perspectivas

Segunda-feira, 29 Março 2010

Jesus ressuscitou

Ainda hoje ninguém sabe ao certo o que se passou no dia 13 de Outubro de 1917, nas cercanias da Cova da Iria, em Fátima. Milhares de pessoas dizem ter visto, por volta do meio-dia, “o sol dançar”. E as pessoas, hoje, perguntam: será que “o sol dançou” mesmo? Podemos responder: não sabemos ou não podemos afirmar com toda a certeza, porque não estivemos lá nesse dia para testemunhar a experiência daquelas milhares de pessoas que se reuniram naquele local pela fé comum (fé comum = experiência intersubjectiva).

Porém, temos que partir do princípio de que uma idêntica experiência vivida comummente por milhares de pessoas, a maior parte delas estranhas umas às outras, não se pode considerar como uma falsidade ou uma ilusão, porque se o considerássemos assim estaríamos à partida a considerar a nossa própria experiência subjectiva de vida como uma ilusão ― estaríamos a negar a nossa própria experiência subjectiva. Seria estúpido dizer-se que o que se passou naquele dia em Fátima não aconteceu de facto; o que podemos dizer é que a experiência intersubjectiva daquelas pessoas não foi compartilhada por outras pessoas, nomeadamente por nós.
(more…)

Terça-feira, 22 Dezembro 2009

A dissociação simbólica por parte do Iluminismo

« Muito do relativismo e da amoralidade reinantes não são propriamente crenças ou ideologias: são doenças da alma, adquiridas por esgotamento da inteligência moral. »

― Olavo de Carvalho in “A Demolição das Consciências”

Na sua obra “Ordem e História”, Eric Vögelin assinala o facto histórico evidente segundo o qual uma cultura pode abruptamente perder a sua capacidade de assimilar as noções mais profundas da realidade, devido a um processo de empobrecimento cultural que decorre de uma depauperação espiritual. Este fenómeno de empobrecimento cultural, segundo Eric Vögelin, ocorreu na Grécia Antiga na geração que se seguiu a Ésquilo, quando até o próprio Heródoto foi incapaz de compreender cabalmente os escritos de Homero. Este fenómeno de pauperismo cultural e espiritual abrupto deve-se ao “iluminismo” como fenómeno histórico genérico ― e não só ao nosso Iluminismo do século XVIII que teve as consequências que todos sabemos no materialismo basista e espiritualmente pobre do século XIX.
(more…)

%d bloggers like this: