perspectivas

Quinta-feira, 5 Janeiro 2017

Coincidência: o Leopildo (¿ou Leopoldo?) assumiu a gerência, e o Alberto Gonçalves foi despedido do Diário de Notícias

 

“O Alberto Gonçalves, pessoa que não conheço socialmente a não ser das redes sociais, como aliás boa parte dos amigos mais chegados das redes sociais, e autor de colunas de opinião no Diário de Notícias e na revista Sábado com um sentido de crítica e de humor cáusticos quase sempre dirigidas ao governo e aos partidos de esquerda que o apoiam, com especial incidência sobre os socialistas e os bloquistas que lhe dedicam publicamente um odiozinho especial e se dão ao trabalho de o comentar, acabou de ser despedido do Diário de Notícias, jornal do grupo Global Media presidido pelo advogado Proença de Carvalho.”

A censura só conta quando é feita pela direita.

Com democracia desta, venha o Salazar.

Sexta-feira, 23 Dezembro 2016

O molho tártaro do Leopildo do Diário de Notícias

 

Na fotografia abaixo vemos a actual primeira-ministra romena, Sevil Shhaideh, que é muçulmana. Mas ela não é só muçulmana: vemos, na foto e ao lado dela, uma placa com a bandeira turca e com os dizeres: União Democrática Turca da Roménia.

Sevil Shhaideh

Imagine o leitor, por exemplo, que António Costa concorria às eleições com a bandeira da Índia, e com uma placa a dizer: “União Democrática da República Indiana em Portugal”.

Naturalmente que o Leopildo do Diário de Notícias vê a eleição de uma romena que se diz muçulmana e turca, para primeira-ministra de um país da União Europeia que não é a Turquia, como uma coisa boa. E por quê? Porque o Leopoldo acredita que é possível integrar na Europa uma cultura que nunca se integrou ao longo de 1500 anos.

Sábado, 12 Novembro 2011

A máfia da maçonaria asfixia Portugal !

Filed under: Maçonaria — O. Braga @ 12:23 pm
Tags: ,

Miguel Relvas, um dos ministros mais influentes, Carlos Zorrinho, líder da bancada do PS, autarcas como Moita Flores ou Isaltino Morais, ex-ministros como Rui Pereira, ex-presidentes da AR como Almeida Santos, empresários como Jorge Coelho, deputados e muitas personalidades da sociedade fazem parte desta organização semi-secreta. As figuras, a história, os valores, as cerimónias e as polémicas.”

via Mais de 80 maçons em cargos influentes – Portugal – DN.

Eu comprei o Diário de Notícias de hoje; valeu a pena!

Terça-feira, 13 Outubro 2009

A promiscuidade entre a política e os me®dia

merdia

A promiscuidade entre a política e os me®dia ficou bem patente ontem no debate do “Prós e Contras”. Se o jornal Público se pôs a jeito em relação a um determinado tipo de “fontes”, o Diário de Notícias fez uma coisa extraordinária: publicou um email privado que tinha circulado entre dois jornalistas do jornal Público 17 meses antes ― email esse que terá chegado a diversos jornais oriundo de uma “fonte política” que não foi especificada no debate ―, aliando a existência desse email a uma notícia actual publicada pelo Público, e sugerindo aos leitores do DN a ligação lógica entre o dito email e a notícia de ano e meio depois.

(more…)

Domingo, 14 Setembro 2008

A ética do desejo

O João Miranda parte de uma premissa errada:

Tanto os progressistas como os conservadores continuam a acreditar que o casamento é necessário.

Alguém acredita que os progressistas (libertários de direita e de esquerda, isto é, neoliberais e ala esquerda do PS e Bloco de Esquerda) acreditam que “o casamento é necessário”? O João Miranda está a tentar enganar quem? Então o casamento não é necessário para mim (que sou “progressista” e “libertário”) e já é para os outros (a escumalha)?

E depois passa ao “casamento” à la carte:

As regras do casamento e do divórcio devem ser decididas pelos noivos no dia do casamento e não pelo Estado quando o partido do Governo sente necessidade de impor os seus valores à sociedade. Uma pluralidade de valores exige uma pluralidade de contratos de casamento.

Em nome da “pluralidade” vai-se destruindo a unicidade e universalidade ética absolutamente necessárias a uma sociedade; o homenzinho ou é ignorante ou malicioso. Gente desta é perigosa porque em nome da “liberdade” vão legitimando a “ética do desejo” : segundo eles, ética não é mais do que a súmula dos desejos das pessoas que constituem a sociedade ― é a mesma ética que legitimou o nazismo e o comunismo na fase de instalação dos regimes. Se o desejo do cidadão for esdrúxulo e ilegal, há que criar leis que normalizem ética e legalmente a excentricidade do desejo, “desde que não viole o resto da lei” (corrupção progressiva, paulatina e indolor da legalidade ética), e assim se vão mudando as leis rumo à particularização infinitesimal da ética, por forma a acomodar todas as tendências na sociedade, sejam elas as mais aberrantes; e com o desenrolar do processo de involução ético-cultural, acaba-se por se mudarem as leis para que o desejo de uma “minoria activa” se sobreponha a uma “maioria indiferente”, e por mais monstruoso que seja esse “desejo” pretensamente “libertário”, passa a ser legal em nome da “liberdade”.
Esta é “a inversão revolucionária do sujeito e do objecto”: utiliza-se a lógica para inverter os seus valores e premissas, é a lógica ética e legal do partido holandês que defende a legalização da pedofilia. É o utilitarismo levado ao um grau de cinismo tal que se torna execrável.

Por causa do acumular de gente desta é que o país chegou onde chegou. E enquanto esta gente tiver tribuna privilegiada, a coisa tende a piorar.


Adenda: a contradição do João Miranda é notória: aqui já não defende o casamento à la carte. É confome os dias, ou conforme dá jeito; “uma no cravo, outra na ferradura”; ora implicitamente a favor do Bloco negando-o explicitamente, ora explicitamente contra o Bloco contemporizando implicitamente: o melhor é alistar-se de vez — as relações de “amor/ódio” também dão em casamento.

Actualização: sobre a tolerância libertária que acomoda tudo e todos, ler isto (via).

Segunda-feira, 11 Agosto 2008

O Correio da Manhã é um tablóide sem credibilidade

Enquanto esperava no Sábado passado, no aeroporto, a chegada da minha nora que vinha do estrangeiro, comprei o Correio da Manhã para passar o tempo (lendo alguma coisa). Deparei-me com a notícia de que o jovem baleado em Campolide (Wellington Nazaré) tinha tentado fugir do hospital de S. José.
Leio hoje no Diário de Notícias:

Até ontem, e segundo confirmou ao DN uma enfermeira de serviço, continuava inconsciente, não tendo acordado desde que ali deu entrada, na noite de quinta-feira..

Entretanto, confirmei no Público a veracidade da notícia do DN.

Portanto, o Correio da Manhã mentiu na informação que deu ao público. Este jornal está cada vez mais um tablóide com muito pouca credibilidade, e é exactamente este jornal que tem feito a propaganda que convém ao Gorila Amaral no caso Maddie.

Segunda-feira, 21 Julho 2008

Tiques totalitários gayzistas

Não há programa recreativo de televisão que não meta pelo menos um panasca, alguns deles com tiques de exibicionismo ridículos; existe mesmo um programa para crianças na SIC Radical que mete uma lésbica que está constantemente a repetir-se:” Meninos e meninas: eu sou lésbica!”.

Os me®dia estão tomados de assalto por essa tropa, e vem agora um gayzista pretender censurar (à moda da PIDE) quem não concorda com a agenda política (é disso que se trata) gay.


Já agora, aconselho a leitura deste artigo de João César das Neves.

Via

site na WordPress.com.