perspectivas

Quarta-feira, 12 Janeiro 2011

António de Macedo e o esoterismo rosacruciano no Novo Testamento

Num postal anterior falei de um livro de António de Macedo com o título “Esoterismo da Bíblia”, que é uma compilação de textos de que o autor se serviu — nas suas próprias palavras — “para um curso livre de introdução ao Estudo do Esoterismo Bíblico”, que leccionou “entre 2002 e 2006 no ISER (Instituto de Sociologia e Etnologia das Religiões), Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa”.
(more…)

Sexta-feira, 8 Agosto 2008

O castigo da consciência

Um dos grandes problemas do cristianismo é a absorção do judaísmo, a aglutinação de uma religião com a qual Cristo não concordava. Jesus Cristo combateu o Judaísmo, mas a Apologética medieval incluiu o Antigo Testamento na religião cristã.

Como cristão, devo aqui afirmar: não valorizo minimamente o Antigo Testamento. Nada. Não há nada no Antigo Testamento que eu considere como guia filosófico ou religioso. O que me interessa no cristianismo é o relato da vida de Jesus Cristo: os Evangelhos.

Não posso compreender que um católico possa — por um segundo — defender a pena de morte. Tratando-se de um monárquico, penso que deveria ter em mente que o nosso rei D. Carlos foi condenado à morte, e com o julgamento republicano feito à posteriori e à revelia (in absentia) do rei. Não podemos defender a pena-de-morte em função dos nossos valores, e condenar a pena-de-morte em função dos valores dos nossos adversários políticos.

Quem sabe, sabe que é a nossa própria consciência que castiga.

Um homem de posição perguntou então a Jesus: “Bom Mestre, que devo fazer para possuir a vida eterna?” Jesus respondeu-lhe: “Por que me chamas bom? Ninguém é bom senão só Deus. Conheces os mandamentos: não cometerás adultério; não matarás;não furtarás; não dirás falso testemunho; honrarás pai e mãe”.


(more…)

Quarta-feira, 14 Maio 2008

A carta de Einstein a Erich Gutkind

  1. “I want to know God’s thoughts; the rest are details.”
  2. “The only real valuable thing is intuition.”
  3. “Reality is merely an illusion, albeit a very persistent one.”
  4. I am convinced that He (God) does not play dice.”
  5. “God is subtle but he is not malicious.”
  6. “The eternal mystery of the world is its comprehensibility.”
  7. “Science without religion is lame. Religion without science is blind.”
  8. “God does not care about our mathematical difficulties. He integrates empirically.”

Estas citações são da autoria de Albert Einstein.


Saiu recentemente a notícia de uma carta de Einstein a Erich Gutkind, escrita em 1954, na qual Einstein terá escrito o seguinte:

“The word god is for me nothing more than the expression and product of human weaknesses, the Bible a collection of honourable, but still primitive legends which are nevertheless pretty childish. No interpretation no matter how subtle can (for me) change this.”

Como se explica a contradição entre o conteúdo das citações supracitadas e a carta que Einstein escreveu aos 75 anos de idade e um ano antes da sua morte?
(more…)

%d bloggers like this: