perspectivas

Sábado, 14 Fevereiro 2015

Quem não caminhar cinco quilómetros por dia não terá direito ao Serviço Nacional de Saúde

Filed under: Política,politicamente correcto — O. Braga @ 12:41 pm
Tags: ,

 

Imagine o leitor a seguinte notícia:

“David Cameron, o primeiro-ministro do Reino Unido, afirmou que o cidadão que não caminhar cinco quilómetros por dia não terá direito a acesso aos serviços de saúde do Estado.

Mais defendeu que só aqueles cidadãos que fazem jogging diário terão direito a eventuais cirurgias gratuitas.

E afirmou também que as profissões que exijam que uma pessoa permaneça sentada grande parte do dia — por exemplo, os informáticos, ou os pilotos de avião — tenham que pagar taxas acrescidas quando se dirijam a qualquer instituição do Serviço Nacional de Saúde”.

Agora, vamos à  notícia real: David Cameron defende que as pessoas obesas que recusem tratamento deixam de ter direito a benefícios do Estado (Serviço Nacional de Saúde, subsidio de desemprego, etc.)

O princípio mórbido não são os obesos mas a opinião de David Cameron; e esse princípio utilitarista já está na notícia: a seguir, esse princípio poderá ser aplicado a qualquer cidadão, a qualquer pretexto. Isto é o “liberalismo” actual — também de Passos Coelho —  que se confunde com o politicamente correcto ou marxismo cultural.

Anúncios

Quinta-feira, 17 Julho 2014

O pânico está instalado na Europa em torno da islamização da cultura

 

Islamic-England-1-webO medo instalado nas elites políticas inglesas em relação às famílias numerosas, na sua maioria de imigrantes de países islâmicos, está a conduzir a Inglaterra a uma versão estatal não-oficial de uma política de filho único. Por um lado trata-se de uma política de sinificação que é já comum a alguns países da Europa, mas por outro lado trata-se claramente de uma política de desincentivação de nascimentos entre as famílias islâmicas.

O governo “conservador” de David Cameron prepara uma lei que retira qualquer apoio social às famílias a partir do quarto filho. Toda a gente sabe que, em Inglaterra, a esmagadora maioria das famílias com mais de quatro filhos são famílias islâmicas.

Muslims-in-the-UK-webA nova lei do “conservador” David Cameron é dialéctica (joga em dois carrinhos): por um lado, é uma lei neoliberal porque pretende separar a sociedade e o Estado, e também no sentido em que segue as premissas ideológicas neoliberais de exigência de diminuição da população a nível global (ver, por exemplo, as posições políticas de gente como Bill Gates ou George Soros) — e aqui, os neoliberais estão em consonância com a novas religiões políticas “ecologistas” que culpam o ser humano por um aquecimento global em relação ao qual não existem provas científicas propriamente ditas.

E, por outro lado, a nova lei do governo do “conservador” David Cameron pretende travar a taxa de natalidade da população islâmica imigrante em Inglaterra.

Mas os “conservadores” ingleses parecem não querer ficar por aqui: já pensam em cortar qualquer apoio às famílias a partir do segundo filho, e já se fala mesmo em cortar os apoios às famílias a partir do primeiro filho — o que tornaria real, embora por vias menos totalitárias, uma política de filho único em Inglaterra.

Quinta-feira, 4 Julho 2013

Na União Europeia, estamos entregues à bicharada

Filed under: A vida custa,Europa,Tirem-me deste filme — O. Braga @ 8:33 am
Tags: ,

O “conservador” inglês e lunático David Cameron defende a ideia segundo a qual o Cazaquistão (e o Irão), e “outros que para lá estão”, também devem entrar para a União Europeia. Um dia destes vamos ver François Hollande, por exemplo, defender a ideia de que o Mali ou a Somália também têm o direito de aderir à União Europeia. E é neste imbróglio que Portugal está metido até às orelhas.

Sexta-feira, 21 Junho 2013

O governo “conservador” inglês diz que a fidelidade conjugal não pertence ao casamento

«In an astonishing statement in the Lords, the Government says fidelity is “not required” in marriage. Baroness Stowell, the Government’s Equalities spokeswoman in the Lords, was put on the spot during a debate about the controversial same-sex marriage Bill.

Lady Butler-Sloss, formerly the country’s top family law judge, asked the Government why there was no provision for adultery or consummation proposed for same-sex marriage.»

Faithfulness not necessary in a marriage, says Govt

Para justificar a lei do “casamento” gay, o governo “conservador” de David Cameron afirmou no parlamento que “a fidelidade conjugal não é necessária ao casamento”. (more…)

Terça-feira, 18 Junho 2013

O governo “conservador” britânico pretende realizar “casamentos” gay na capela do parlamento

“Labour MP Chris Bryant, who is gay and a former Anglican clergyman, wants the chapel to be converted into a ‘multi-denominational’ venue so that it can host gay weddings.

St Mary Undercroft is a Church of England chapel, meaning it is legally exempt from hosting same-sex ceremonies.”

Former Speaker queries gay weddings in Commons chapel

O que se pretende é transformar uma capela da Igreja Anglicana, adstrita ao parlamento britânico, em um local profano para celebrar “casamentos” gay. É extraordinário que um órgão de soberania, como é o parlamento inglês, transforme uma capela do século XIII em um local para “casar” gays, o que revela a enorme quantidade de invertidos que controla a política britânica. Uma pequeníssima minoria de fanchonos controla a esmagadora maioria da população e em nome da democracia…!

O culto oficial inglês já não será o da religião anglicana: passará a ser o culto da religião sodomita.

capela-do-parlamento-ingles-500-web.jpg

Capela do Parlamento britânico

Segunda-feira, 27 Maio 2013

David Cameron quer incluir líderes islâmicos na Câmara dos Lordes

Filed under: Europa — O. Braga @ 8:37 am
Tags: , , , , ,

A monarquia inglesa assenta sobre a liderança da rainha em relação à igreja anglicana. A rainha de Inglaterra é a governadora suprema da igreja anglicana .

Os dois partidos da “direita” inglesa estão divididos quanto à presença de 26 bispos anglicanos na Câmara dos Lordes : os liberais de Nick Clegg querem acabar com a presença dos bispos anglicanos nessa Câmara, e os “conservadores” de David Cameron querem incluir na Câmara a presença de imãs islâmicos. Tanto num caso como noutro, a autoridade religiosa da rainha de Inglaterra sai minada. E é isto a que chamamos hoje de “direita”. Imaginem a presença de chefes religiosos muçulmanos na Câmara dos Lordes da tradicional Inglaterra… ao lado dos bispos anglicanos.

Ninguém deve ser contra a mudança, mas deve saber por que se muda. O que acontece é que hoje é-se a favor da mudança porque está na moda mudar por mudar.

“Os conservadores são aqueles desejam e pretendem que o progresso político ou financeiro da nação se faça por alteração social produzida dentro de moldes políticos e sociais dessa nação”. (…) “Para o conservador, os moldes ficam em forma e em tamanho. Apenas muda o conteúdo.”
(…)
“Os liberais são aqueles que cuja teoria do progresso inculca a ideia de que ele se faz por uma lenta alteração da sociedade, não tanto nem somente dentro de moldes em que essa vida social se encontra vasada”. (…) “Para o liberal, os moldes alargam-se mas a sua forma fica.”
– Fernando Pessoa

A julgar pela definição de Fernando Pessoa de conservadores e liberais, hoje não existem, na Europa, nem os primeiros nem os segundos: a “direita” está controlada pelo marxismo cultural, porque tanto uns como os outros tendem a eliminar a forma das instituições.

Sexta-feira, 3 Maio 2013

David Cameron levou uma banhada nas eleições autárquicas inglesas

Filed under: Europa — O. Braga @ 10:37 pm
Tags: , ,

cameron com cara de cu 150 webO partido UKIP (United Kingdom Independent Party) de Nigel Farage desfez o Partido “Conservador” britânico, causando-lhe um rombo de que não há memória. O eleitorado conservador britânico puniu assim o “conservador” David Cameron (na foto ao lado, com cara de “quem levou e não gostou”) porque chegou à conclusão de que o Partido “Conservador” britânico já não conserva nada.

O UKIP (United Kingdom Independent Party) conseguiu mais de ¼ dos votos, arrebentado o Partido “Conservador”.Existem essencialmente duas razões para a derrota de David Cameron (porque se trata de uma derrota pessoal):

1/ David Cameron prometeu um referendo sobre a permanência na União Europeia, e não cumpriu;

2/ David Cameron insiste em legalizar o “casamento” gay contra a vontade da esmagadora maioria do eleitorado conservador.

 

nigel farage 500 web

Nigel Farage, festejando a vitória

Quinta-feira, 28 Março 2013

O totalitarismo maçónico

Filed under: Democracia em perigo,gnosticismo,Maçonaria — O. Braga @ 10:14 pm
Tags: ,

Quando a maçonaria diz, hoje, que defende a liberdade e a justiça, entra em contradição última e final com a sua própria condição gnóstica (que é abertamente assumida por quase todos os autores apologéticos da maçonaria) — porque o totalitarismo é, por definição, o governo existencial de activistas gnósticos (Eric Voegelin). É aqui que reside a decadência teleológica da maçonaria.

A figura do ideólogo dos “Demónios”, de Dostoievski, dá-nos a actual fórmula maçónica: “Eu começo pela liberdade absoluta e chegarei à ditadura perfeita”. (more…)

Terça-feira, 19 Março 2013

O governo “conservador” inglês pretende “regular” a liberdade de expressão dos blogues

Filed under: cultura — O. Braga @ 12:47 pm
Tags: , ,

O governo (anti) conservador de David Cameron, através da sua maioria no parlamento britânico, criou uma Entidade Reguladora da liberdade de expressão na Internet. Segundo o jornal inglês The Guardian, os blogues britânicos que não se inscreverem na Entidade Reguladora britânica serão fortemente penalizados com coimas.

Longe vão os tempos da Inglaterra como modelo político do mundo livre e iluminista. A Inglaterra entra hoje, cada vez mais, no obscurantismo do nepotismo político.

Terça-feira, 5 Março 2013

O partido “conservador” inglês prepara saída da Convenção Europeia dos Direitos Humanos

David Cameron está a perder base social de apoio com a história da imposição do “casamento” gay (imposto pelo Tribunal Europeu dos “Direitos Humanos”) contra a esmagadora maioria da opinião do povo inglês; e depois de uma derrota estrondosa numa eleição local — e com a vitória do partido de Nigel Farage, o UKIP (United Kingdom Independent Party) — , dois ministros “conservadores” preparam uma reforma legislativa que pretende retirar a Inglaterra da influência política do Tribunal Europeu dos “Direitos Humanos”.

A imprensa britânica exulta, mas falta saber se a notícia é mais um “bluff” de David Cameron que, à semelhança por exemplo de José Sócrates, é um mestre em prestidigitação política. A ser verdade a intenção dos conservadores em sair da Convenção Europeia dos Direitos Humanos, a própria iniciativa de David Cameron de impor o “casamento” gay ao povo pode estar comprometida.

“Les tabloïds exultent. Le Daily Mail évoque un «triomphe» et «un grand jour pour la justice britannique» ; le Daily Express salue d’avance l’abolition d’une législation «honnie» sur les droits de l’homme. Deux ministres conservateurs de David Cameron se sont engagés dans la voie d’un retrait de la Convention européenne des droits de l’homme, retranscrite dans le droit local par une loi de 1998. Chris Grayling, le ministre de la Justice, a assuré qu’un gouvernement conservateur issu des urnes en 2015 reviendrait sur cette loi. La ministre de l’Intérieur, Theresa May, préparerait, pour sa part, l’introduction de cette réforme dans le programme tory pour 2015.”

via Le Figaro – International : La surenchère antieuropéenne de Londres.

Quarta-feira, 9 Janeiro 2013

A maçonaria francesa, os não conservadores ingleses, e o casamento anfíbio

Um anfíbio é um animal vertebrado cuja fêmea põe ovos que são posteriormente e exteriormente fertilizados pelo macho. É o caso, por exemplo, do sapo; ou da sapatão. Ora, o ser humano, por sua própria natureza, não é anfíbio; mas hoje é politicamente correcto dizer que é.

casamento anfíbio webAtravés do ministro maçon Manuel Valls, o governo socialista francês de François Hollande, totalmente controlado pela maçonaria jacobina como não havia memória desde a I Guerra Mundial, criou um organismo a que deu o nome de Observatório Nacional do Secularismo, que alegadamente tem a função de reprimir a livre expressão das religiões na praça pública.

E o ministro da educação do governo francês Vincent Peillon, também ele maçon inveterado, tenta agora impôr a rei da rolha nas 8.300 escolas católicas francesas acerca da discussão do casamento anfíbio, ou seja, a maçonaria jacobina francesa, através do próprio governo francês, proíbe a discussão pública do casamento anfíbio, transformando o ministro da educação num comissário político.

Entretanto, em Inglaterra, uma lista assinada por de cerca de 700.000 cidadãos a favor do casamento humano — e por isso, contra o casamento anfíbio — e apresentada no parlamento inglês está a ser totalmente ignorada pelo não-conservador David Cameron(também ele obrigado à maçonaria inglesa), para além de que uma esmagadora maioria dos deputados Tories estarem contra o seu próprio líder.

Quem se mete com maçonaria, leva! A maçonaria é a própria democracia.

Sábado, 8 Dezembro 2012

Governo “conservador” inglês pretende obrigar a Igreja Católica a “casar” fanchonos

«The Government has turned back on its promise not to allow same-sex marriages in church.»

via Govt goes back on word over gay marriage in church | News | The Christian Institute.

casamento sixties webSegundo um áudio da BBC (Bolshevik Broadcasting Corporation) que pode ser escutado na ligação supracitada, o governo “conservador” — “conservador de tipo Adolfo Mesquita Nunes” — de David Cameron deu o dito pelo não dito: primeiro, tinha dito que as confissões religiosas não seriam obrigadas a celebrar “casamentos” entre duas avantesmas nos seus respectivos templos ou igrejas. Mas agora, o governo “conservador” britânico mudou de opinião e já diz que vai apoiar — jurídica e financeiramente — as confissões religiosas que realizem “casamentos” entre pares nas suas igrejas, o que significa que o governo britânico não vai apoiar jurídica e financeiramente as confissões religiosas que não o façam (discriminação de tratamento ou “tolerância repressiva” segundo Marcuse).

A linguagem de David Cameron, que pode ser ouvida no áudio, é perfeitamente orwelliana quando diz o seguinte:

«Por ser absolutamente a favor do casamento, é que eu sou a favor do “casamento” gay.»

Esta proposição é contraditória, ou seja, induz em “pensamento duplo”, porque não é razoável definir o casamento apenas como uma espécie de amizade permitida pela polícia. O casamento é, por sua própria natureza, heterossexuado, e não heterossexual e/ou homossexual. O termo “casamento heterossexual” é tautológico, e o termo “casamento homossexual” é absurdo. O casamento é heterossexuado.

Portanto, não é possível ser a favor do casamento e simultaneamente ser a favor do “casamento” gay — e a prova empírica disto é que nas sociedades em que o “casamento” gay foi legalizado, o casamento (heterossexuado) vai deixando de fazer parte da cultura antropológica (por exemplo, em Portugal).

Nos cidadãos ingleses mais inteligentes, a linguagem orwelliana de David Cameron do “pensamento duplo” induz uma dissonância cognitiva, que pode conduzir, a prazo, a uma revolta (“o retorno do pêndulo histórico à sua posição natural”), ou pode conduzir a um baixar-de-braços do povo que permita uma instauração paulatina de um novo tipo de totalitarismo.

Das duas, uma: ou David Cameron é estúpido ou é um indivíduo imbuído de um espírito totalitário.

Adenda: A ler, sobre este assunto: Gay marriage given the green light for weddings in churches

Página seguinte »

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: