perspectivas

Terça-feira, 10 Julho 2012

O cozinhado do Bosão de Higgs

Filed under: A vida custa,Ciência,gnosticismo — orlando braga @ 9:00 am
Tags: , , ,

THOMAS F. BERTONNEAU writes:

I want to tell you about an amazing new dinner product from the American food industry, Higgs Boson Helper. When added to absolutely nothing and placed in a casserole dish, Higgs Boson Helper immediately adds mass to your main course. It’s microwaveable and comes in four savory flavors: Muon, Gluon, Meson, and Quark. As Scarlet O’Hara said, “I’ll never be hungry again!”

via The Thinking Housewife › For the Very Busy Cook.

Segunda-feira, 9 Julho 2012

A habilidade retórica de Carlos Fiolhais

Filed under: Ciência — orlando braga @ 5:10 am
Tags: , , , ,

AP – Porque é que o bosão de Higgs recebeu a denominação de “partícula de Deus”?

CF – Uma brincadeira do físico Leon Lederman, que esteve há anos em Portugal a fazer uma palestra na Figueira da Foz. Deu o título de “partícula de Deus” a um livro que escreveu com um jornalista, provavelmente com o objetivo de maximizar as vendas do livro. A palavra pegou, apesar de ser despropositada.

Os físicos não chegaram mais perto de Deus com esta descoberta até porque o papel da física não é a aproximação a uma divindade.

via Carlos Fiolhais explica o que é o bosão de Higgs | Sul Informação.

Diz Carlos Fiolhais que “o papel da física não é a aproximação a uma divindade”. Mas o que o Carlos Fiolhais não diz é que — a julgar pelo papel desempenhado pelo blogue Rerum Natura em que ele colabora — o papel da ciência tem sido o de tentar provar que não é possível a aproximação a uma divindade.

A ciência pode eventualmente provar ou demonstrar que uma coisa existe ou que um determinado fenómeno faz parte da realidade; mas não pode provar que essa coisa não existe ou que esse fenómeno não faz parte da realidade. Quando a ciência pretende provar que partes da realidade não existem, entra pelo cientismo adentro — que é o que está a acontecer hoje, e mais do que nunca, com a ciência.

Esta entrevista de Carlos Fiolhais ficou guardada em PDF. Tenho boa memória.

Sábado, 7 Julho 2012

Um exemplo do “cristão bonzinho”, e “a partícula de Deus”

“Apesar de não ter visto muito apropriamento do tema por parte dos ateus, tenho visto alguns cristãos (poucos) a reagirem adversamente à descoberta da chamada “partícula de Deus” (i.e. o bosão de Higgs). Parece que algumas pessoas terão pensado que se trata de uma descoberta científica que refuta a existência de Deus.

Não é assim, de todo. E a prova está em que a Igreja Católica (na esteira daquilo que já é sua tradição) veio saudar entusiasticamente mais esta descoberta científica como uma contribuição positiva para a Humanidade.”

via Crónicas de uma peregrinação: A «PARTÍCULA DE DEUS».

O “cristão bonzinho” é aquele que, entre outras coisas perversas, colabora activamente com o cientismo, seguindo o princípio calvinista e revolucionário segundo o qual “quanto mais me batem e me martirizam, mais santo me torno”, e por isso, há que incentivar o martírio.

Se, para ser mártir, é mister que me crucifiquem, então há que incentivar os outros a proceder activamente no sentido da minha crucificação — trata-se de uma interpretação errada dos Evangelhos e da Paixão de Jesus Cristo.

Em primeiro lugar, o problema dos cristãos não é o “temer”, ou “não temer”, o bosão de Higgs. O problema é o de reagir, ou não, contra a atitude cientificista de o apelidar de “partícula de Deus”.

Em segundo lugar, não foi Higgs que alcunhou a sua putativa partícula de “partícula de Deus”. Antes, foi o prémio Nobel Leon Lederman. Existe uma intencionalidade metafísica por detrás desta nomenclatura que não pode ser negada senão por um idiota “cristão bonzinho”…

Em terceiro lugar, o que foi encontrado pela ciência foi uma “pegada” — um indício; uma evidência — de algo que pode ser a partícula de Higgs, mas que não se sabe ainda se é, de facto, a tal partícula de Higgs.

Em quarto lugar, e mesmo que se venha a demonstrar que a tal “pegada” é, de facto, a partícula de Higgs, tratar-se-ia de uma descoberta modesta que custou um balúrdio de dinheiro, e que apenas viria validar o chamado “Modelo Padrão” [ou Standard] da física quântica que exclui a força da Gravidade.

Vamos deixar de ser “cristãos bonzinhos” e adoptar o espírito crítico. O Cristianismo não é incompatível com o espírito crítico e com a Razão.

Quinta-feira, 5 Julho 2012

Bosão de Higgs ou gozão de Higgs?

Se a pegada encontrada pela ciência é referente à partícula de Higgs, ou seja, referente à tal partícula que é a “argamassa” das outras partículas e, por isso, é a “argamassa” da matéria — então qual é a “argamassa” da partícula de Higgs?

A ciência positivista anunciou que descobriu a pegada do gozão de Higgs, e os cientificistas da nossa praça — por exemplo, o blogue Rerum Natura — anunciaram que “depois de 200 mil anos a lidar com impostores, o Criador foi denunciado e exposto”. Aleluia!

Em primeiro lugar, será que a potência do supercollider utilizado no CERN é a necessária para “encontrar” o bosão de Higgs? Segundo a teoria [de campo unificada], a colisão necessária para encontrar o putativo bosão deveria ocorrer sob uma potência de 40 Tev (40 triliões de electrão-volt, sendo que “triliões” é segundo a numeração americana), embora a teoria não defina a massa da partícula de Higgs (?). Confuso? Nem por isso: é uma questão de culinária: juntam-se os ingredientes adequados para fazer o bolo certo, e depois dizes que o bolo já existia, tal e qual, na natureza.


(more…)

Quarta-feira, 4 Julho 2012

A ciência descobriu a pegada do bosão de Higgs

Filed under: A vida custa,Ciência,Esta gente vota,Europa — orlando braga @ 5:57 pm
Tags: , ,

A ciência diz que a pegada descoberta pode ser do bosão de Higgs e, por isso, é do bosão de Higgs.

Mas ainda assim, e apesar da certeza de que a pegada é do bosão de Higgs, a ciência diz que é preciso mais trabalho — e mais dinheiro dos contribuintes — para se ter a certeza de que a pegada é do bosão de Higgs.

A ciência diz que através da combinação de dois tipos de dados diferentes, chegou à conclusão de que a pegada é do bosão de Higgs e com um nível de certeza de “5-sigma” — o que significa que existe uma probabilidade em ≈ 10^7 [1 seguido de 7 zeros] de que a pegada que a ciência viu não apareceria se não existisse o bosão de Higgs. Mas, logo a seguir, a ciência chegou à conclusão de que uma total combinação de dados — e não apenas dos dois tipos diferentes referidos acima — reduziu a probabilidade para “4,9-sigma”, ou seja, ≈ 10^6 [1 seguido de 6 zeros].

O projecto da demanda do ouro alquímico do bosão de Higgs já custou aos cidadãos da Europa bilhões de bilhões de Euros, e agora que a ciência já encontrou a pegada, já se justifica que se gastem muitos mais bilhões de Euros para descobrir se o bosão de Higgs existe mesmo ou se é apenas uma certeza absoluta.

Segunda-feira, 2 Julho 2012

Bosão de Higgs: está na forja mais uma fraude cientificista

Sean M. Carroll, a California Institute of Technology physicist flying to Geneva for Wednesday’s announcement, said that if both ATLAS and CMS have independently reached these high thresholds on the Higgs boson, then “only the most curmudgeonly will not believe that they have found it.”

via News from The Associated Press.

Reparem como se mistura, aqui, ciência e política. E quando se mistura ciência e política, estamos em presença de cientismo. Reparem no discurso religioso exaltado e exaltante de António Piedade, digno de um Mulá radical islâmico.
(more…)

Sexta-feira, 30 Dezembro 2011

As partículas marotas de Higgs

Filed under: Quântica — orlando braga @ 6:10 pm
Tags: , , , ,

Parece que as partículas diabinhas de Higgs andam arredias e a fugir do LHC de Genebra… Humm … partículas marotas …! Malandrice…. !

Como é que uma onda quântica, em estado puro e não tendo massa, assume a forma de partícula elementar — que tem massa — conforme o princípio da complementaridade? Segundo o físico Higgs, é a partícula de Higgs que faz de “charneira” entre a onda quântica, por um lado, e a partícula elementar longeva, por outro lado, tornando possível que uma “coisa sem massa” [por definição: não-material], passe a ter massa [matéria].

Eu já fiz aqui a pergunta: por que carga de água é que andam à procura de uma partícula [que tem massa] ?

Se se procura “algo” que serve de “charneira” [ou de “intermediação”] entre aquilo que tem massa [uma partícula elementar] e aquilo que não tem massa [a onda quântica], porque raio é que se procura uma partícula?

Ou melhor perguntando: se eu procuro um objecto intermédio entre A e B, por que é que considero lógico procurar A ou B? Não seria mais lógico procurar algo diferente de A e/ou B — por exemplo, C?

E mesmo que, por absurdo, exista uma “partícula de Higgs”, esta não explicaria nada acerca da massa da Partícula Elementar Longeva: apenas descreveria parcialmente o processo da formação da massa da partícula; mas não o explicaria.

The Rubric Theme. Blog em WordPress.com.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 450 outros seguidores