perspectivas

Quarta-feira, 27 Maio 2020

Os “desejos húmidos” totalitários e fascistas dos dignitários da União Europeia

Josep Borrell (espanhol, catalão), militante da actual geringonça esquerdopata espanhola de que foi ministro do Exterior (2018), eu-burocratas-400ex-presidente do parlamento europeu, o actual vice-presidente da Comissão Europeia e Alto Representante da União para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança desde 2019 — é desta merda que a União Europeia se alimenta!

Numa conferência de embaixadores da Alemanha, realizada na Segunda-feira passada e a propósito da próxima presidência rotativa da União Europeia por parte da Alemanha que começa em Julho, a grande besta descreveu o COVID-19 como “o grande acelerador da História”, antes de anunciar “o fim do sistema liderado pelo Estados Unidos” e o advento do Poder glorioso da China.

O grande filho-de-puta esquerdopata afirmou que “aumenta a pressão para a União Europeia escolher entre os Estados Unidos e a China”.

O cabrão continua, depois, a esquerdar — afirmando que a União Europeia deve “mostrar disciplina colectiva” no sentido de se sintonizar com as políticas da China — porque, alegadamente, o modelo chinês é mais consentâneo com o futuro da União Europeia do que o modelo político americano (baseado na liberdade política e económica).

Bem sei que a referida cavalgadura, enquanto individuo, tem o direito à livre expressão da sua opinião; mas é intolerável que enquanto vice-presidente da Comissão Europeia, o-filho-de-uma-grandessíssima-alternadíssima se afirme partidário do sistema fascista chinês.

Quinta-feira, 21 Maio 2020

O senhor Guilherme Valente apazigua a China, na esperança de ser o último a ser comido

O senhor Guilherme Valente escreve aqui uma ode prosaica à China. Ou seja, temos um exemplo de um Valente que se acobarda perante o Poder chinês.


As ideias mestras do senhor Valente, em relação à China, são as seguintes:

1/ Os europeus são os culpados pelo regime comunista chinês.

2/ Se o Ocidente não chatear a China, o regime chinês evoluirá (“se não se sentir ameaçado”) — para uma coisa qualquer que o senhor Valente não diz o que é.

3/ A China, ao contrário do Ocidente, “não impõe aos outros os modos de viver próprios”.

4/ A Teresa de Sousa é ignorante porque critica a China.

5/ Na China, o sistema actual é “capitalista” (segundo o senhor Valente).


Tenho muita dificuldade em compreender o arquétipo mental do senhor Valente. (more…)

Sexta-feira, 1 Maio 2020

A cultura chinesa de colmeia

Filed under: China — O. Braga @ 4:32 pm
Tags:

 

«Se a China tivesse reagido ao surto de Covid-19 três semanas antes, 95% dos casos de coronavírus poderiam ter sido evitados, segundo conclui um recente estudo da Universidade de Southampton.

E de acordo com Steve Tsang, director do SOAS China Institute da Universidade de Londres, “foi o encobrimento do Partido Comunista nos primeiros dois meses que criou as condições necessárias para gerar a pandemia global”.»

A perigosa armadilha oriental


A 11 de Março, escrevi o seguinte:

«Eu não tenho dúvidas nenhumas acerca do seguinte: o regime comunista chinês — ao contrário do regime russo, construído sobre uma sociedade de tradição cristã — não tem qualquer pejo em sacrificar milhões dos seus próprios cidadãos para causar um qualquer dano ao Ocidente.

Nós não devemos ver a China com os olhos da tradição cristã ocidental: a mente chinesa funciona de modo diferente da nossa


A cultura chinesa de colmeia tem origem no Confucionismo multi-milenar, que o Partido Comunista chinês aproveitou de uma forma primorosa.

cultura-colmeia-web

Sexta-feira, 17 Abril 2020

O vírus da China é uma arma biológica (2)

Filed under: China — O. Braga @ 2:59 pm
Tags:

No dia 31 de Março escrevi aqui um artigo com o título “O Coronavirus ou “vírus da China” é uma arma biológica”; perguntaram-me se eu tinha base científica para afirmar que o vírus indicia engenharia humana. A resposta a essa pergunta vai-se construindo aos poucos, desta vez com o Nobel da medicina, Luc Montagnier:

“Pour Luc Montagnier, le Covid-19 serait sorti d’un laboratoire de Wuhan qui tentait de créer un vaccin contre le VIH.”

coronavirus-luc-montagnier-web

Obviamente que o reconhecimento da engenharia humana do vírus não significa que tenha sido construído propositadamente para ser uma arma biológica; mas a minha tese — “O Coronavirus ou “vírus da China” é uma arma biológica” — vai-se afirmando como plausível.

Terça-feira, 31 Março 2020

O Coronavirus ou “vírus da China” é uma arma biológica

Filed under: China — O. Braga @ 7:09 pm
Tags:

«Researchers at DeCode genetics have found 40 mutations of the coronavirus in Iceland alone; one individual had been infected by two variants at the same time.»

Iceland has good and bad news about the Coronavirus

islandia-coronavirus-web

Investigadores descobriram que o chamado “vírus da China” sofreu (pelo menos) 40 mutações, e apenas na Islândia. Cada mutação do vírus corresponde a uma estirpe, ou a uma subespécie do vírus (variantes). Descobriram também que uma pessoa islandesa foi infectada simultaneamente por duas estirpes (duas variantes) do vírus da China.

Estas descobertas científicas permitem afirmar que o vírus da China não é um simples vírus: é uma arma biológica de origem chinesa — 40 variantes de um mesmo vírus, e apenas em um território minúsculo como é a Islândia, indiciam engenharia humana.

Imaginem a quantidade de variantes que o referido vírus pode assumir em um país com a população dos Estados Unidos… !

Há dias escrevi aqui o seguinte:

“A probabilidade de o vírus da China ter tido origem no laboratório (biológico) da cidade Wuhan é (pelo menos) tão credível como a narrativa jornaleira da probabilidade do mercado de animais.

Eu não tenho dúvidas nenhumas acerca do seguinte: o regime comunista chinês — ao contrário do regime russo, construído sobre uma sociedade de tradição cristã — não tem qualquer pejo em sacrificar milhões dos seus próprios cidadãos para causar um qualquer dano ao Ocidente.

Nós não devemos ver a China com os olhos da tradição cristã ocidental: a mente chinesa funciona de modo diferente da nossa.”

Para os dirigentes do Partido Comunista chinês, a morte de alguns milhões de chineses é um pequeno dano colateral na actual guerra fria contra os Estados Unidos.

Terça-feira, 24 Março 2020

A estória do #Coronavirus está mal contada

Filed under: A vida custa,China — O. Braga @ 4:32 pm
Tags:

Em 2018, a China gabava-se de possuir o maior banco de vírus de toda a Ásia (1.500 estirpes diferentes de vírus!), no Instituto de Virologia da cidade de Wuhan. E ainda dizem que o vírus não é chinês !

china coronavirus web

Quarta-feira, 11 Março 2020

É preciso rever urgentemente a relação do Ocidente com a China

Filed under: China — O. Braga @ 8:43 pm

O regime chinês é hermético e estanque. É impossível qualquer tipo de controlo ou simples monitorização eficaz do regime chinês a partir de fora dele.

Em fim de Novembro do ano passado, quando se registaram oficiosamente os primeiros casos do chamado “vírus da China”, os Estados Unidos disponibilizaram-se para ajudar a rastrear e a estudar cientificamente o referido vírus; o regime chinês recusou a oferta americana, e o resultado está à vista.

Para o regime comunista chinês, a morte de uns poucos milhões de cidadãos — por exemplo, com um epidemia viral construída em um qualquer laboratório chinês — pode ser considerada (pelas elites do Partido Comunista chinês) um dano colateral inserido em uma qualquer estratégia política global.

A ideia propalada pelos me®dia, segundo a qual o vírus da China é originário de um mercado de animais vivos da cidade chinesa de Wuhan, não passa de uma narrativa (de uma estória) semelhante a qualquer outra. A verdade é que, na referida cidade, existe o único laboratório biológico de segurança de nível 4 (BSL–4) em toda a China.

A probabilidade de o vírus da China ter tido origem no laboratório da cidade Wuhan é (pelo menos) tão credível como a narrativa jornaleira da probabilidade do mercado de animais.

Eu não tenho dúvidas nenhumas acerca do seguinte: o regime comunista chinês — ao contrário do regime russo, construído sobre uma sociedade de tradição cristã — não tem qualquer pejo em sacrificar milhões dos seus próprios cidadãos para causar um qualquer dano ao Ocidente.

Nós não devemos ver a China com os olhos da tradição cristã ocidental: a mente chinesa funciona de modo diferente da nossa.

Quarta-feira, 10 Maio 2017

A razão por que a China tem um futuro, e a França nem sequer tem passado

 

« Il n’y a pas de culture française. Il y a une culture en France. Elle est diverse. »

Telle est la dernière sortie d’Emmanuel Macron, lors de son meeting dominical, tenu dans la capitale des Gaules. Le personnage étant ce qu’il est, nul doute que cette saillie puisse s’annoncer comme la première d’une longue série. En marche, qu’il est, le Macron…

Pour Macron, la culture française n’existe pas !


« Macau "tem um passado muito especial" e que é preciso "dar a conhecer aos estudantes a história e cultura chinesa, ou seja, o docente, tem que dar a conhecer o patriotismo aos estudantes", considerou.

"Temos de cultivar o amor à pátria, porque o amor à pátria não é só um ‘slogan’, tem de ser implementado", disse. »

"Número três" da China defende reforço da educação patriótica em Macau


A liderança chinesa defende o conceito de “pátria”; o presidente eleito de França renega o conceito de “pátria”.

A França do Macron não tem um futuro civilizado: reserva-se-lhe a barbárie em nome da “diversidade”.

france-pc-web

%d bloggers like this: