perspectivas

Segunda-feira, 12 Dezembro 2016

Hillary Clinton : estava escrito nas estrelas

Filed under: A vida custa — O. Braga @ 4:51 pm
Tags:

 

Hillary_Clinton_1992Sol em escorpião com ascendente em escorpião. Vénus perto do ascendente. Mercúrio e Júpiter na 1ª casa. Eis os ingredientes de uma “mulher fatal” — embora a Lua esteja em quadratura com Urano, o que dificulta o relacionamento normal da mulher com o sexo masculino

Na casa 9 tem um Stellium (Plutão, Saturno e Marte) em leão = gosto pelo Poder; mas tem a 10ª casa vazia, e, portanto, é um gosto pelo Poder sem credibilidade — porque os seus conceitos superiores são meramente pessoais/subjectivos.

A casa 3 está vazia (a casa do EU PENSO); a casa 1 (a casa do EU SOU) está ocupada com Júpiter e mercúrio. Ou seja, resumindo a Hillary Clinton: EU SOU (um ego fortíssimo!), mas EU NÃO PENSO (muita dificuldade com a lógica e com o pensamento criativo); Stellium na casa 9 (EU MANDO!) mas a casa 10 está vazia (NÃO SOU CREDÍVEL).

HCLINTON

Segunda-feira, 7 Novembro 2016

Uma dupla imparável !

Filed under: Política — O. Braga @ 11:17 am
Tags:

Domingo, 6 Novembro 2016

Não sei se Trump é melhor; mas parece-me diferente

Filed under: Política — O. Braga @ 6:12 pm
Tags: ,

 

clinton_soros

 

Terça-feira, 14 Junho 2016

Donald Trump é uma consequência de Hillary Clinton

Filed under: Política — O. Braga @ 9:01 am
Tags: , ,

 

Eu estou de acordo com o ABC:

Trump é principalmente a consequência nefasta do delírio ideológico da esquerda marxista norte-americana que protege o islamismo (doutrina desumana que trata as mulheres como animais e os outros não-crentes no Islão como alvos), enquanto promove os clubes de consumo de droga, a utilização do estilete sobre o crânio de bebés no late-term abortion e, as barrigas de aluguer e a utilização cruzada de balneários escolares por homens que se digam mulheres e vice-versa. E da corrupção política e promiscuidade dos princípios dos moderados que representam um sistema degenerado e endogâmico”.

Ou seja, se eu fosse americano e tivesse que escolher entre Hillary Clinton e Donald Trump, escolheria o mal menor. Depois de Obama, Hillary Clinton irá ditar o total descrédito dos Estados Unidos.

Depois do que a Esquerda tem feito nos Estados Unidos, teria infalivelmente que aparecer um Donald Trump qualquer, como contrapeso político.

Sábado, 21 Maio 2016

Os políticos nunca dizem o que pensam porque não sabem o que querem

Filed under: Política — O. Braga @ 7:05 am
Tags:

 

Quarta-feira, 26 Dezembro 2012

¿Vocês ainda se lembram da “Primavera árabe”, obamista e progressista?

O Egipto acaba de consagrar uma Constituição integralista islâmica, em um referendo em que participaram apenas 32% dos votantes inscritos. “Constituição islâmica” significa: lei da Sharia, excisão feminina, Burka, descriminalização dos assassinatos de honra em relação às mulheres, etc..

Se no Egipto de Mubarak existia um regime secularista, os progressistas da União Europeia, aliados a Obama e Hillary Clinton, conseguiram construir nesse país uma teocracia islâmica radical.

¿Já ouviram algum reparo acerca disto nos me®dia ? Silêncio total!

Arab-Spring-women-Egypt web

Sábado, 8 Dezembro 2012

Os Estados Unidos e os direitos humanos na Rússia

Filed under: Política — O. Braga @ 11:51 pm
Tags: , ,

Furious Russian politicians accused America of Cold War tactics for passing a law barring any of its officials suspected of human rights abuses from the US.
Tensions between the superpowers were reginited yesterday after US senators passed a new bill that included the Magnitsky Act.
The act is named after Sergei Magnitsky, an anti-corruption lawyer who died in a Russian jail in 2009.
It is claimed Mr Magnitsky had been tortured and was denied hospital treatment prior to his death.

via Russia attacks new US anti-abuse bill: Fury after America bars Russian officials suspected of human rights abuses from entering the country | Mail Online.

Os Estados Unidos de Obama e Hillary Clinton fizeram passar no senado americano uma lei segundo a qual funcionários do Estado russo suspeitos de violação dos direitos humanos não poderão entrar no país. De facto, Obama e Clinton têm toda a razão, porque os Estados Unidos são o exemplo inequívoco do cumprimento dos direitos humanos.

GITMO web

Terça-feira, 1 Maio 2012

A total coincidência entre a mundividência de Obama e o da China totalitária

«The United States Secretary of State was getting ready to board a plane for a high profile meeting with Chinese officials. And the blind human rights lawyer makes that meeting a little…awkward.

China doesn’t yet even want to acknowledge Guancheng escaped. And the U.S. doesn’t want to upset China.

Secretary of State Hillary Rodham Clinton in the hours before the meeting with China declined to speak directly about Guancheng and only said the U.S. sought an “effective, constructive, comprehensive relationship” with China.

She refused to elaborate.»

via Let’s All Ignore the Human Rights Activist |Blogs | NCRegister.com.

Cheng Guangcheng é um activista chinês pró-vida que protestou contra a política chinesa de aborto forçado e esterilizações em massa; e em consequência do seu activismo político, Guangcheng foi preso, mas conseguiu escapar e refugiar-se na embaixada americana em Pequim.

Porém, a abortista e eugenista Hillary Clinton, e o marxista Barack Hussein Obama, parecem querer ignorar o “problema” criado por Guangcheng. E a razão parece-me lógica: como é que uma abortista e eugenista pode apoiar a causa de um activista pró-vida e anti-eugenismo? Por isso, Hillary Clinton faz de conta que Guangcheng não existe, negando mesmo que o homem se encontra na embaixada dos Estados Unidos em Pequim.

Terça-feira, 13 Março 2012

A política cultural gayzista de Obama e Hillary Clinton, falha em África

“On January 19, three days after Clinton attended the second-term inauguration ceremony of Liberian President Ellen Johnson Sirleaf, a winner of the 2011 Nobel Peace Prize, Sirleaf’s press secretary announced that she would veto any legislation allowing gays to wed or legalizing homosexuality.

In February, a Liberian lawmaker introduced legislation that would ban gay marriage. The bill, an amendment to existing legislation banning incestuous marriages and polygamy, would make gay marriage a first-degree felony, with prison sentences of up to ten years.”

via The Obama Administration’s Bold but Risky Plan to Make Africa Gay-Friendly – Robbie Corey-Boulet – International – The Atlantic.

Barack Obama e a abortista Hillary Clinton adoptaram uma política de chantagem em relação aos países africanos: ou legalizam o “casamento” gay, ou os Estados Unidos não apoiam o desenvolvimento de África.

Ora, o que acontece é que as reacções dos países africanos em geral contra a agenda política obamista — nomeadamente da Libéria que é maior aliado dos Estados Unidos em África, através da presidente liberiana e prémio Nobel da Paz Ellen Johnson Sirleaf [na imagem abaixo] — revelam que a estratégia política radical de Obama de promoção da cultura de morte em África saiu furada.

Os países africanos ainda vão ter, um dia, a missão de civilizar a Europa.

Sábado, 25 Setembro 2010

A essência da estratégia política da esquerda contemporânea

« (…) a lógica do liberalismo político leva-o a tolerar ideias ou movimentos que têm como finalidade destruí-lo. A partir daí, perante a ameaça, o liberalismo está condenado, quer a tornar-se autoritário, isto é, a negar-se ― provisória ou duradouramente ― a si mesmo, quer a ceder o lugar à força totalitária colocada no poder por meio de eleições legais (por exemplo, Alemanha, 1933) »

— Edgar Morin, ex-comunista e crítico do marxismo

A gente vota em determinados políticos pensando que são gente normal, e quando eles se apanham no poder fazem notar a sua demência voltando o poder político contra a cultura da maioria do povo que os elegeu. Dou como exemplo o caso de Obama e Hillary Clinton, que segundo o congressista americano Christopher Smith, pretendem incluir no documento final das Nações Unidas sobre as Metas de Desenvolvimento do Milénio uma alínea política de promoção do aborto em todo o mundo.

A contradição é gritante: segundo Obama e Hillary Clinton, o aborto salva vidas de crianças. Esta contradição é passada para a opinião pública através de um processo de infantilização dos povos, como é exemplo a recente comunicação da ministra da educação ao povo português.

Esta estratégia política de esquerda tem dois compassos: o primeiro é o da estimulação contraditória — quando o político diz ao povo que uma coisa é exactamente o seu contrário.

E um segundo compasso — quando imediatamente a seguir o político age de forma a infantilizar a opinião pública, por forma a que o cidadão se convença que a contradição é apenas aparente e que a sua não compreensão se deve à sua pura ignorância. Em função disto, o cidadão fica paralisado na sua acção e reacção, ou seja, entra em dissonância cognitiva.


Temos, portanto, a essência da estratégia política da esquerda contemporânea:

estimulação contraditória → infantilização da opinião pública → dissonância cognitiva do cidadão → totalitarismo suave politicamente correcto ou marxista cultural.

A esquerda contemporânea, tal como aconteceu no passado recente com o estalinismo e com o maoísmo, transformou os fins políticos que se fundamentam em princípios éticos, em meios de acesso e controlo político e perpetuidade no poder. O que está a acontecer na prática é que o povo elege uma esquerda que não só paulatinamente vai desvalorizando as eleições como as vai eliminando — como é o caso de Chavez na Venezuela, e Lula da Silva quando apoia abertamente uma terrorista marxista à presidência da república do Brasil.

Quarta-feira, 7 Julho 2010

O Neopuritanismo ou o Purificacionismo (2)

Hannah Arendt definiu como característica fundamental da mente revolucionária, gnóstica e totalitária, a capacidade do gnóstico moderno em definir a realidade como se estivesse na posse da verdade límpida e absoluta, em que os contornos da realidade são imbuídos de uma clareza inquestionável que desafia a própria ciência e até a substitui através do cientismo. O gnóstico e revolucionário não tem dúvidas absolutamente nenhumas acerca da sua visão da realidade, nunca se questiona nem admite que se coloquem questões sobre a sua mundividência. O gnóstico é o próprio Deus na Terra.

O Quénia, é um país com problemas graves de alimentação, de habitação, saúde pública e educação; um país com uma frágil democracia onde ainda há pouco tempo aconteceram fenómenos de violência étnica; um país em que existem problemas de desemprego endémico e muito fracas condições de trabalho. Muito recentemente (a 4 de Julho de 2010), Hillary Clinton referiu num discurso que a máxima prioridade da política externa americana para África é a implementação dos “direitos” dos gays e do “casamento” gay, e o Vice-presidente americano Joe Biden foi recentemente expressamente enviado por Obama ao Quénia no sentido de pressionar o governo queniano a ceder à prioridade máxima do governo americano em relação a África.

A expressão desta prioridade máxima obamista é cultural, na linha da “abolição da cultura” e dos valores definidos por Georg Lukacs quando fundou a Escola de Frankfurt. Porém, os gnósticos modernos vão mais longe: pretendem agora estender a acção das engenharias sociais, que pretendem alterar a natureza da estrutura fundamental da realidade, a países e povos que não têm uma cultura cristã e ocidental genuína e de raiz, como é o caso dos países africanos.
(more…)

Sexta-feira, 14 Novembro 2008

Hillary Clinton próxima Secretária-de-Estado?

Clique p/ aumentar

Clique p/ aumentar

Hillary Clinton prepara-se para ser a próxima Secretária-de-Estado dos EUA. O que é que isso significa? Significa que o Partido Democrático americano tenta salvar o país de um desastre. Segundo a lei americana, depois do Vice-presidente Joe Biden, Hillary Clinton estará imediatamente na linha sucessória à Casa Branca, no caso de rebentar o “escândalo Obama” que arrastará consigo o Joe Biden e todo o “staff” de campanha de Barack Hussein Obama.

Tive que sair à pressa, entretanto, e completo agora o raciocínio :

  • Acham normal que existam vários processos cíveis a decorrer em tribunais dos Estados Unidos contra Obama por candidatura indevida ― incluindo a acção cível de Philip Berg, que é um conhecido e prestigiado advogado americano ―, e nenhum canal de TV da grande me®dia ― incluindo as agências noticiosas ― tenham abordado minimamente o assunto? Isto é normal?
  • Acham normal que enquanto os grandes me®dia ignoram ostensivamente o assunto, o site Obamacrimes de Philip Berg tenha tido para cima de 100 milhões de visitas, e mesmo assim os me®dia continuam a fazer “vista grossa” sobre o assunto?
  • Acham normal que Hillary Clinton seja nomeada Secretária-de-estado depois de ter sido preterida por Obama para ser a Vice-presidente? Porquê a repescagem de Hillary?
Página seguinte »

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: