perspectivas

Sábado, 22 Março 2014

A pastelaria Versalhes, os passos perdidos e os Bilderbergers

Filed under: Política,Portugal — orlando braga @ 5:52 am
Tags: , ,

 

De facto, vendo bem, se o Manifesto dos 70  foi escrito na pastelaria Versalhes, então não pode ter razão.

Se o Manifesto fosse escrito, por exemplo, na pastelaria Moinho de Vento e com uns pastéis de Belém à mistura, ou no recato de um escritório de advogados — daqueles que também escreveram os contratos chorudos das PPP (Parcerias Público-privadas) ao serviço da Banca —, então talvez o Manifesto tivesse alguma razão de ser.

O dono do semanário Expresso (e representante Bilderberger em Portugal) afirmou um dia, numa entrevista na SICn (que também é dele), que “se Portugal tivesse metade da sua população actual não teria problemas económicos”. Eu vi e ouvi! ¿E não é que, por milagre, a população portuguesa tende reduzir drasticamente?! “Yo no creo en brujas, pero que las hay, ¡las hay!”

Portanto, o que se escreve no Expresso traduz, mais ou menos, a voz do dono. E quando o dono não presta, tanto faz o que se escreve no semanário Expresso como o que se escreve no jornal Avante.

O blogue “Porta da Loja” escreve escorreito sobre a área do Direito, mas em quase tudo o resto é uma nódoa. Aliás, este artigo do “Porta da Loja” poderia ter sido escrito por um blogue com o nome “Dentro da Loja”. Defender a ideia segundo a qual o Francisco Louçã, sozinho, conseguiu arrebanhar 74 docentes universitários internacionais de nomeada — não lembra ao careca! E mais grave do que a imaginação do careca é as pessoas acreditarem naquilo que se escreve no “Dentro da Loja”.

Muita gente vai chorar baba e ranho, mas o Partido Social Democrata de Passos Coelho e de Miguel Relvas tem que sair.

Este Partido Social Democrata, o de Passos Coelho, está a fazer muito mal ao país. Há que arranjar outro líder e outra linha política para o Partido Social Democrata — uma linha política que defenda os interesses nacionais. Os erros de José Sócrates foram muito graves, mas não justificam a submissão canina deste Partido Social Democrata de Passos Coelho, que consegue, assim, vender cargos internacionais, por exemplo, para o Gaspar e para o António Arnaut. E outros se seguirão.

o-grande-lider-web

Sexta-feira, 28 Fevereiro 2014

O “irmão” Miguel Relvas ainda pertence à Maçonaria?

Filed under: Maçonaria — orlando braga @ 1:36 pm
Tags:

 

miguel relvas maçon moti web

Terça-feira, 25 Fevereiro 2014

Este é que a sabe toda…!

Filed under: A vida custa — orlando braga @ 11:39 pm
Tags:

 

miguel relvas web

Sexta-feira, 5 Abril 2013

A demissão de Miguel Relvas é um não-facto

Filed under: Passos Coelho,Pernalonga — orlando braga @ 9:52 am
Tags:

Miguel Relvas deveria ter-se demitido ou sido demitido em Junho de 2012. A sua demissão agora já pouco adianta para Passos Coelho e para o governo, e por isso, a sua demissão é um não-facto.

The Joker

The Joker

Domingo, 24 Março 2013

O Eixo do Mal e o abominável homem das neves

Estava eu sintonizado na SICn, à espera do resultado das eleições do Sporting Clube de Portugal — que é das poucas coisas que me interessam em política — quando entro pelo Eixo do Mal adentro.

clara-ferreira-alves 400 webE todas aquelas criaturas maléficas estiveram de acordo com o putativo facto segundo o qual a petição pública contra a contratação do ex-primeiro-ministro José Sócrates pela RTP para fazer comentário político foi uma má ideia — alegadamente porque “ninguém deve coarctar a liberdade de opinião a outrem”.

Convém lembrar aquelas cabeças chôchas — principalmente a de Clara Ferreira Alves — que a RTP não é uma empresa privada de televisão. A RTP pertence ao Estado, e por isso depende do financiamento dos contribuintes. E neste contexto, a petição pública referida faz todo o sentido.

Se uma estação privada de televisão tivesse contratado, por exemplo, o abominável homem das neves para comentar o estado da Nação, neste caso qualquer petição pública seria menos justificável, embora pudesse não perder toda a sua justificação (dependeria, por exemplo, do facto de o abominável homem das neves ser um pedófilo inveterado, entre outras coisas).

Mas tratando-se de uma estação pública e estatal de televisão, os cidadãos que votarem petições contra e a favor da presença do abominável homem das neves — em comentários obscenos numa televisão do Estado — nada mais fazem do que cumprir um dever.

Domingo, 3 Março 2013

¿ Miguel Relvas vai ser promovido?

Filed under: A vida custa,Coelhismo,Esta gente vota,Passos Coelho,Pernalonga — orlando braga @ 8:55 am
Tags:

Depois das manifestações públicas de ontem, Passos Coelho deveria promover Miguel Relvas no governo, e criar a figura de vice-primeiro-ministro para acomodar o novo número dois do governo — passando, assim, Paulo Portas para número quatro. Ficaria bem, ao grande líder, uma atitude consentânea com uma sageza que despreza os sibaritas que — como diz o big chief Alexandre Soares dos Santos — cantam como as cigarras em pleno Inverno.

The Joker

The Joker

Sexta-feira, 21 Dezembro 2012

Depois do falhanço da TAP, Miguel Relvas continua à procura de comissões

Filed under: A vida custa,Coelhismo — orlando braga @ 11:03 am
Tags:

miguel relvas e as comissões

Imagem “picada” aqui.

Quinta-feira, 20 Dezembro 2012

Miguel Relvas ficou sem as comissões

Filed under: A vida custa — orlando braga @ 3:39 pm
Tags: ,

O Governo decidiu recusar a proposta do grupo Synergy, do empresário German Efromovich, para a compra da TAP dando sem efeito a operação em curso.

via Governo não vende TAP a Efromovich – Economia – Sol.

miguel relvas web

Segunda-feira, 15 Outubro 2012

Relvas acusa Público de denegrir a sua imagem

Filed under: A vida custa,Esta gente vota — orlando braga @ 3:56 pm
Tags:

Relvas acusa Público de denegrir a sua imagem – Política – Sol.

Terça-feira, 17 Julho 2012

A inteligência da estupidez

“Uma coisa só me maravilha mais do que a estupidez com que a maioria dos homens vive a sua vida: é a inteligência que há nessa estupidez.”

— Fernando Pessoa


Ele há inteligentes estúpidos que vivem felizes porque ainda não viram que os organizadores e mentores dos movimentos pela demissão de Miguel Relvas no FaceBook não são socialistas ou da Esquerda radical: um dos dois movimentos anti-Relvas foi criado por militantes de base do Partido Social Democrata, e o outro por pessoas que não sendo de Esquerda, são independentes no sentido de não serem militantes de qualquer partido político.

[ ficheiro PDF ]

Segunda-feira, 16 Julho 2012

O prestígio de Passos Coelho

Filed under: Passos Coelho,Pernalonga — orlando braga @ 10:09 pm
Tags:

Muita gente da “direita” não percebeu que a saída de Miguel Relvas do governo, se tivesse tido lugar há apenas uma semana atrás, reforçaria o prestígio de Passos Coelho, em vez de o prejudicar. Mas já é tarde: Passos Coelho perdeu o timing, e agora tanto faz que Relvas saia como não saia. Uma semana fez toda a diferença.

O prestígio de um político não se constrói no governo: o prestígio precede-o, na sua qualidade de simples cidadão. Ou esse prestígio existe já antes do cidadão entrar no governo — por exemplo, o caso de Salazar nos seus primeiros 20 anos de governo —, ou nunca se consolidará. E é esse prestígio anterior à governança que dá ao cidadão as autoridades de direito e de facto para poder impor os seus pontos de vista e/ou traduzir nas acções do governo a vontade do povo.

Uma espécie de ditadura pode ser eleita; e um rei absolutista mas prestigiado pode respeitar a vontade do povo. Se um político eleito não tem prestígio, cederá sempre a interesses alheios à vontade da nação; e o prestigio de um rei, que existe antes mesmo de ser confirmado em Cortes, dá-lhe a autoridade necessária para ouvir a opinião pública e defender os interesses da nação.

Passos Coelho é mais uma nuvem passageira da nossa política à procura de um “tacho” em Bruxelas (ou ao serviço de Bruxelas). Mas o Seguro socialista não é melhor: entre outras coisas, também lhe falta o prestígio.

Domingo, 15 Julho 2012

O jogo da Kolejka é o futuro de Portugal

O secretário-de-estado da Cultura, em esforço conjunto com o ministro-adjunto Miguel Relvas e com o PSD do Pernalonga e de Luís Filipe Meneses — e depois de obterem o acordo político do Partido Socialista de Seguro, do Bloco de Esquerda e do Partido Comunista — deveriam fazer a promoção do jogo Kolejka, de origem polaca — ou Coleica, em português. Aliás, este jogo deveria ser de promoção obrigatória nas escolas primárias, no sentido de adestrar as nossas crianças para a IV república que se avizinha.

O jogo consiste em premiar o jogador que consegue mover mais influências sociais e políticas no sentido de conseguir adquirir todos os itens de uma lista de compras.

Essas “compras” tanto podem ser do tipo dos bens alimentares básicos — arroz, feijão, pão, etc. —, como podem ser do tipo político e de influência social —, por exemplo, uma licenciatura em um ano, conseguir um job for the boys num instituto público ou de mão pública, um emprego sem trabalho para um familiar, um subsídio do Estado para uma Fundação privada, um contrato chorudo e feudal para as PPP — (Parcerias Público-privadas), um salário pago pelo Estado de 500 mil Euros anuais ou em valor semelhante, etc.

Um adulto que não esteja treinado no jogo da Coleica é automaticamente relegado para o estatuto de pária europeu. Um europeu que se preze terá que aprender a jogar as “cartas especiais” da Coleica — por exemplo, “Sou Gay”, “Sou Feminista”, “Sou a favor do aborto grátis e à custa dos contribuintes”, “Sou anti-católico”, “Sou ateu”, “Sou de Esquerda”, “Sou Neoliberal”, “Pertenço à Maçonaria”, etc.

Aprender a jogar à Coleica é absolutamente essencial para o futuro das nossas crianças: é ainda mais importante e necessário do que aprender a ler, escrever e contar. Aprender a nossa História não faz falta para o futuro das nossas crianças, porque a Coleica é o nosso próprio futuro dentro do leviatão europeu que se aproxima.

Página seguinte »

The Rubric Theme Blog em WordPress.com.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 449 outros seguidores