do Chiquinho tende para uma maior irracionalização da fé, porque este papa inverte os parâmetros da racionalização da fé segundo a tese do Santo Anselmo de Aosta no “Prolosgion (mas isto talvez seja areia a mais para a camioneta do João Miguel Tavares).

Quarta-feira, 10 Maio 2017

Os burros confundem “globalização”, por um lado, e “globalismo”, por outro lado

 

burro com oculos 300 webSão burros de propósito; burros voluntários, imbuídos de uma estupidez natural; temos hoje as elites culturais mais estúpidas de que há memória na História de Portugal.

Globalização” não é a mesma coisa que “globalismo — como pretendem dizer o André Azevedo Alves e um tal João Carlos Espada (ver ficheiro PDF, para memória futura). Burrice. Burros que pretendem enganar a populaça.

G. K. Chesterton escreveu: “Sem educação, encontramo-nos em um perigo mortífero e horrível que consiste em levar a sério as pessoas educadas”.

É urgente que o povo se eduque para que possa ver que os Alves e os Espadas deste país vão nus.

Terça-feira, 9 Maio 2017

O estúpido Adelino Maltez

 

“O analista político Adelino Maltez defendeu hoje à Lusa que a vitória de Emmanuel Macron nas presidenciais francesas revela uma inversão de ciclo político e dá oportunidade à Europa para "levantar a cabeça com entusiasmo".”

França/Eleições: Ciclo político na Europa inverteu-se – Adelino Maltez


O Maltez faz lembrar o padeiro que sai da padaria, apressado, e com a farinha da pá bem marcada nas costas, e berra para a mulher que está lá dentro: “E para a próxima vez levas mais!”

A Front Nationale tem vindo a subir a sua votação, eleição após eleição, e o burro do Maltez diz que “se inverteu o ciclo”. A Marine Le Pen foi à segunda volta das eleições presidenciais e conseguiu um recorde de 34% dos votos para um candidato da Front Nationale; e o estúpido diz “o ciclo político na Europa inverteu-se”.

Esta gente (a maçonaria) é tão miserável nos seus propósitos políticos, que irá chegar ao ponto de festejar uma qualquer vitória por 1% — de vitória em vitória, o burro do Maltez acelera para a derrota final.

Ainda iremos ver o “liberal” Maltez defender a sinificação do leviatão europeu.

Página seguinte »

Site no WordPress.com.