perspectivas

Quarta-feira, 8 Julho 2009

Para Sarah Fawcett, o HPV foi fatal

Sara Fawcett

Sara Fawcett

Sarah Fawcett foi vítima do HPV, também conhecido como Vírus Papiloma Humano que é transmitido por via sexual. Contra o HPV, os preservativos não têm qualquer eficácia na protecção porque este vírus transmite-se através do simples contacto com a pele durante as relações sexuais.

Só nos Estados Unidos, um estudo efectuado revelou que uma em quatro mulheres, com idades entre os 14 e os 59 anos, estão infectadas com o HPV, ou seja, mais de 25 milhões de mulheres americanas.

A probabilidade destas mulheres poderem vir a desenvolver o cancro anal ― que foi a causa da morte de Sarah Fawcett ― ou o cancro do útero ou mesmo o cancro oral, acentua-se dramaticamente a partir dos 50 anos de idade. Noventa e nove porcento dos casos de cancro uterino deve-se à infecção com o HPV.

As vacinas contra o HPV apresentam vários inconvenientes:

Portanto, a melhor e única maneira de evitar a transmissão do HPV é através de uma cultura de estabilidade nas relações sexuais.
É isto que José Sócrates e a “ministra-sinistra” deveriam mandar ensinar às nossas crianças, em vez de distribuírem preservativos nas escolas que não são eficazes na prevenção da infecção com o HPV, ou defenderem as vacinas contra o HPV em crianças com 9, 10 ou 11 anos ― o que é criminoso.

%d bloggers like this: