perspectivas

Sexta-feira, 16 Junho 2017

Freud era “surdo” em relação a música

Filed under: A vida custa,Cuidado que esta gente tem opinião! — O. Braga @ 5:47 pm

 

Se Freud vivesse hoje, não saberia distinguir uma música dos Pink Floyd, por um lado, de uma partitura de Bach, por outro lado; ou melhor dizendo, a distinção ser-lhe-ia difusa, imprecisa. Em linguagem popular, “Freud era muito duro de ouvido”.

A sensibilidade à música é uma forma de inteligência — a inteligência musical. Ninguém é perfeito, e Freud faltou-lhe essa forma de inteligência.

De um modo semelhante, ao Ludwig Krippahl falta-se a sensibilidade em relação a Deus que também é uma forma de inteligência — diria eu, a inteligência espiritual.

Falar com o Ludwig Krippahl acerca de “Deus” é a mesma coisa que falar com Freud acerca de música. Pura perda de tempo.

Quinta-feira, 15 Junho 2017

¿O que é que o Anselmo Borges dirá destas imagens colhidas na Irlanda?

Filed under: A vida custa,Anselmo Borges — O. Braga @ 4:00 pm

 

¿Que “a tecnologia é mentirosa”?¿Ou que é uma ilusão de óptica causada pelos telemóveis?

 

Ele dirá certamente — conforme o Maligno representado pelo papa Chico — de que não se trata de um “fenómeno físico”, mas de uma “visão subjectiva”. Ou seja, segundo o Anselmo Borges, os telemóveis já são tão sofisticados que filmam visões pessoais interiores e subjectivas.

Por esta e por outras é que o Anselmo Borges (e o Frei Bento Domingues) mete nojo aos cães. Naturalmente que ele dirá que aqueles milhares de pessoas eram “todas maluquinhas, coitadinhas…!”. “Até os telemóveis estavam maluquinhos, naquele dia… Cambada de doidos que viram o sol girar sobre si mesmo… telemóveis malucos que gravaram factos deturpados”.

E a seguir o Anselmo Borges vai escrever um novo livro com o título: “Cuidado com os enganos dos telemóveis!”, para satisfazer a egologia cientificista da Esquerda.

Em memória de Laurie Bird

Filed under: A vida custa,suicídio — O. Braga @ 8:00 am

 

laurie-bird-web

lauri-bird-2-web

1953 – 1979

Terça-feira, 6 Junho 2017

Madrid instala semáforos contra a homofobia

 

madrid-semaforos-web

Segunda-feira, 29 Maio 2017

Baizuo

 

Segundo o dicionário urbano, Baizuo é um termo chinês que significa “esquerdista branco” que advoga a paz e a igualdade apenas para satisfazer o seu ego e justificar a sua superioridade moral.

Um Baizuo apenas se preocupa com assuntos como a imigração, as minorias, os LGBT (Lesbian-Gay Bullying Totalitarian), o Aquecimento Global Antropogénico, etc., e vivem obcecados com o politicamente correcto ao ponto de importarem os valores do Islamismo e da Sharia em nome do multiculturalismo. baizuo-web


“In China for instance, they have a word for these people. They are called “baizuo” or the “white left” on social media. Which is interesting, because even though China has its fair share of socialists and communists, they don’t have a direct equivalent to our liberal snowflakes. Most of the Chinese are still fiercely nationalistic and anti-immigrant, regardless of political affiliation. That country just doesn’t have a large population of politically correct, affluent liberals (presumably, they were all killed off during the Great Leap Forward). So what does this term mean to the average Chinese citizen?

It might not be an easy task to define the term, for as a social media buzzword and very often an instrument for ad hominem attack, it could mean different things for different people. A thread on “why well-educated elites in the west are seen as naïve “white left” in China” on Zhihu, a question-and-answer website said to have a high percentage of active users who are professionals and intellectuals, might serve as a starting point.

The question has received more than 400 answers from Zhihu users, which include some of the most representative perceptions of the ‘white left’. Although the emphasis varies, baizuo is used generally to describe those who “only care about topics such as immigration, minorities, LGBT and the environment” and “have no sense of real problems in the real world”; they are hypocritical humanitarians who advocate for peace and equality only to “satisfy their own feeling of moral superiority”; they are “obsessed with political correctness” to the extent that they “tolerate backwards Islamic values for the sake of multiculturalism”; they believe in the welfare state that “benefits only the idle and the free riders”; they are the “ignorant and arrogant westerners” who “pity the rest of the world and think they are saviours”.

"Baizuo" Is The New Derogatory Term Millions Of Chinese Are Using To Describe America’s "White Left" Regressive Liberals

 

Sexta-feira, 26 Maio 2017

A liberdade gay é maior do que a liberdade do cidadão normal

 

No texto, os deputados do Bloco de Esquerda sustentam que duas alunas da Escola Secundária de Vagos “terão sido vistas “a beijarem-se por uma funcionária da escola” e depois “chamadas à direcção da escola, onde terão sido informadas que não se podem beijar em público porque isso ‘incomoda pessoas’”.

“A actuação da direcção da escola visou especificamente a orientação sexual das alunas. Os alunos da Escola Secundária de Vagos realizaram hoje um protesto contra a homofobia e contra a presente situação em concreto”, expõem os deputados bloquistas, acrescentando que, “de acordo com relatos de alguns alunos e alunas, a polícia terá sido chamada e os estudantes ameaçados de processo disciplinar”.

Alunos de Vagos protestam contra “homofobia”, BE pede explicações

Vemos aqui em baixo um exemplo da “liberdade gay” na via pública.

liberdade-gay-web

Quinta-feira, 25 Maio 2017

Cuidado com a Vodafone Empresas — Vigarice Q.B.

Filed under: A vida custa — O. Braga @ 1:39 pm

 

Durante dois anos gastei mensalmente, na empresa, um balúrdio em telefones móveis; e, por isso, eu ia angariando pontos em função do consumo, no chamado Clube Viva.

Mas, afinal, os pontos angariados pelo consumidor (neste caso, a empresa) não lhe pertencem; ou seja, o cliente da Vodafone não pode fazer o que quiser com os pontos que legitimamente ganhou — ao contrário do que acontece na MEO, por exemplo.

A Vodafone exige que, na compra de material utilizando os pontos legitimamente ganhos, seja fidelizado um nº de telemóvel da Vodafone durante 18 meses, o que significa que a Vodafone obriga o cliente a não mudar de operadora durante 18 meses se quiser utilizar os pontos acumulados pelo seu próprio consumo.

Note o leitor, o seguinte: mesmo que a Vodafone diga que “são as condições do Clube Viva”, essas condições não podem ser válidas juridicamente — assim como uma burla, por exemplo, não passa a ser válida só porque uma das partes contratantes não se apercebeu previamente da burla. Uma burla ou acção em má-fé não podem ser legais senão em um estado selvagem.

Por causa desta vigarice da Vodafone, vou mudar para outra operadora de telefones e Internet. Mas, antes disso vou utilizar os pontos legitimamente ganhos, adquirir o material a que tenho direito, e depois mandar a Vodafone à merda — que é o que eu aconselho a todos os leitores que tenham Vodafone.

Sábado, 20 Maio 2017

Estudo recente: o conceito de “pénis” é uma construção social

 

O Bloco de Esquerda e o Partido Socialista vão ficar exultantes!


“Abstract: Anatomical penises may exist, but as pre-operative transgendered women also have anatomical penises, the penis vis-à-vis maleness is an incoherent construct. We argue that the conceptual penis is better understood not as an anatomical organ but as a social construct isomorphic to performative toxic masculinity.

Through detailed post-structuralist discursive criticism and the example of climate change, this paper will challenge the prevailing and damaging social trope that penises are best understood as the male sexual organ and reassign it a more fitting role as a type of masculine performance.

1. Introduction

The androcentric scientific and meta-scientific evidence that the penis is the male reproductive organ is considered overwhelming and largely uncontroversial. It is true that nearly all male-gendered persons who were also male at birth have a genital organ that, among other purposes, carries the duct for the transfer of sperm during copulation. This organ is usually identified as the penis, and for many “males” it serves the role of their reproductive organ. There are, however, many examples of persons with penises who will not reproduce, including those who have sustained injury, are unable to coerce a mate, are uninterested in producing offspring, are medically infertile, or identify as asexual. While these examples may still constitute “males,” it is distinctly fallacious to identify their penises as reproductive organs. Furthermore, there are many women who have penises. These are specifically pre-operative transgendered women and chromosomal “males” who choose to identify as women without indicating a desire to transition (…).”

The conceptual penis as a social construct

Conforme se explica aqui, trata-se de uma paródia de dois professores universitários americanos.

 

Quarta-feira, 17 Maio 2017

A simbologia da “libertação” da mulher vale mais do que a vida de qualquer homem

 

An "extraordinary" Oxford University student who stabbed her ex-boyfriend in the leg may avoid jail as it would affect her career prospects, a judge has said.

Oxford student Lavinia Woodward ‘may avoid jail’ for knife attack

A estudante de medicina em Oxford, Lavinia Woodward, espetou uma faca da cozinha no seu namorado. O juiz inglês decidiu não lhe aplicar pena de prisão para não prejudicar os seus estudos de medicina.


Numa sociedade machista, como é a sociedade ocidental — machista, sexista, homofóbica, transfóbica, patriarcal, etc. —, temos que manifestar a nossa admiração por aquele juiz que, entre dois valores — uma faca espetada num homem, por um lado, e um curso superior de uma mulher, por outro lado —, escolheu o mais elevado, porque a ferida da facada acaba por sarar, ao passo que a interrupção do curso de medicina retiraria àquela mulher a hipótese de pertencer à futura elite da sociedade.

E mesmo que o namorado tivesse morrido em consequência da facada, ela não deveria ser presa, porque a simbologia da “libertação” da mulher vale mais do que a vida de qualquer homem.

Domingo, 14 Maio 2017

¿Por que é que o Salvador ganhou o festival da Eurovisão?

 

Há “coisas” que ajudam muito!

salvador-ganhou-web

Dantes era a t-shirt do Che; hoje é a t-shirt dos “refugiados” Maomerdas. É chique! Está na moda! Fica bem! Ajuda muito a ganhar a Eurovisão.

Terça-feira, 9 Maio 2017

O estúpido Adelino Maltez

 

“O analista político Adelino Maltez defendeu hoje à Lusa que a vitória de Emmanuel Macron nas presidenciais francesas revela uma inversão de ciclo político e dá oportunidade à Europa para "levantar a cabeça com entusiasmo".”

França/Eleições: Ciclo político na Europa inverteu-se – Adelino Maltez


O Maltez faz lembrar o padeiro que sai da padaria, apressado, e com a farinha da pá bem marcada nas costas, e berra para a mulher que está lá dentro: “E para a próxima vez levas mais!”

A Front Nationale tem vindo a subir a sua votação, eleição após eleição, e o burro do Maltez diz que “se inverteu o ciclo”. A Marine Le Pen foi à segunda volta das eleições presidenciais e conseguiu um recorde de 34% dos votos para um candidato da Front Nationale; e o estúpido diz “o ciclo político na Europa inverteu-se”.

Esta gente (a maçonaria) é tão miserável nos seus propósitos políticos, que irá chegar ao ponto de festejar uma qualquer vitória por 1% — de vitória em vitória, o burro do Maltez acelera para a derrota final.

Ainda iremos ver o “liberal” Maltez defender a sinificação do leviatão europeu.

Sexta-feira, 5 Maio 2017

#MulherNãoEntra : o que elas querem é só o “bem-bom”

 

Bangladesh sewer cleaner has to dive into liquid filth to claw out blockages

mulher-nao-entra-web
Quando uma feminista vier com a “cumbersa” do costume, diz-lhe para ela ir fazer o trabalho deste porco machista.

Página seguinte »

Create a free website or blog at WordPress.com.