perspectivas

Segunda-feira, 12 Fevereiro 2018

PS, BE e PAN de acordo para acabar com o casamento antes do divórcio

Filed under: A vida custa,Esta gente vota — O. Braga @ 10:14 am

 

Depois do acordo entre o PS, BE e PAN para acabar com prazo para casar segunda vez, vem aí o acordo do PS, BE e PAN para acabar com o casamento antes do divórcio, fazendo com que o cidadão se possa divorciar antes de se casar, ou que se divorcie independentemente de haver casamento ou não — o que transforma o divórcio em uma instituição autónoma e dignificada.

A partir de agora, um cidadão ou uma cidadã (ou vice-versa) pode divorciar-se sem estar casado — o que é um passo civilizacional digno de relevo.

Esta dignificação da instituição do divórcio já vinha sendo reivindicada pela Esquerda há muito tempo, em nome da igualdade entre a instituição do divórcio e a instituição do casamento. Fontes do Bloco de Esquerda revelaram que a discriminação entre o divórcio e o casamento é um "autêntico constrangimento discriminatório e, como tal, injustificado e inadmissível".

Anúncios

Segunda-feira, 5 Fevereiro 2018

A feminista Germaine Greer acerca do movimento #MeToo

Filed under: #MeToo,A vida custa,marxismo cultural,politicamente correcto — O. Braga @ 11:35 am

 

“Subir as saias e abrir as pernas equivale a consentimento sexual” — diz a feminista Germaine Greer.

germaine-greer-me-too-web

Terça-feira, 30 Janeiro 2018

O comuna Carlos Fiolhais e o dogma apocalíptico do Aquecimento Global Antropogénico

 

O Carlos Fiolhais é do tipo de comuna mais perigoso: daqueles que dizem que não são comunas, mas que têm uma ideologia e uma práxis comunas.

nasa-webUm tal Tiago Ramalho escreveu no jornal Púbico um artigo com o título “A relação difícil de Trump com a ciência” que mereceu o apoio total do comuna Carlos Fiolhais. Para o jornaleiro do Púbico (e também para Carlos Fiolhais ), Donald Trump tem “uma relação difícil com a ciência” porque não engole o dogma comuna do Aquecimento Global Antropogénico — e é um dogma porque a teoria do Aquecimento Global não é falsificável.

O pensamento do Carlos Fiolhais acerca das causas ou efeitos do CO2 na atmosfera é dogmático. Aliás, ele parte de um falso pressuposto: o de que o CO2 é a causa de um possível Aquecimento Global, quando na realidade o CO2 é um efeito de um possível e temporário Aquecimento Global devido à actividade do Sol. Senão, vejamos um vídeo (em baixo) em que a NASA desmistifica o tese do Aquecimento Global Antropogénico.

O jornaleiro do Púbico, com o apoio do comuna Carlos Fiolhais , fala mesmo em “apocalipse”:

« As “horas” estão a contar no Relógio do Apocalipse, acertado na última quinta-feira em relação ao ano de 2017. O painel de cientistas que girou os “ponteiros” deste relógio metafórico colocou-nos mais perto da meia-noite, como no tempo da Guerra Fria e da corrida ao armamento nuclear. »

Caros leitores: isto não é ciência!, é ideologia política! O Carlos Fiolhais que vá para a pata que o pôs, mais a Escatologia Aquecimentista que substitui agora o “Fim da História” marxista.

 

Quinta-feira, 25 Janeiro 2018

O ser revolucionário

Filed under: A vida custa — O. Braga @ 3:46 pm

 

nicolas-maduro-web

Sábado, 13 Janeiro 2018

Os ditos “liberais” dizem que o proteccionismo nunca funciona

Filed under: A vida custa,Donald Trump,economia,Esta gente vota — O. Braga @ 9:37 am

Sábado, 6 Janeiro 2018

O burro Insurgente

 

A burrice no Insurgente não tem limites. Em primeiro lugar, porque se acredita no que se publica no NYT. Só de burro. E depois porque parece que é proibido processar judicialmente o autor de um determinado livro devido ao seu conteúdo.

Confundir “processo judicial por difamação ou injúria”, por um lado, com “proibição de publicação de um livro”, por outro lado — só pode vir de uma cavalgadura alfabetizada.

Não há como classificar a incapacidade mental da maior parte dos escrevinhadores do Insurgente.

Quinta-feira, 4 Janeiro 2018

O meu vizinho neurótico

Filed under: A vida custa — O. Braga @ 6:37 pm

 

Há bons vizinhos, que são aqueles que não chateiam ninguém; ou tomam o cuidado necessário para não chatear ninguém. E há vizinhos autistas, que vivem como se estivessem sozinhos no mundo; e depois há os autistas neuróticos, que são aqueles que desenvolvem rotinas de sofrimento e rituais de auto-sacrifício absolutamente desnecessários. O meu vizinho do lado é um deles.

(more…)

Sexta-feira, 8 Dezembro 2017

A hipocrisia de Ribeiro e Castro não ajuda nada

 

A Constituição serviu para aprovar o referendo acerca da legalização do aborto, mas segundo o Ribeiro e Castro e a Isabel Moreira (les bons esprits se rencontrent…), a Constituição já não serve para aprovar o referendo sobre a eutanásia.

Ou seja, segundo aquelas duas avantesmas, “a Constituição é clara” em 2017, mas não era “clara” em 1997 e em 2007. Ou seja: puta-que-pariu!

A Constituição só é “clara” quando convém às cavalgaduras que nos controlam.

É pena que o Ribeiro e Castro se sirva de um assunto sério, como é o da legalização da eutanásia, como instrumento de arremesso político contra a liderança do actual CDS/PP. É por causa de hipócritas deste calibre que Portugal caiu já na merda.

eutanasia-cadeiras

A Esquerda é uma anedota !

 

Da Esquerda espanhola já vi muita coisa absurda — como, por exemplo, a defesa de largar cadáveres humanos nas montanhas para alimentar as aves de rapina, em vez de lhes dar um funeral católico.

A última anedota da Esquerda espanhola vem de Madrid, pela mão da respectiva alcaidessa Manuela Carmena (na imagem), eleita com o apoio do partido Podemos (o Bloco de Esquerda de Espanha).

Com o fim de evitar aglomerações no centro de Madrid por ocasião do Natal, a Manuela Carmena teve uma brilhante ideia: criar ruas de sentido único para peões!

Esta parece uma medida digna de António Costa e da geringonça! Se o Merdina sabe disto, vamos ter sentido único para peões no Rossio!

manuela-carmena-web

Quinta-feira, 23 Novembro 2017

Psicose em estado irreversível e incurável

 

“Um dos grandes mitos da história de Portugal é a «balda» da gestão democrática na revolução. Na verdade nunca tivemos na nossa história uma gestão tão controlada, democrática, e limitada no seu poder de abuso como aquela que nasceu no 25 de Abril em escolas, hospitais, bancos, empresas”.

Raquel Varela

A Raquel Varela é um caso perdido de demência psicótica que a levou a um estado patológico de delírio interpretativo.

raque-varela-wc-web

Quinta-feira, 16 Novembro 2017

“DIREITOS” LGBTI JKLMNOPQRSTUVXZ

Filed under: A vida custa — O. Braga @ 6:32 pm

 

DIREITOS-LGBT-WEB

Voando sobre um ninho de cucos – a “justiça inquisitorial”

 

Já só nos faltava que gente da Não-Esquerda se armasse aos cucos, como é o caso do Pedro Arroja :

“Um leitor questionou a analogia que venho fazendo entre o juiz de instrução e a Inquisição, pedindo-me para explicar.

A explicação está em cima. Aquilo que caracteriza o juiz de instrução, tal como o inquisidor, é o facto de ele ser ao mesmo tempo o investigador criminal (isto é, o acusador) e o juiz.”

Segundo o Pedro Arroja, em Portugal (e não só), o juiz-de-instrução é simultaneamente o único juiz do julgamento (passo a redundância) e da sentença; para ele não existe um colectivo de juízes no julgamento; não existe o direito de o réu solicitar a escusa do juiz por razões objectivas; e presume que não existem tribunais de recurso.

Os verdadeiros problemas da nossa justiça são o custo exorbitante (a justiça portuguesa não é para pobres) e a demora (os processos arrastam-se nos tribunais por tempo indeterminado).

Eu não gosto do nosso sistema de justiça que foi sendo construído a partir da cultura da Revolução Francesa — mas também não exageremos…!

Página seguinte »

Site no WordPress.com.