perspectivas

Quarta-feira, 18 Maio 2022

Ursula von der Leyen e o “offshore wind”


Vemos, aqui em baixo, um gráfico da rede eléctrica da Alemanha.

O chamado “offshore wind”, ou “vento do mar”, é a fonte de energia mais cara que existe, e é a menos útil para uma rede eléctrica.

Vemos, no gráfico (clica, para aumentar a imagem), e a azul mais escuro em baixo, a produção alemã do “offshore wind” ou “vento do mar”.

Aumentar o “vento do mar” é aumentar a sua inutilidade.

wind offshore web

Quinta-feira, 12 Maio 2022

O coimbrinha Carlos Fiolhais, amigo do Putin; e o alegado Aquecimento Global Antropogénico

E ele a dar-lhe. Gente como o Carlos Fiolhais é responsável pelo pânico energético que, por exemplo, encorajou a invasão da Ucrânia por parte de Putin.

Os próceres do capitalismo reúnem-se periodicamente em Davos (Suíça) para determinar, com uma exactidão matemática, quantos graus vai subir a temperatura do planeta se não voltarmos todos ao tempo das cavernas.

Os próceres do capitalismo reúnem-se periodicamente em Davos para determinar, com uma exactidão matemática, quantos graus vai subir a temperatura do planeta se não voltarmos todos ao tempo das cavernas.

Seria estúpido alguém dizer que o Carlos Fiolhais não sabe disto; claro que sabe: e é cúmplice.

Os filhos-de-puta que inventaram o mito das “mudanças climáticas”, cujas consequências imediatas são a criação de impedimentos ao desenvolvimento dos países mais pobres do mundo, já conseguiram os seus objectivos. E Carlos Fiolhais faz parte desse grupo.

Enquanto os países pobres — em África, por exemplo — têm que voltar ao paleolítico porque os próceres do capitalismo globalista exigem que utilizem “energias verdes”, são esses amigos plutocratas do Carlos Fiolhais que, em nome de um método cientificista dogmatizado, conseguem prever com uma exactidão divina quantos graus vai subir a temperatura do planeta nos próximos séculos. (more…)

Sábado, 30 Abril 2022

Segundo a elite política da União Europeia, o cidadão europeu não pode tomar banho nem lavar a roupa, para assim “ajudar a Ucrânia”

Frans Timmermans, o holandês socialista que é o Vice-presidente da União Europeia, exaltou os “cidadãos europeus” a “ajudar a Ucrânia” através de iniciativas como, por exemplo, tomar banho uma vez por mês, deixar de conduzir automóveis e passar a andar somente de bicicleta — e arejar as roupas usadas, em vez de as lavar.

Para o socialista que é Vice-presidente da União Europeia, “ajudar a Ucrânia” significa literalmente que temos todos que passar a ser uma espécie de “chineses” da década de 1950.

eu-especie de china web

Frans Timmermans webEm uma reunião do Comité do Ambiente do parlamento europeu, Timmermans disse ainda que os cidadãos devem desligar os aquecedores em casa no Inverno (o frio faz bem aos ossos!), andar de bicicleta em vez de utilizar o carro, e ventilar a roupa usada em vez de a lavar — tudo isto para compensar o corte de importações de combustíveis fósseis proveniente da Rússia.

Para a Esquerda Neanderthal, a invasão da Ucrânia por parte da Rússia foi fundamental para a promoção da sua ideologia milenarista  e escatológica que anuncia o fim do mundo (em cuecas) causado pelas “alterações climáticas” — como se o clima nunca tivesse mudado antes do dito “capitalismo de merda”…

Os custos da energia estão a ser artificialmente inflacionados por uma minoria de malucos (a Esquerda Neanderthal) que é muito activa politicamente, e que está a tentar evitar que o mercado natural funcione. Ou seja, uma minoria que está a lutar contra o funcionamento do mercado para impôr uma determinada ideologia catastrofista.

Por exemplo, quando Marrocos anuncia que vai abrir novos poços de petróleo "offshore", ao largo das ilhas Canárias mas ainda em Zona Económica Exclusiva marroquina, o governo socialista espanhol diz que vai apresentar queixa na ONU e na União Europeia, em uma tentativa de assim impedir o funcionamento do mercado da energia.

Ou quando se defende a instalação de centrais nucleares em Portugal, uma minoria ruidosa vem imediatamente dizer que é preferível que os portugueses vivam à luz da vela; ou quando se pretende fazer prospecção de petróleo ao largo do Algarve, os mesmos do costume ameaçam imolar-se no Campo Pequeno.

Ou quando a entourage do presidente senil dos Estados Unidos, João Bidé, proibiu a extracção de petróleo e gás natural em território americano (incluindo no Alasca), o que se pretendeu foi estabelecer artificialmente um mínimo de preço internacional de custo de 100 US Dollars por barril de petróleo (preço do petróleo artificialmente inflacionado).

Ou seja, o preço da energia está a ser manipulado (i.e.: manipulação do mercado) por uma elite internacional radical, no sentido de prejudicar intencionalmente a população em geral, e principalmente os mais pobres.

A União Europeia paga a Frans Timmermans cerca de 250.000 Euros líquidos por ano, e portanto aquela besta não tem que se preocupar em tomar banho apenas uma vez por mês…

Ou seja: segundo a classe política da União Europeia, “ajudar a Ucrânia” significa “retornar à Idade Média”… é esta a mensagem que é passada, pela elite neognóstica e puritana, aos povos da Europa.

Esta gente tem que ser afastada do Poder, nem que seja à custa de violência. Não podemos permitir que uma determinada classe política defenda a ideia de que o povo tem regredir à Idade Média (ou mesmo à Idade da Pedra) para assim alimentar o desequilíbrio mental colectivo de uma elite neognóstica radical (a Esquerda Neanderthal), ambiciosa de Poder absolutista.


Siga-me no Twitter, no Telegram, no Gettr ou no Gab

Sábado, 26 Março 2022

Helena Damião, a coimbrinha

Filed under: Aquecimentismo,Helena Damião,Rerum Natura — O. Braga @ 8:43 pm

A primeira vez que ouvi falar em “Aquecimento Global” foi em Coimbra (há cerca de 30 anos), em uma grande moradia de uma família riquíssima de médicos proprietários de várias herdades nas Beiras. Foi a primeira vez que ouvi falar no “El Niño”, à beira da enorme piscina da mansão.

Existe uma cultura coimbrinha desprezível — de que a Helena Damião (e os protagonistas do Rerum Natura, em geral)  é uma eloquente testemunha — que pretende, de certa forma e de um modo “tuga”, emular a cultura de Hollywood.

guterres-costa-taxamos o ar-web

O contributo dos coimbrinhas para uma certa elite de Esquerda (protagonizada, por exemplo, por Boaventura Sousa Santos, um dos mais representativos coimbrinhas vivos) foi um dos lastros mais importantes na formação do Bloco de Esquerda e da actual facção mais radical do Partido Socialista.


“O ‘imbecil colectivo’ é uma comunidade de pessoas de inteligência normal ou superior que se reúnem com o propósito de imbecilizar-se umas às outras”.

→ Olavo de Carvalho


Numa altura em que o preço da gasolina ultrapassa já em muito os 2 Euros por litro, a coimbrinha Helena Damião vem a terreiro pedir que se aumente ainda mais o preço da gasolina — porque coimbrinha que se preza tem sempre dinheiro para pagar o litro da gasolina a 10 Euros, se for preciso.

“¿E o povo?!!! — Ora essa! Se não têm pão, que comam brioches!”

maria antonieta web

Sexta-feira, 25 Março 2022

O futuro rosa e os “amanhãs que cantam” da energia verde: o ecologismo esquerdopata que demonstrou ser ruinoso para a sociedade

O Henrique Sousa escreve acerca “Da traição alemã com a Rússia”, que serve de premissa para este verbete.


Esquerda Neanderthal web

Perante uma falsa emergência climática, que alegadamente pretende “salvar o planeta” mas que, em boa verdade, apenas pretende acabar com a liberdade económica (e com a liberdade em geral), os políticos de quase todos os países europeus adoptaram uma política energética demencial, penalizando as energias nuclear e fóssil, mentindo aos seus povos acerca de uma putativa “energia verde” que não só é mais instável e prejudicial para os interesses geo-estratégicos do continente europeu (que se vê, assim à mercê de tiranos como Putin), mas que é também muitíssimo mais cara. (more…)

Sexta-feira, 18 Março 2022

O aquecimentismo e a manipulação me®diática

greta judith web

Visite o blogue de Judith Curry em https://judithcurry.com/

Segunda-feira, 14 Março 2022

O carro eléctrico é um roubo mascarado com muitas pretensas virtudes

Filed under: Aquecimentismo,aquecimento global antropogénico — O. Braga @ 10:42 am

¿ Quanto custa a substituição da bateria de um carro eléctrico?

carros electricos china webPor exemplo, a bateria para o novo modelo do Volkswagen Golf eléctrico custa 20.000 Euros — mais ou menos o mesmo preço da bateria para um Tesla 5.

O novo modelo Volkswagen E-Golf, comprado novo, custa cerca de 35.000 Euros; ou seja, o custo da substituição da bateria, no caso do novo E-Golf, é superior à metade do custo do carro eléctrico novo.

¿Quanto tempo dura uma bateria para o novo modelo do E-Golf ?

Segundo os fabricantes, uma bateria para um carro eléctrico dura (salvo excepções, que podem ser mais que muitas) pelo menos (dizem eles) 8 anos ou 100.000 quilómetros.

Ou seja, ao fim de 8 anos ou de 100.000 quilómetros, a probabilidade de o consumidor gastar metade do valor do carro novo, na compra de uma nova bateria, é muito grande.

Em contraponto, se eu comprar um VW Golf com motor a diesel, este carro pode perfeitamente durar 20 anos sem que o motor tenha qualquer tipo de problema.

E mais: ao fim de 20 anos, rectifico o motor (gasto cerca de 2.000 Euros na rectificação de um motor a diesel) e tenho um carro para mais 10 anos….

O carro eléctrico é um grande negócio para os fabricantes de automóveis, mas é um péssimo negócio para os consumidores.

O carro eléctrico é um roubo mascarado com muitas pretensas e alegadas virtudes.

Quinta-feira, 10 Fevereiro 2022

A próxima luta da Esquerda Neanderthal: proibir o cidadão de respirar muito, para não gastar o ar

O raciocínio da Esquerda Neanderthal é o seguinte: o risco de apanhares uma miocardite (por exemplo, nos jogadores de futebol) não vem das vacinas de tipo mRNA que induzem uma imunodeficiência; em vez disso, a miocardite que venhas a sofrer é consequência de respirares muito, durante o dia: vais ter que respirar menos, para poupar o ar e salvar o planeta.

salvar o ar web

Domingo, 6 Fevereiro 2022

A foto-símbolo do novo tipo de fascismo globalista: a aliança entre os plutocratas globalistas e as esquerdas locais

A aliança entre os plutocratas globalistas e as esquerdas locais — representadas, na fotografia, por George Soros, um bilionário judeu, por um lado, e, por outro lado, por Greta Thunberg, filha de pais comunistas suecos.

simbolo do fascismo global  web

Esta aliança (entre a plutocracia globalista e as esquerdas nacionais), preconizada na década de 1970 pelo judeu Henry Kissinger, tem como objectivo a sinificação do mundo: inspira-se no modelo político totalitário chinês para a governação globalista do mundo (em que os muito ricos vivem à parte dos demais), modelo esse que é defendido pelo "World Economic Forum" de Klaus Schwab.

Alguns discípulos e e defensores do fascismo globalista defendido pelo "World Economic Forum" de Klaus Schwab:

  • Jacinda Ardern, primeira-ministra da Nova Zelândia;
  • Justin Trudeau, notório filho-de-puta e primeiro-ministro do Canadá;
  • Emmanuel Macron, o jupiteriano presidente de França;
  • Boris Johnson, primeiro-ministro despenteado e judeu do Reino Unido;
  • Sebastien Kurz, ex-chanceler fascista da Áustria;
  • Alexander De Croo, primeiro-ministro da Bélgica;
  • Ursula von der Leyen, chefe da União Europeia;
  • Christine Lagarde, chefe do BCE [Banco Central Europeu];
  • Olaf Scholz, chanceler da Alemanha;
  • Mario Draghi, primeiro-ministro não-eleito de Itália;
  • Joe Biden, presidente fraudulentamente “eleito” dos Estados Unidos;
  • O “papa” Chico, o liquidatário satânico da Igreja Católica;

— isto para só citar os mais importantes. Deste grupo faz parte o Monhé das Cobras, e dele faria parte Rui Rio se fosse eleito primeiro-ministro. Marcelo Rebelo de Sousa também faz parte desta comandita.

Terça-feira, 23 Novembro 2021

A estratégia Socratina do monhé das cobras

Filed under: Aquecimentismo,josé sócrates,Monhé Costa,monhé das cobras — O. Braga @ 9:53 am

Domingo, 21 Novembro 2021

A taxa de carbono, e o FDP do monhé manhoso!

Filed under: António Costa,Aquecimentismo,Monhé Costa,monhé das cobras — O. Braga @ 11:22 am

Sábado, 20 Novembro 2021

Estamos a ser roubados pelas elites!

Filed under: Aquecimentismo,aquecimento global antropogénico — O. Braga @ 3:50 pm

Em finais da década de 1980, antes do colapso da URSS, o líderes soviéticos propagandeavam o slogan segundo o qual “é preciso mais socialismo para salvar o regime socialista”.

De um modo semelhante, um tal João Quintela Cavaleiro (mais um que assina com três nomes!, porque é chiquérrimo!) defende a ideia de que “é preciso mais energias renováveis para salvar as energias renováveis”.


Sobre este assunto, ler este artigo. Porém, há um pequeno detalhe no texto que convém esclarecer:

“Quanto maior a utilização, maior a produção e menor o custo da energia eléctrica. Com uma utilização a tender para zero o custo da energia tende para infinito e haverá um valor mínimo da utilização abaixo do qual as centrais que usam combustíveis onerosos passam a não conseguir competir no mercado eléctrico onde se inserem.

Antes do aparecimento das “eólicas”, as centrais térmicas (a carvão) tinham utilizações de 50 ou 60% que permitiam produzir energia eléctrica a 50€/MWh. O aparecimento das “eólicas”, que passaram a ter prioridade de entrada na rede (tarifas feed-in) e beneficiaram de preços políticos de estímulo que excediam largamente o valor de mercado (chegando a mais de 300€/MWh nalguns contratos), acarretou a redução da utilização das centrais fósseis e consequente aumento do custo da sua energia.”

Quando as energias ditas “renováveis” são subsidiadas (à moda da ex-URSS) com o dinheiro dos contribuintes, segue-se que, em boa verdade, não há nenhum aumento real de custos da energia das centrais térmicas — porque o povão está a pagar, através do Orçamento de Estado, um preço extra pela produção das energias ditas renováveis.

Portanto, a ideia referida no texto segundo a qual “o carvão já sucumbiu às eólicas”, é falsa — a não ser que se considere que a subsidiação da produção de energia eólica vai de encontro dos requisitos necessários impostos pelas leis de mercado.

Em boa verdade, o carvão não sucumbiu às eólicas: o povão é que está ser enganado e roubado pelo Estado.

rolls royce nuclear web

A Rolls Royce lançou (no Reino Unido) um módulo de uma pequena central nuclear que tem um custo de 2 mil milhões de Euros por unidade. O governo britânico está já a construir 16 destas pequenas unidades nucleares no país, e está prevista a construção de mais 30 unidades brevemente. Ou seja: lá se vai o argumento da primazia das eólicas pela sanita abaixo…!

Porém, há aqui um enorme problema: os que defendem as “renováveis” — Bloco de Esquerda, PAN (Pessoas-Animais-Natureza), PEV (Partido Comunista), Partido Socialista, ou seja, a maioria da Esquerda — são contra o nuclear.

Portanto, o que a Esquerda pretende não é resolver o problema da dependência dos combustíveis fósseis: em vez disso, que a Esquerda pretende é fortalecer o poder do Estado através do controlo artificial dos preços da energia, e instaurar um novo tipo de regime fascizante e autoritarista (sinificação).

Página seguinte »

%d bloggers like this: