perspectivas

Sábado, 13 Fevereiro 2010

Face aos factos publicados no semanário “SOL”, o presidente da república, Prof. Cavaco Silva, deve demitir o primeiro-ministro, José Sócrates

Dos factos relatados nas duas últimas edições do semanário “SOL” acerca de escutas telefónicas realizadas no processo Face Oculta que ― segundo as interpretações do juiz de instrução e do procurador do Ministério Público do processo, ambos de Aveiro ― constituem fortes indícios de crime de atentado ao Estado de Direito envolvendo o nome do primeiro ministro de Portugal, José Sócrates, há que retirar imediatamente as seguintes ilações:

  1. O primeiro-ministro de Portugal não tem condições políticas objectivas para continuar no cargo; ou se demite, ou deve ser demitido pelo presidente da república.
  2. A cúpula da justiça portuguesa revelou-se em todo este processo ― no mínimo ― incompetente; porém, atendendo à interpretação racional dos factos e à forma como essa cúpula se comportou em todo o processo, o senso-comum aponta para a existência de fortes indícios de obstaculização da própria justiça que essa cúpula deveria coordenar e proteger. Essa obstaculização da justiça por parte de agentes de cúpula da própria justiça, só pode ter tido motivações políticas, o que significa que ou a justiça “arruma a sua casa” autónoma e rapidamente, ou deverá ser a política (em consenso alargado) a intervir na justiça de forma a repor a sua imparcialidade.


(more…)

Sexta-feira, 15 Janeiro 2010

A sub-informação do regime socialista

« O director-adjunto do semanário Sol, José António Lima, garantiu hoje ao organismo regulador dos media que uma pessoa próxima do primeiro-ministro tentou interferir no jornal, corroborando as acusações avançadas pelo director do título. »

inPúblico

Uma das vantagens do pluralismo democrático em comparação com os regimes totalitários ou autoritaristas, é a da livre concorrência entre órgãos de comunicação social (vulgo “mídia”). Quando a livre concorrência entre os órgãos de comunicação social é colocada em causa, em vez de “mídia” passamos a ter “me®dia”, na medida em que em vez de informação passamos a ter pseudo-informação [apologia e propaganda do partido político no poder] e sub-informação [tentativas sistemáticas de abafar a verdadeira informação que é, por natureza, social e politicamente “explosiva”].

Este caso do semanário “Sol” é grave e não pode ser esquecido ou abafado pela sub-informação do sistema socialista, e nesse sentido o jornal “Público” tem prestado um bom serviço ao pluralismo informacional quando não deixa a notícia cair no esquecimento.

Sábado, 29 Dezembro 2007

Revolta dos accionistas e clientes do BCP

Filed under: Política,Portugal — O. Braga @ 3:39 pm
Tags: , , ,

Nunca abri conta no BCP porque não gostei da ideia de Jardim Gonçalves de discriminar as mulheres na admissão ao funcionalismo do Banco. A discriminação das mulheres no trabalho tem muito de gay, e a Opus Dei de Jardim Gonçalves não escapa ao labéu.

Contudo, não deixo de divulgar esta iniciativa do Portugal Profundo, para quem é cliente e/ou accionista do Banco.

Terça-feira, 25 Dezembro 2007

Armando Vara

Filed under: Política — O. Braga @ 2:40 pm
Tags: , , ,

Conheci Armando Vara quando era um Presidente da Câmara de Mirandela, no dia em que o PM Cavaco Silva inaugurou o IP4 que liga Amarante a Bragança. De funcionário de balcão da Caixa Geral de Depósitos, Armando Vara chega a administrador da Caixa e, pelo que se sabe, é agora nomeado para gerir o BCP — e tudo isto através da política.

O principal mérito de Armando Vara foi o de fazer muito bem a gestão política da sua carreira. Só. Não existirá gente mais qualificada em Portugal para integrar a administração de um Banco?

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: