perspectivas

Sábado, 3 Outubro 2009

Vai começar o inferno do leviatão europeu rumo ao totalitarismo

Filed under: Europa — O. Braga @ 12:38 pm
Tags: , , , ,

O segundo referendo na Irlanda aponta para a vitória do SIM. Se apontasse para o NÃO, já estaria anunciado um novo referendo.

leviataoO processo de aniquilação das nações europeias mais pequenas vai entrar em velocidade de cruzeiro, e a Europa do Directório dos 5 maiores países vai acelerar o processo de revisão do Tratado de Lisboa no sentido de transformar a Europa em um leviatão armado até aos dentes.

Os países pequenos que saíram a ganhar com Maastricht e Nice, começam agora a perder tudo o que ganharam; chegou a hora dos lobos.

A partir de agora, e no futuro, qualquer revolta militar na Irlanda, por exemplo, que ponha em causa a adesão ao Tratado de Lisboa, justificará a invasão do país — legitimada pelo Direito Internacional — de potências como a França e a Inglaterra. A mesma reacção portuguesa contra o Tratado, no futuro, legitimará a invasão de tropas espanholas com o beneplácito da União Europeia.

Ler:

Quinta-feira, 11 Dezembro 2008

A estratégia do “referendo do aborto” aplicada à Irlanda

Clique

Clique

O povo não quis o aborto num determinado referendo? Faz-se outro, e outro, e outro, até que o povo concorde em abortar à fartazana.

Esta forma de convencer o povo da sua mentecapcia é utilizada também na tentativa de modificar a opinião dos irlandeses. O povo irlandês disse “não” ao Tratado de Lisboa num referendo? Faz-se outro, e outro, quantos forem necessários, até que o povo se convença de que é estúpido.

Esta postura do Poder é uma característica da Pós-democracia. Os políticos podem ganhar o jogo, mas não convencem o povo, o que significa que estão derrotados a prazo.

Domingo, 15 Junho 2008

Balanço do “não” irlandês

As predicted recently by economist David McWilliams, the Lisbon Treaty result hinged very much on a question of class, and access to wealth. Yesterday’s result proved him not only to be right, but exposed the brutally the ignorance of the Irish and European political establishments to the needs and wants of the Irish people.

Esta análise no blogue Irish Bulletin é acertada. Do que se trata, quando discutimos o Tratado de Lisboa — e para além da perda de soberania e da humilhante subordinação nacional a interesses inconfessáveis –, é de uma questão de classes sociais. O Tratado de Lisboa transporta no seu bojo uma estratégia neoliberal radical de distanciamento progressivo de rendimentos entre ricos e pobres (países do norte e do sul, do centro e da periferia), com a agravante de tentar legitimar uma crescente injustiça social através da repressão autoritarista sancionada pelos governos que delegam o seu poder na União. O fenómeno irlandês não é isolado.

Those supporting Lisbon are the political and media establishments, the rich in their strictly Anglo-Irish bubble settlements, the pension-proud elderly, the cosmopolitan and those who have excelled in climbing the ladders of the civil service. (…) In one form or another, miserable and Masonic plans for a European superstate have been rejected by the people of Holland, France and now Ireland, and yet still they plot with the cards they still hold. And let’s not be under any illusion here – while the cards they hold are backed by the pokerfaces of the media, the legal and political professions and the world of high finance, as long as right-thinking people exist in large numbers, their foothold is as flimsy as a house of those same cards.

O que está em causa é a legitimação de uma elite plutocrata controlada pela maçonaria e a consolidação de uma nomenclatura social que a sustente, à custa de medidas repressoras que mantenham as classes mais baixas controladas através de uma repressão autoritária que se acentuará inexoravelmente, se o Tratado de Lisboa seguir em frente. Por isso, existe, de facto, um paralelismo entre a UE do leviatão e a ex-URSS; uma as diferenças é que o leviatão europeu ainda não está consumado nem consolidado, sendo ainda muito cedo para falarmos na brutalidade de um sistema que ainda não existe — mas os sinais estão todos lá para quem quer ver.

Domingo, 8 Junho 2008

Propaganda pelo SIM na Irlanda

Filed under: Europa,Referendo — O. Braga @ 9:58 am
Tags: , , , , , ,

«Aumenta a tua “gaita” e passa a ter uns bons “melões”: vota SIM ao Tratado de Lisboa.»

Via

%d bloggers like this: