perspectivas

Quarta-feira, 30 Outubro 2013

Hoje é um dia feliz para o curandeiro da RDP: a pedofilia passou a ser uma “orientação sexual”

 

juliomachadovazwebJúlio Machado Vaz irá certamente festejar: a pedofilia foi retirada do grupo das parafilias pela APA (Associação Americana de Psiquiatria) e considerada uma “orientação sexual”.

«In the fifth edition of the Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders (DSM V), the American Psychiatric Association (APA) drew a very distinct line between pedophilia and pedophilic disorder. Pedophilia refers to a sexual orientation or profession of sexual preference devoid of consummation, whereas pedophilic disorder is defined as a compulsion and is used in reference to individuals who act on their sexuality.»

Agora, já é possível a Júlio Machado Vaz defender a pedofilia em directo nas emissoras da rádio nacional. Deixa de existir a vergonha, porque a "ciência" sanciona positivamente a falta de vergonha. Júlio Machado Vaz não irá certamente perder esta ocasião de parecer moderno, actual, retrófobo e de vistas largas, mente aberta, virado para o futuro; e de cair bem nas hostes esquerdistas, habituadas à falácia ad Novitatem.

Naturalmente que ele irá dizer, aos microfones da RDP, que existe uma diferença entre a "orientação sexual" pedófila (que, por ser uma "orientação sexual", é absolutamente normal e não é uma doença mental ou parafilia), por um lado, e, por outro lado, a compulsão do pedófilo em “comer” criancinhas. Ou seja, segundo a nova norma do politicamente correcto, um pedófilo que não “coma” criancinhas é absolutamente normal. E quem sabe, com o “progresso da opinião pública”, o Júlio Machado Vaz ainda venha a ter a alegria de ver a "ciência" verificar e confirmar o acto pedófilo como um acto absolutamente normal: é tudo uma questão de ele continuar, com afinco, as ensaboadelas culturais na RDP no sentido do "progresso da opinião pública".

(more…)

Quinta-feira, 13 Junho 2013

As Pessoas Atraídas por Menores

Camaradas!

As Pessoas Atraídas por Menores têm sido, ao longo de centenas de milhares de anos, vítimas de estereótipos patriarcais, de estigmas e do medo. Chegou a altura de fazer valer o progresso da humanidade e libertar as Pessoas Atraídas por Menores do jugo despótico da sociedade patriarcal.

As Pessoas Atraídas por Menores têm o direito à sua orientação sexual, tal como os homossexuais têm. A orientação sexual das Pessoas Atraídas por Menores não é diferente da orientação sexual dos homossexuais e/ou dos heterossexuais. O Bloco de Esquerda bate-se sempre, e em toda a parte, pelos direitos humanos dos indivíduos e, neste caso, pelo direito à orientação sexual das Pessoas Atraídas por Menores.

Os maiores cientistas do mundo e do universo inteiro, patrocinados pelo Bloco de Esquerda, reuniram-se recentemente para denunciar a moral patriarcal e fascista, e demonstraram cientificamente que a palavra “pedofilia” foi inventada já no tempo do paleolítico para negar o direito humano da orientação sexual das Pessoas Atraídas por Menores. Portanto, camaradas!, não devemos dizer “pedofilia”!, mas antes devemos dizer “Pessoas Atraídas por Menores”. A ciência já provou que quem utilizar a palavra “pedofilia” é fascista!

A APA (Associação Americana de Psicologia) já defendeu, em 1998, que a orientação sexual das Pessoas Atraídas por Menores não causa o mal nas crianças que os fascistas dizem que causa. Os fascistas e antidemocratas do partido republicano nos Estados Unidos tentaram que as Pessoas Atraídas por Menores deixassem de pertencer a uma orientação sexual específica, mas o nosso camarada Obama não concordou com essa proposta fascista, e por isso manteve o direito das Pessoas Atraídas por Menores a não ser discriminadas em função da sua orientação sexual.

Este ano, dois psicólogos canadianos — os maiores do mundo e do universo, a par com o nosso camarada Júlio Machado Vaz — declararam solenemente no parlamento canadiano que a orientação sexual das Pessoas Atraídas por Menores é tão normal quanto a homossexualidade, e, o que é talvez um pouco estranho, até quanto a heterossexualidade! E os deputados progressistas canadianos aplaudiram de pé.

As orientações sexuais das Pessoas Atraídas por Menores e dos homossexuais não podem ser mudadas porque são congénitas e genéticas. A única orientação sexual que pode ser mudada é a heterossexual porque é um produto de construções sociais e culturais.

Um professor da universidade do Hawai – o melhor e maior professor universitário do mundo, dos arredores e do universo! – afirmou que a pornografia infantil é boa para a sociedade, porque mantém entretidas as Pessoas Atraídas por Menores na sua dignidade. Camaradas!: como podem verificar cientificamente, nunca a ciência foi tão científica como é hoje!

As Pessoas Atraídas por Menores têm todo o direito à sua orientação sexual desde que as crianças dêem o seu consentimento. Se, por exemplo, uma criança de dois anos de idade der o seu consentimento, então não só uma Pessoa Atraída por Menores passa a ser feliz como essa criança também.

Camaradas! O que conta é o Amor!

É por amor, de uma pelo outro ou de um pela outra, que um casal de um homem e de uma mulher concorda em abortar. É por amor que um casal de homossexuais adopta uma criança e apaga a sua árvore genealógica. É por amor que uma Pessoa Atraída por Menores se interessa pelas crianças. Por isso, é tempo de acabar com os preconceitos e com a ignorância!

A luta continua! A vitória é certa!

Segunda-feira, 31 Maio 2010

Isabel Leal e a “teoria queer”

A psicologia — tal como a economia, e as ciências sociais em geral — não é uma ciência exacta porque não é passível, em termos gerais, de uma verificação das suas teorias à luz do “princípio da falsicabilidade” de Karl Popper (também conhecido como o “princípio da refutabilidade”). E a principal razão porque a psicologia e a economia não são — nem nunca serão — ciências exactas, é porque têm como objecto o ser humano.
(more…)

Quinta-feira, 22 Abril 2010

O absurdo do conceito de “orientação sexual”

O problema da opinião é que deve ser racional e nesta medida ter em conta a lógica mais elementar. Nós não podemos, em nome das ciências, defender posições acientíficas — e é o que está a acontecer hoje na nossa sociedade comandada pelo politicamente correcto — como não podemos defender, em nome da ética, posições anéticas, etc.

Por exemplo, o conceito de “orientação sexual” é um absurdo, por duas razões essenciais:

  • Primeiro, porque separa a sexualidade da natureza, esta não só entendida como os gregos a entendiam — como o processo global e holístico do desenvolvimento da vida — como no sentido actual e físico do termo.
  • Em segundo lugar, o conceito de “orientação sexual” abre espaço cultural para as mais diversas e esdrúxulas “orientações sexuais” — por exemplo, a zoofilia, a pedofilia, a necrofilia, etc.

(more…)

Sexta-feira, 20 Março 2009

Quero casar comigo mesmo

fressura

Acho uma discriminação inaceitável que a lei portuguesa privilegie o casamento entre duas pessoas. Há uma semana dirigi-me a uma conservatória do registo civil aqui no Porto, meti os papéis para casar comigo mesmo, e de uma forma que considero insultuosa foi-me recusado o “casamento comigo mesmo”. Porque é que eu não me posso casar comigo mesmo?

A “mesmista” (ou o “mesmista”) é uma pessoa que quer casar consigo mesmo, isto é, tem como orientação sexual o “Mesmismo”. É o meu caso.

A sociedade em que vivemos padece de uma doença sócio-cultural que os antropo-psiquiatras pós-modernos chamam de “Numerismo” (ler p.f., Adorno, Marcuse, Jacques Derrida, Habermas e Michel Foucault), que se traduz numa deformação histórico-cultural da civilização ocidental marcada pela preferência pela quantidade aberrante em detrimento da qualidade da virtude individual ― trata-se de uma anomalia cultural que se liga directamente ao facto do Ocidente ter uma escrita fonética que dá ênfase aos sons emitidos através da leitura de conjuntos de letras, em vez de usar a simbologia escrita no singular através de signos individuais. É devido a esta deformação cultural primordial que os “mesmistas” sempre foram oprimidos ao longo da História humana.
(more…)

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: