perspectivas

Sábado, 3 Março 2012

O Estado neonazi holandês e os Sterbehilfe Einsatzgruppen da Nova SS

Filed under: ética — O. Braga @ 5:36 pm
Tags: , , ,

“A controversial system of mobile euthanasia units that will travel around the country to respond to the wishes of sick people who wish to end their lives has been launched in the Netherlands.

The scheme, which started on Thursday , will send teams of specially trained doctors and nurses to the homes of people whose own doctors have refused to carry out patients’ requests to end their lives.”

via Dutch mobile euthanasia units to make house calls | World news | The Guardian.

A Holanda neonazi instituiu uma nova modalidade dos Einsatzgruppen, que são unidades móveis que executam a eutanásia ao domicílio.

Segunda-feira, 8 Setembro 2008

A morte numa família holandesa

Filed under: ética — O. Braga @ 5:53 pm
Tags: , , , ,

Em Portugal, junta-se a família, os médicos tratam dos cuidados paliativos, um padre dá a confissão, comunhão e a extrema unção; os últimos momentos vida de uma pessoa são de companhia e de solidariedade da família — nem sempre, mas quase sempre — até ao último minuto possível. Na Holanda, é assim:

«5.30pm: Dad is bent over the toilet bowl with a brush in his hand and a scowl on his face. I walk up to him. “Shall I give you a hand?” Dad begins to snigger, abandoning any attempt to make sense of the situation. We stand shoulder to shoulder with our backs to Mum, who paces around the landing with a newly fitted catheter in her hand.

The catheter has been put in by nurse Marianne to enable our GP, who will be with us in half an hour, to give Mum a lethal injection. But instead of having a moment of peace with us, as Marianne suggested, Mum demands that we clean the toilets. Both upstairs and downstairs.

My brother, Maarten, is sitting on the edge of the bath, staring out of the bathroom window.

Imagine,” he mutters. “Her last hour, spent like this.

This is the Netherlands, where voluntary euthanasia is permitted, as well as physician-assisted suicide. This is the day my mother has chosen to die, and the toilets need to be spotless.»

Na hora que antecede o seu suicídio, mandou toda a gente limpar as retretes; foi esta a sua última vontade, numa sociedade sem religião e cada vez mais sem alma. Morte sem dignidade.

Sexta-feira, 15 Agosto 2008

A decadência europeia está já aí

Depois do “casamento” gay, a Holanda reconheceu oficialmente o “casamento” polígamo dos muçulmanos, o que significa que, por extensão, a poligamia está institucionalizada naquele país. (more…)

Quarta-feira, 23 Julho 2008

Existe uma escolha a fazer

Recebi o seguinte comentário sobre este postal — que não publico porque não apresenta argumentos racionais mas apenas traduz a subjectividade de um estado de alma:
(more…)

Sexta-feira, 2 Maio 2008

Holanda: a realidade da eutanásia

Filed under: ética,cultura,Europa — O. Braga @ 8:24 pm
Tags: , , , , , ,

A Holanda começou por legalizar a eutanásia em 1973, aplicável a casos de extrema gravidade terminal e “força maior”, e tendo em consideração a vontade expressa do doente terminal.

O número de pessoas eutanasiadas na Holanda ascendeu a 1.923 em 2006, e em 2007 subiu para 2.120 casos, dos quais, cerca de 900 pessoas não deram o seu consentimento expresso para serem mortas. Aquilo que foi uma lei aplicável a casos de extrema gravidade terminal e “força maior”, e tendo em consideração a vontade expressa do doente terminal, passou a ser um assassínio legalizado para poupar dinheiro ao Estado holandês em cuidados paliativos.

Não contente com o assassínio dos idosos terminais, o Estado holandês pratica a eutanásia eugénica em crianças, seguindo o exemplo dos nazis (cerca de 90 casos de crianças assassinadas por ano).

A União Europeia está a transformar-se numa realidade absurda: um país que não cumpra os 3% de limite de défice, recebe uma admoestação oficial por parte dos burocratas de Bruxelas. No entanto, um país membro da União Europeia abertamente adopta práticas nazis e ninguém parece importar-se com isso.

%d bloggers like this: