perspectivas

Segunda-feira, 4 Julho 2022

O ecologismo progressista em uma imagem

Filed under: ecofascismo,ecofundamentalismo,Esquerda Neanderthal — O. Braga @ 9:13 am

ecologismo progressista web

Domingo, 5 Junho 2022

A RTP e o alarmismo escatológico e soteriológico do “Arrependei-vos!, vem aí o fim do mundo!”, alegadamente devido ao Aquecimento Global Antropogénico infanticida

É uma questão de tempo. Os actuais responsáveis pela RTP terão que ser julgados pelos tribunais; e se já não estiverem vivos, serão julgados pelos manuais de História, e serão a vergonha dos seus próprios descendentes.


“A estatística é a ferramenta de quem renuncia a compreender para poder manipular.”

Nicolás Gómez Dávila 


pordata fraude

E o mesmo se aplica à PORDATA, fundada pelo malogrado Alexandre Soares dos Santos que apoiou sempre e explicitamente a agenda política e ideológica da extrema-esquerda portuguesa, em uma aliança contra-natura entre a Esquerda Neanderthal e o grande capital.

Na PORDATA, as estatísticas conduzidas pela Esquerda Neanderthal são feitas propositadamente para enganar o povo português: a ideia propalada pela PORDATA segundo a qual as temperaturas em Portugal são hoje mais altas em 2,1 graus centígrados do que em 1970, é uma manipulação estatística escandalosa. E ninguém tem a coragem de vir a terreiro denunciar a desinformação que a PORDATA (assessorada pela RTP) veicula.

ecotop-web

Fascist Ecology: The "Green Wing" of the Nazi Party and its Historical Antecedents

Recordo que a PORDATA e a Fundação de Alexandre Soares dos Santos promoveram, em um passado recente, publicações de ideólogos da extrema-esquerda que defendiam a eutanásia, a legalização do infanticídio (na sequência das ideias de Peter Singer: por exemplo, Pedro Galvão que publicou um livrinho na Fundação do Alexandre Soares dos Santos, com o título “Ética Com Razões”, em que o autor do opúsculo defende a legalização do “aborto de uma criança já nascida”), o eugenismo, etc.


Um exemplo de manipulação estatística: a NASA diz que o continente antárctico está a perder 147 Gigatonnes de gelo por ano :
(1 Gigatonne = 1 mil milhões de metros cúbicos).

Naturalmente que esta notícia alarma os povos do mundo; e o Carlos Fiolhais (do Rerum Natura)  fica orgulhoso por (alegadamente) ter razão.

Porém, acontece que a Antárctida tem estimados 27 milhões de Gigatonnes de gelo — o que significa que a actual perda anual de gelo é de 0,0005%, e o que significa que a Antárctida ficará sem gelo daqui a 200.000 anos…! — e isto se o misantropo Carlos Fiolhais tiver razão quando diz que o Aquecimento Global Antropogénico é inevitável e perene, enquanto existirem seres humanos no planeta!

Nos Estados Unidos, ¼ dos casais sem filhos diz que não tem filhos por causa do Aquecimento Global Antropogénico — e o misantropo Carlos Fiolhais esfrega as mãos de contente!

Estes ideólogos radicais não são pessoas de bem, e terão que ser julgados em juízo de Direito, por fraude e alarme social.

Quinta-feira, 14 Abril 2022

Vem aí uma recessão económica na zona Euro. E quem se lixa é o mexilhão.

Filed under: ecofascismo,ecofundamentalismo,economia política,Globalismo — O. Braga @ 10:31 am

Com uma recessão económica na zona Euro, toda a gente vai perder — incluindo os países da OPEP.

O aumento do preço do petróleo já vinha de antes da invasão da Rússia à Ucrânia: a Esquerda, na União Europeia (que inclui os partidos sociais-democratas e mesmo o partido da “direitinha” de Angela Merkel ), conseguiu guindar artificialmente o preço do Brent para os 100 US Dollars o barril — este é o preço “fetiche” do petróleo preconizado pelos antónios guterres deste mundo…

O Brent teve um aumento de 28% desde há três meses (ainda não havia guerra)… um aumento de 61% no último ano (ainda não havia guerra)…e apenas 1% no último mês (depois da invasão russa da Ucrânia). Portanto, os grandes aumentos do crude já se verificavam antes da guerra na Ucrânia.

Os actuais preços dos combustíveis (nas bombas) são artificiais, ou seja, foram criados e fomentados pela elite globalista que controla os Estados.

Por outro lado, a chamada “bazuca” da União Europeia (mais "Quantitative Easing" na zona Euro) soma-se à inflação natural causada pelo aumento artificial dos preços dos combustíveis. A elite globalista está a f*der o nível de vida dos povos da Europa, causando propositadamente uma inflação cujas consequências são difíceis de quantificar neste momento, e com o intuito de potenciar mais-valias e sacar da economia à fartazana.

O resultado da sobreposição da inflação causada pelo aumento artificial dos combustíveis + a inflação propositada causada pelo "Quantitative Easing" brutal (a “bazuca” europeia), é uma recessão que se aproxima.

Tomem nota. Vem aí uma tempestade perfeita. E quem se lixa é o mexilhão.

Sexta-feira, 25 Março 2022

O futuro rosa e os “amanhãs que cantam” da energia verde: o ecologismo esquerdopata que demonstrou ser ruinoso para a sociedade

O Henrique Sousa escreve acerca “Da traição alemã com a Rússia”, que serve de premissa para este verbete.


Esquerda Neanderthal web

Perante uma falsa emergência climática, que alegadamente pretende “salvar o planeta” mas que, em boa verdade, apenas pretende acabar com a liberdade económica (e com a liberdade em geral), os políticos de quase todos os países europeus adoptaram uma política energética demencial, penalizando as energias nuclear e fóssil, mentindo aos seus povos acerca de uma putativa “energia verde” que não só é mais instável e prejudicial para os interesses geo-estratégicos do continente europeu (que se vê, assim à mercê de tiranos como Putin), mas que é também muitíssimo mais cara. (more…)

Segunda-feira, 29 Novembro 2021

Não tarda muito, e os peixes irão ser considerados “sensientes”

Filed under: ecofascismo,ecofundamentalismo — O. Braga @ 7:19 pm

A agenda política minoritária dos vegetarianos e dos Vegan avança: no Reino Unido, os moluscos e os crustáceos marinhos são considerados “sensientes”, e por isso, passam a ser protegidos por lei.

sensientes web

O consumo de polvo, lagosta, caranguejo, etc., poderá ser proibido no futuro próximo.

Sexta-feira, 22 Outubro 2021

João Pedro Matos Fernandes para a cadeia, já !!!

Filed under: animalismo,Aquecimentismo,ecofascismo,ecofundamentalismo — O. Braga @ 6:43 pm

Domingo, 17 Outubro 2021

O exemplo da política “ecológica” alemã que Portugal devera seguir: meia dúzia de bicicletas e “um mundo melhor”

A cidade alemã de Berlim é controlada politicamente pelo partido ecologista “Die Gruenen”, que resolveu mandar cortar 61 árvores de uma determinada rua da cidade, com o intuito de ali construir uma pista “ecológica” para bicicletas.

Depois de os “ecologistas” mandarem cortar as árvores, chegaram à conclusão de que não era necessário construir a pista para as bicicletas.

rua conde de avranches web

Ora, este é um bom exemplo que o Rui Moreira deveria seguir na cidade do Porto: não há nada mais “ecológico” do que cortar as árvores das ruas da cidade para construir pistas de ciclismo achinesadas por todo o lado.

Por exemplo, o ecologista Rui Moreira destruiu a beleza da rua Conde de Avranches, no Porto, para construir uma ciclovia por onde passam meia dúzia de bicicletas por dia! “Seis bicicletas por dia, e um mundo melhor …!”

O caso Selminho transformou o Rui Moreira em um “ecologista”, da noite para o dia. Ele há milagres do diabo…!

rua conde de avranches ecologica web

Quarta-feira, 31 Julho 2019

A hipocrisia das palhinhas de plástico dos restaurantes de hambúrgueres McDonalds

mcdonalds-palhinhasHá muito tempo que não eu não entrava num restaurante McDonalds; hoje entrei e pedi um hambúrguer e uma cola zero.

Quando me sentei para comer, verifiquei que o copo (de plástico) com a coca-cola, não trazia a necessária palhinha (de plástico).

Fui ao balcão pedir a palhinha, e disseram-me que o McDonalds já não fornece a palhinha aos clientes (porque a palhinha pode furar um olho a uma tartaruga marinha). Mas, diz-me a funcionária, que eu posso ir buscar uma palhinha “ali ao lado do micro-ondas”.

Ou seja, o McDonalds não fornece palhinhas de plástico (porque a palhinha pode furar o olho-do-cu de uma marmota), mas podemos ir buscar a palhinha (que o McDonalds não fornece) “ali ao lado do micro-ondas”.

Em suma: por um lado, o McDonalds não fornece palhinhas; mas, por outro lado, o McDonalds fornece palhinhas.

Note-se que a cadeia de fast-food McDonalds simboliza o píncaro do sistema capitalista. Ora, é esta hipocrisia “ecologista”, oriunda da Esquerda mais radical, que é adoptada religiosamente pelos herdeiros do capitalismo americano.

Segunda-feira, 22 Abril 2013

A utopia eólica

Filed under: ecofascismo — O. Braga @ 11:46 am

“In fall 2012, Copenhagen laid out an ambitious plan to become the world’s first carbon neutral capital by 2025. There’s still a long way to go, but as reporter Justin Gerdes tells host Steve Curwood, the Danish city has made great progress, with an ocean-water cooling system up and running, a bike super-highway and of course, many windmills.”

Carbon Neutral Capital ( H/T )

O hilariante no artigo é a fotografia que mostra os moinhos de vento num primeiro plano, mas atrás vemos uma usina de produção eléctrica a carvão.

copenhaga web

Segunda-feira, 15 Abril 2013

As profecias da Greenpeace

Filed under: ecofascismo,politicamente correcto — O. Braga @ 9:10 am

Há vinte anos, a Greenpeace dizia que o seu objectivo era acabar com o uso do petróleo em 2013.

 

greenpeace web

Domingo, 14 Abril 2013

Dois mitos em oposição

1/ “I would point out that if you’re a believer in the Bible, one would have to say the Great Flood is an example of climate change and that certainly wasn’t because mankind had overdeveloped hydrocarbon energy.” (via)

2/ In fact, natural climate change in the distant past offers the most precise evidence there is for man-made climate change today. That’s why climate scientists spend so much time and effort trying to extract ancient gasses trapped in Arctic ice bubbles or in the calcium carbonate shells of fossilized amoebas on the ocean floor, so that they can better understand the relationship between the composition of the atmosphere and the temperature of the globe. (via)


Os “aquecimentistas” usam o mito bíblico da Arca de Noé transcrito à letra (no primeiro caso) para fazer propaganda de um segundo mito: o do aquecimento global antropogénico. Ambos os mitos são instrumentalizados pela política, mas o Desidério Murcho parece que só vem um deles (só vê para um lado, o que é próprio dos vesgos ideológicos).

Mas o mito bíblico (o primeiro), neste contexto, tem mais razão de ser (pertinência) do que o mito aquecimentista, por uma razão: não cabe a ciência perguntar porquê; cabe à ciência saber se o aquecimento global se verifica, ou não. O porquê já não é ciência; pode ser parte da politica (como é o caso), ou noutros casos da metafísica. A ciência não tem que fazer política, nem tem que se imiscuir na ética. E até agora a ciência não conseguiu confirmar a existência de um aquecimento global, e muito menos antropogénico.

Quem fez, em primeiro lugar, a analogia negativa entre o mito do dilúvio bíblico e a teoria do aquecimento global, incorre em falácia; e quem denuncia essa analogia tentando impor outro mito, incorre em sofisma. Só que o último mito é ainda mais perigoso do que o primeiro, porque defende através dele as engenharias sociais, a inversão da ética e da moral, e a alteração (impossível) dos fundamentos da natureza humana.

« When the episteme is ruined, men do not stop talking about politics; but they now must express themselves in the mode of doxa. » — Eric Voegelin

Quinta-feira, 14 Março 2013

Richard Dawkins diz que um feto humano tem menos valor do que um porco

As opiniões de Richard Dawkins, ou de outro burro qualquer, não me incomodam. Sempre existiram burros, e como escreveu C. Cipolla, a percentagem de estúpidos em circulação é sensivelmente idêntica em todas as sociedades de todas as épocas. O que me incomoda é caixa de ressonância dos me®dia: algumas das vezes acrítica, porque entre os pasquins — como, por exemplo, o jornal Público — a percentagem de estúpidos é superior ao normal; outras vezes propositada quando alinhada com um certo niilismo ético de uma política cultural de “terra queimada”.

dawkins and freud webQuando dizemos que “aquele animal sente dor”, essa nossa constatação é intuitiva.

Do ponto de vista estritamente do método científico positivista, nenhum cientista pode verificar e confirmar que um animal sente dor. O cientista pode inferir a dor de um animal, mas essa inferência tem origem intuitiva, e não uma origem estritamente científica no sentido de verificação empírica e positivista.
A presumível dor de um ser não é um critério científico — em sentido estrito do método científico — para estabelecer razões para o aborto ou para a eutanásia. A constatação da dor de um qualquer ser é intuitiva, e por isso, do domínio da ética, e logo, do domínio da filosofia. Quando a ciência diz que “um feto humano não sente dor”, incorre em um grave erro e abuso metodológicos.

Por isso é que Richard Dawkins é burro, porque ele deveria estar concentrado na biologia em vez de se meter pela filosofia adentro. Porém, para além de burro, é estúpido, porque ele consegue intuir a dor de um animal qualquer, mas já não consegue intuir a presença de um ser humano num feto humano.

Página seguinte »

%d bloggers like this: