perspectivas

Domingo, 23 Junho 2019

A vantagem de ser Maomerda

Filed under: Islamismo,islamização,Islamofascismo,islamofobismo,Islão — O. Braga @ 7:26 pm

vantagem de ser maomerda-web

Anúncios

O Paquistão informa que vai censurar este blogue

Filed under: Islamismo,islamização,Islamofascismo,islamofobismo,Islão — O. Braga @ 7:02 pm

Recebi um email dos serviços do WordPress informando-me que o Paquistão bloqueou o acesso a este blogue por causa de uma imagem aqui publicada. Segue referida imagem do email do WordPress:

pakistan-web

A imagem que o Paquistão não gosta e censura é a seguinte:

maome

Aproveito o ensejo para informar o Paquistão (e o Afeganistão, e o Azerbaijão, e os OutrosQueParaLáEstão) do seguinte:

— Ide para a vossa grandessíssima alternadíssima que vos pariu!

Segunda-feira, 22 Abril 2019

O Islão é uma religião satânica

Filed under: Islamismo,islamização,Islamofascismo,islamofobismo,Islão — O. Braga @ 1:38 pm

 

A possibilidade de uma pessoa se auto-explodir diminui drasticamente quando ela come carne de porco.


« He wanted to maximize the carnage; his god promised Paradise for those who “kill and are killed” for him (Qur’an 9:111), so he might have thought he could increase the reward he would receive by killing as many people as possible.»

Sri Lanka: Jihad murderer Mohamed Azzam Mohamed blew himself up in busy Easter Sunday hotel buffet line

Segunda-feira, 18 Março 2019

Dualidade de critérios das elites políticas a favor do Islão (2)

 

Vemos na primeira imagem a reacção do esquerdista Corbyn ao massacre de “cafres” em Manchester por parte dos supremacistas islâmicos.

E na segunda imagem vemos a reacção da dita avantesma em relação ao recente massacre de muçulmanos na Nova Zelândia . 

Este é apenas um dos muitos exemplos da atitude enviesada das elites de Esquerda em relação ao Islão.

Corbyn-1-web)

Corbyn-2-web

Dualidade de critérios das elites políticas a favor do Islão (1)

Filed under: Europa,Islamismo,islamização,islamofobismo,Islão,União Europeia — O. Braga @ 8:46 am

Sexta-feira, 15 Março 2019

Olho por olho, dente por dente (não há alternativa a isto, senão através de um totalitarismo)

 

Nunca ouvimos o turco Cerdogan criticar qualquer ataque terrorista islâmico contra os “cafres” na Europa. Jamais!. Mas quando aconteceu o ataque de hoje na Nova Zelândia contra os Maome(r)das, o turco Cerdogan veio amaldiçoar o perpetrador.

Os muçulmanos são como a perca africana: primeiro destroem o meio-ambiente em que vivem, matando todas as outras espécies de peixe; e quando só restam os da sua espécie, devoram-se uns aos outros.

Mas, ainda mais grave, é a atitude da classe política europeia em geral, e sobretudo a Esquerda. Quando aconteceu o ataque islâmico em Manchester contra crianças “cafres”, não vimos nem o Marcelo Rebelo de Sousa, nem a classe política portuguesa em geral, manifestar a sua repulsa nos canais de televisão: parece que a classe política europeia se resignou ao terrorismo Maome(r)das.

A classe política fala em “supremacia branca” quando se refere ao terrorista da Nova Zelândia, mas nunca se referiu à violência extrema do radicalismo Maome(r)das na Europa como sendo “supremacia islâmica”. Estamos entregues a uma classe política composta por filhos-de-puta.

Ora, esta dualidade de critérios por parte das elites ocidentais, perante a violência brutal do Maome(r)dismo, tem como consequência a radicalização de sinal contrário, tal como aconteceu hoje na Nova Zelândia. Mas ainda estamos no prelúdio deste processo político radicalizado — porque a crescente violência dos Maome(r)das na Europa vai implicar (mais tarde ou mais cedo) uma reacção radical dos “cafres” indígenas europeus.

Dutch professor integrate Muslims

A probabilidade de uma guerra civil na Europa é muito grande, porque é impossível a qualquer sociedade assimilar culturalmente pessoas oriundas de países islâmicos — a não ser que se institua na União Europeia um sistema totalitário do tipo chinês (sinificação), em que a repressão sobre os muçulmanos é brutal. Aliás, estamos já a caminhar para um totalitarismo na União Europeia.

Os muçulmanos são como a perca africana: primeiro destroem o meio-ambiente em que vivem, matando todas as outras espécies de peixe; e quando só restam os da sua espécie, devoram-se uns aos outros.

Quarta-feira, 2 Janeiro 2019

A celebração do Natal (cristão) ofende os muçulmanos

Uma mulher muçulmana (nos Estados Unidos), envergando o Niqab, diz que a celebração do Natal por parte dos cristãos ofende os muçulmanos; e por isso, diz ela, a celebração do Natal deve ser proibida.

Domingo, 30 Dezembro 2018

Alemanha: os imigrantes muçulmanos preparam a festa de Ano Novo

 

Quarta-feira, 12 Dezembro 2018

Ataque terrorista islâmico em Estrasburgo

 

França, hoje, cidade de Estrasburgo: cidadãos franceses prestam homenagem às vítimas do ataque terrorista islâmico, em um mercado de Natal da cidade.

 

Terça-feira, 4 Dezembro 2018

O taxista muçulmano

 

Um muçulmano taxista está proibido pelo Islão de transportar mulheres no carro; e mesmo sendo o cliente do sexo masculino, um taxista muçulmano está proibido de o transportar a um bar, ou a um clube, ou a uma discoteca, etc..

É disto que o Daniel Oliveira gosta… !

Sábado, 1 Dezembro 2018

O pasquineiro Daniel Oliveira, e a islamofobia contra o Daesh

 

Eu não tenho a certeza de que o Daniel Oliveira terá dito (ou escrito) o que está escarrapachado na imagem aqui ao lado; mas acredito que, vindo daquela avantesma, tudo é possível.

daniel-oliveira-daeshSendo verdade que ele escreveu ou afirmou o que está escrito, o Daniel Oliveira incorre na falácia da falsa dicotomia — o que revela, ou uma radical desonestidade intelectual, ou um notável retardamento cognitivo (ou as duas coisas).

Desde logo, o referido estafermo parte do princípio (implícito) de que o Daesh não faz parte do Islão — o que é absolutamente falso; ou seja, os dados da realidade objectiva são negados pelo “dito cujo”.

Poderíamos supôr que a referida cavalgadura de pasquim não conhece suficientemente o Islamismo; sendo assim, ¿por que razão não se cala?!

Qualquer europeu consciente não pretende “uma guerra contra o Islão”; o que pretende (e bem!) é proteger-se do Islão (o Islão é um princípio de ordem política!, ou seja, é uma ideologia política).

“Islamofobia” é o diabo que o carregue!, ¿ouviu?!, seu paspalho da pasquinagem!

Ao criar uma falsa dicotomia entre uma ideologia política (o Islamismo), por um lado, e os que suposta- e alegadamente se opõem a essa ideologia política, por outro lado, o Daniel Oliveira e os seus sequazes pretendem assumir o papel de “moderadores e superiores morais” de uma contenda que, realmente, não existe.

Vou dar um exemplo: imagine o leitor que alguém pega num taco de beisebol contra mim, e eu tento defender-me da agressão. O Daniel Oliveira viria dizer que eu sou parte do problema na medida em que eu me defendo da agressão; o agressor seria, na opinião do paspalhão, um “fundamentalista da paulada”; e eu seria um “agressófobo”.

O grande cabrão coloca na mesmo nível moral, o agressor e a possível vítima.


Como alguém escreveu no FaceBook:

« Os MARXISTAS têm de ser postos fora da vida política. ASSASSINARAM mais de 100 milhões de homens, mulheres e crianças, e querem obrigar a humanidade à sua utopia de mentira, ódio e morte. Até namoram o Islão para crucificar o CRISTIANISMO. »

Sexta-feira, 20 Julho 2018

Mais um ataque de um daqueles fanáticos da seita Amish

 

Desta vez foi em Lubeck, na Alemanha. A Angela Merkel está de parabéns.

Página seguinte »

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: