perspectivas

Terça-feira, 24 Setembro 2019

É legítimo eliminar fisicamente os políticos que defendem a imigração desordenada

Filed under: Europa,França,Globalismo,imigração,Macron,União Europeia — O. Braga @ 6:38 pm

As imagens que vemos (acima) são de Paris; imigrantes ilegais africanos, amigos do Macron, assassinam cidadãos franceses que se recusem a ser roubados em plena via pública.

Os responsáveis políticos pelo inferno social e moral por que passam hoje os cidadãos europeus (em geral) terão que pagar pelos actos que cometeram.

E dado que não é possível uma condenação judicial — porque o sistema judicial está corrompido até à medula —, segue-se que se torna legítimo a eliminação física dos principais responsáveis políticos pela catástrofe social, económica, cultural, que a imigração desordenada trouxe aos países da União Europeia.

Segunda-feira, 9 Setembro 2019

O primeiro dia de escola, em França

Filed under: Europa,França,multiculturalismo,União Europeia — O. Braga @ 3:38 pm

Segunda-feira, 29 Abril 2019

O axioma da “razão suficiente”

Filed under: Europa — O. Braga @ 10:24 pm
Tags: , ,

 

“Nenhum facto pode ser verdadeiro ou real, ou nenhum juízo pode ser correcto, sem uma razão suficiente.”

Leibniz  

É praticamente unânime a consideração segundo a qual Leibniz e Newton foram dos europeus com mais elevado QI da História.

O princípio da “razão suficiente” [de Leibniz] é simplesmente genial, desde logo porque não se poderia deduzi-lo da experiência: este axioma foi e será sempre válido. A verdade deste axioma é intemporal: a sua verdade existe numa dimensão intemporal da consciência, na qual a Razão participa.

Ou seja, é pressuposta a validade daquilo que só deve ser comprovado pela dedução — independentemente do modo como os axiomas lógicos [que não são físicos!] surgiram ao longo da evolução humana, a validade desses axiomas transcende a realidade humana.


A ler:


“Mesmo que os axiomas de uma [qualquer] teoria [cientificamente válida] sejam formulados pelo ser humano, o sucesso de um tal empreendimento pressupõe uma elevada ordem do mundo objectivo, que não se podia esperar de maneira alguma. ”

→ Albert Einstein, “Worte in Zeit Und Raum”, 1992, pág. 92, Bonn.

Segunda-feira, 18 Março 2019

Dualidade de critérios das elites políticas a favor do Islão (1)

Filed under: Europa,Islamismo,islamização,islamofobismo,Islão,União Europeia — O. Braga @ 8:46 am

Sexta-feira, 15 Março 2019

Olho por olho, dente por dente (não há alternativa a isto, senão através de um totalitarismo)

 

Nunca ouvimos o turco Cerdogan criticar qualquer ataque terrorista islâmico contra os “cafres” na Europa. Jamais!. Mas quando aconteceu o ataque de hoje na Nova Zelândia contra os Maome(r)das, o turco Cerdogan veio amaldiçoar o perpetrador.

Os muçulmanos são como a perca africana: primeiro destroem o meio-ambiente em que vivem, matando todas as outras espécies de peixe; e quando só restam os da sua espécie, devoram-se uns aos outros.

Mas, ainda mais grave, é a atitude da classe política europeia em geral, e sobretudo a Esquerda. Quando aconteceu o ataque islâmico em Manchester contra crianças “cafres”, não vimos nem o Marcelo Rebelo de Sousa, nem a classe política portuguesa em geral, manifestar a sua repulsa nos canais de televisão: parece que a classe política europeia se resignou ao terrorismo Maome(r)das.

A classe política fala em “supremacia branca” quando se refere ao terrorista da Nova Zelândia, mas nunca se referiu à violência extrema do radicalismo Maome(r)das na Europa como sendo “supremacia islâmica”. Estamos entregues a uma classe política composta por filhos-de-puta.

Ora, esta dualidade de critérios por parte das elites ocidentais, perante a violência brutal do Maome(r)dismo, tem como consequência a radicalização de sinal contrário, tal como aconteceu hoje na Nova Zelândia. Mas ainda estamos no prelúdio deste processo político radicalizado — porque a crescente violência dos Maome(r)das na Europa vai implicar (mais tarde ou mais cedo) uma reacção radical dos “cafres” indígenas europeus.

Dutch professor integrate Muslims

A probabilidade de uma guerra civil na Europa é muito grande, porque é impossível a qualquer sociedade assimilar culturalmente pessoas oriundas de países islâmicos — a não ser que se institua na União Europeia um sistema totalitário do tipo chinês (sinificação), em que a repressão sobre os muçulmanos é brutal. Aliás, estamos já a caminhar para um totalitarismo na União Europeia.

Os muçulmanos são como a perca africana: primeiro destroem o meio-ambiente em que vivem, matando todas as outras espécies de peixe; e quando só restam os da sua espécie, devoram-se uns aos outros.

Terça-feira, 29 Janeiro 2019

O pesadelo da imigração ilegal na cidade de Bruxelas, Bélgica

Filed under: Europa,imigração,União Europeia — O. Braga @ 8:29 pm

 

Tal como acontece nos Estados Unidos, a Europa não precisa de mão-de-obra desqualificada (trabalhadores indiferenciados). Os imigrantes económicos ilegais que os políticos globalistas (aliados aos trotskistas) deixam entrar na Europa, constituem um peso financeiro enorme para a sociedade.

Segunda-feira, 28 Janeiro 2019

Os imigrantes ilegais, coitadinhos, chegam às costas da Europa muito sofridos

Filed under: Europa,imigração — O. Braga @ 5:31 pm

 

Os imigrantes ilegais, coitadinhos, chegam às costas da Europa sujeitos às ondas alterosas e ao tempo frio, e com muitas crianças a bordo — ou com mar calmo, banhos de sol, maioria de machos com auscultadores e telemóveis de última geração.

 

Sábado, 19 Janeiro 2019

Tomem nota: podemos muito bem mandar bugiar a “democracia europeísta”

Filed under: Europa — O. Braga @ 9:00 pm
Tags: ,

 

«Um homem honesto apaixona-se por uma mulher honesta; ele quer, por isso, casar-se com ela, ser o pai dos seus filhos, e ser a segurança da família.

Todos os sistemas de governo devem ser testados no sentido de se saber se ele pode conseguir este objectivo. Se um determinado sistema — seja feudal, servil, ou bárbaro — lhe dá, de facto, a possibilidade da sua porção de terra para que ele a possa trabalhar, então esse sistema transporta em si próprio a essência da liberdade e da justiça.

Se qualquer sistema — republicano, mercantil, ou eugenista — lhe dá um salário tão pequeno que ele não consiga o seu objectivo, então transporta consigo a essência de uma tirania eterna e vergonha».

— G. K. Chesterton, “Illustrated London News”, Março de 1911.

Se um determinado sistema político — por exemplo, corporativista, Salazarista, autocrata e nacionalista — dá a possibilidade de um homem honesto constituir família e ser pai dos filhos de uma mulher honesta; e, simultaneamente, deparamo-nos com a impossibilidade de um sistema dito “democrático” e “europeísta” conseguir esse objectivo para o comum dos cidadãos, então o primeiro sistema “transporta em si próprio a essência da liberdade e da justiça”.

É no sentido dado por G. K. Chesterton que concordo com a Raquel Varela, e só neste sentido: o melhor sistema político é o que melhor garante a continuidade da sociedade e a dignidade mínima devida ao cidadão.

Uma “democracia europeísta” que humilha os cidadãos pode ser muito mais tirânica e vergonhosa do que uma autocracia que se preocupa com a defesa da família e com a continuidade da sociedade.

A gratidão dos Maome(r)das na Suécia

Filed under: Europa,imigração,islamização,islamofobismo — O. Braga @ 4:46 pm
Tags: ,

 

A foto abaixo revela o que se passou recentemente na localidade sueca de Fröjel, na região de Gotland.

Os imigrantes muçulmanos, agradecidos, mandam os seus filhos bloquear uma estrada, em protesto por terem sido acolhidos na região de Gotland que eles consideram remota e fria.

Os suecos dão-lhes um tecto, comida, dinheiro para gastar e roupa quentinha, e é assim que os Maome(r)das demonstram a sua gratidão ao povo sueco.

maomerdas-na-suecia-web

Mais cientistas e técnicos altamente especializados a caminho da Europa

Filed under: Angela Merkel,Europa,imigração,islamização,islamofobismo — O. Braga @ 4:11 pm

 

O enriquecimento cultural da Europa continua, com o “ouro humano” da Angela Merkel que são os cientistas e técnicos especializados oriundos do norte de África — incluindo a música, que pede meças a Mozart, Haydn, Chopin, ou Bach: perante este tipo de música harmoniosa, não podemos deixar de nos sentir perto do paraíso e das 72 virgens dadas pelo Alá.

 

Domingo, 16 Dezembro 2018

Manif de protesto em Bruxelas contra a adopção do Pacto de Imigração da ONU do Guterres

Filed under: Europa,Globalismo — O. Braga @ 4:18 pm

 

Sexta-feira, 14 Dezembro 2018

A Esquerda, o ódio aos brancos, o genocídio e a substituição demográfica

Filed under: Europa,imigração — O. Braga @ 6:29 pm

 

genocidio-branco-web

Página seguinte »

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: