perspectivas

Sexta-feira, 1 Março 2019

Assunção Cristas é uma fraude

 

Assunção Cristas é uma fraude; aliás, não poderia ser de outro modo: foi nomeada (cooptada) por Paulo Portas para líder do CDS.

O Telmo A. Fernandes tem toda a razão no que escreve aqui:

feminismo-catolico-cristas-web“Havendo com certeza diversas tendências dentro desta agremiação, para o exterior diria que o CDS é visto em geral como um partido conservador nos costumes e liberal nas questões económicas.

É curioso porém notar dois exemplos recentes que parecem evidenciar precisamente o contrário: a sua presidente cede à agenda progressista da esquerda votando a favor da chamada lei da paridade de género; e o partido abstém-se na neofascista regulamentação que concede ao fisco acesso automático a saldos de contas bancárias acima de 50 mil euros”.

Este CDS (o de Assunção Cristas, e de Adolfo Mesquita Nunes que é homem de confiança de Paulo Portas no partido) é uma vergonha! Uma fraude!

Anúncios

Segunda-feira, 18 Janeiro 2016

O problema do Estado

 

Da palestra de Paul Gottfried podemos retirar as seguintes e principais conclusões:

  • O domínio da Esquerda no ocidente só vai parar quando as populações imigrantes (muçulmanas, na maioria) assumirem um papel preponderante nos países ocidentais.

A partir do momento em que a população islâmica na Europa, por exemplo, atingir uma determinada percentagem — a singularidade islâmica  —, todas as “vitórias” sociais e culturais da Esquerda serão revertidas e abolidas.

  • A única forma de derrotar a Esquerda (sem a contribuição islâmica) consiste no combate contra o Estado.

A Esquerda serve-se do Estado para prosseguir uma política de engenharias sociais e culturais; os partidos políticos legalizados existentes são extensões do Estado, sem excepção; a cultura antropológica é modelada pelo Estado e pela Administração Pública centralizada. O multiculturalismo, a burocracia e a Administração Pública centralizada são instrumentos políticos da Esquerda.

Neste contexto, por exemplo, a União Europeia é um instrumento político de Esquerda. Os partidos ditos de Direita que existem na maioria dos países da União Europeia são apenas instrumentos do maniqueísmo político da Esquerda, que se serve deles (dos partidos da dita Direita) para implementar uma política de “progresso da opinião pública”, em que a dita Direita é demonizada por forma a justificar a radicalização crescente do aprofundamento da intervenção do Estado na sociedade, e o aumento do Poder burocrático sem rosto.

É neste sentido que eu digo que Paulo Portas (com a ajuda de Adolfo Mesquita Nunes) “fechou a Esquerda à direita”. E Assunção Cristas vai continuar a mesma política de Paulo Portas de fechamento da Esquerda à direita (o CDS/PP transformado em um partido tampão que tenta impedir a formação de partidos políticos paleo-conservadores fora deste sistema político controlado pela Esquerda). Neste sentido podemos dizer que o CDS/PP é um partido político de Esquerda.

  • O combate contra o Estado consiste na redução drástica do seu Poder.

sociedade-civil
A receita foi dada por Tocqueville em finais do século XIX: o Estado tem que ser apenas mais uma instituição da sociedade civil. Não se trata apenas de uma descentralização do Poder do Estado: é também a transformação do Estado em um mero parceiro da sociedade civil, dando liberdade às comunidades locais e instituições da sociedade civil de se organizarem autonomamente.

Dado o Poder actual e crescente concentrado no Estado que serve a Esquerda, esta mudança não se fará sem violência — porque é todo o sistema político actual que está em causa. A actual “democracia” não é democrática: serve apenas uma elite de iluminados esquerdistas.

Domingo, 22 Novembro 2015

Adolfo Mesquita Nunes e a adopção de crianças por pares de invertidos

Filed under: Política,politicamente correcto — O. Braga @ 10:38 pm
Tags: , ,

 

Adolfo Mesquita Nunes, que como sabemos lamentavelmente pertence ao CDS/PP e é amigo de Paulo Portas, tece aqui (ver ficheiro PDF) uma série de argumentos a favor da adopção de crianças por pares de invertidos. Vamos analisá-los no essencial.

foi cesariana1/ Em primeiro lugar, Adolfo Mesquita Nunes parte do princípio de que dois invertidos podem ser “casados”, na medida em que se refere a eles os dois como um “casal”. Não é porque a lei decide que dois gays são “casados” que eles passam de facto a ser casados — assim como se a lei definir, por exemplo, que um ser humano se pode casar com um animal, os dois seres passam automaticamente a ser “casados”.

Na tradição portuguesa sempre se referiu a um “casal de animais” — por exemplo, de gatos ou de burros — como constituído por um macho e uma fêmea. Temos um casal de gatos quando os dois animais são de sexos diferentes, e um par de gatos quando são do mesmo sexo. Dizer que dois gays são um “casal” é um abuso de linguagem.

O “casamento” gay pode ser legal, mas não é legítimo, porque o casamento (ver definição) é uma instituição (ver definição) e não um mero contrato. Adolfo Mesquita Nunes vê no casamento um simples contrato (mero objecto da justiça comutativa) e, por isso, estaria melhor fora do CDS/PP — ou então teremos que organizar um partido alternativo, que é o que provavelmente vai acontecer no futuro, porque enquanto lá estiver Paulo Portas não desaparecem Adolfo Mesquita Nunes e quejandos.

Ao longo da História verificámos que sempre existiram “legalidades ilegítimas”. Como escreveu Rousseau, e bem!, “um direito digno desse nome não pode ser um direito que caduca quando a força bruta do Estado acaba”. Quando acaba a força bruta do Estado que legalizou o “casamento” gay (a questão dos limites da força bruta do Estado), o direito ao “casamento” gay caduca naturalmente, em função do próprio Direito Natural. Ou então a sociedade entra em colapso.

Em suma, o Adolfo Mesquita Nunes parte de um sofisma para fundamentar todo o seu (dele) raciocínio. E como ele fundamentou o seu raciocínio em um falso princípio, toda a sua  tese está errada (Aristóteles).

(more…)

Domingo, 2 Agosto 2015

O submarino do CDS/PP, Adolfo Mesquita Nunes, volta a atacar

 

Eu não leio o Expresso (ou Espesso?), mas acredito no que está escrito aqui em relação à reforma da lei do aborto:

« Adolfo Mesquita Nunes no Expresso de hoje sobre as alterações à lei 16/2007: “Há uma redução do espaço de liberdade da mulher. Isso seria suficiente para eu votar contra.” e “a alteração não vem colmatar nenhuma falha na aplicação da lei.”. »

Adolfo Mesquita Nunes está a mais no CDS/PP, e só se tem mantido lá por influência de Paulo Portas. Talvez seja chegado o momento de ambos saírem do partido — como aliás defende, subliminar- e nomeadamente, José Ribeiro e Castro.

Dizer que “a alteração não vem colmatar nenhuma falha na aplicação da lei”, quando, por exemplo, na anterior versão da lei, o aborto dava direito automático a férias pagas — é próprio de alguém que se identifica com minorias exóticas mais próprias do Partido Socialista.

Adolfo Mesquita Nunes deve ser convidado a sair do CDS/PP. Se não for a bem, vai a mal.

Sexta-feira, 18 Janeiro 2013

Um exemplo concreto da falácia lógica “Tu Quoque”

“A política é a ciência das estruturas sociais adequadas à convivência de seres ignorantes.”
— Nicolás Gómez Dávila

tu quoque web

Adolfo Mesquita Nunes é uma falácia personificada; é um erro de casting no CDS/PP. Ou então, mais vale ao CDS/PP de Paulo Portas fundir-se com o PSD do Pernalonga e abrir espaço para uma força política decente.

E de tal maneira Adolfo Mesquita Nunes é uma falácia com pernas, que até os bovinotécnicos de serviço na blogosfera o citam. Quem ouvir o Adolfo, dá impressão de que o CDS/PP e o Partido Social Democrata não estiveram no “governo da tanga” de que o Durão Barroso abalou a fugir pela janela fora para a comissão europeia, e que o aumento da despesa pública só aconteceu entre 2007 e 2009.

(*) A bovinotecnia é a arte de tratar do “gado” de uma forma tal que se consiga fazer crer aos “bovinos” que serão livres se abandonarem o seu estatuto de bovinidade.

Sexta-feira, 28 Dezembro 2012

Isabel Moreira defende Paulo Portas

Ana Gomes acusa Portas, Isabel Moreira defende-o, e ataca-a. Discussão envolve submarinos e os voos da CIA.

via Socialistas zangam-se por causa de Paulo Portas – Política – Sol.

Mau sinal. Muito mau sinal. Preferiria que Ana Gomes e Isabel Moreira, ambas do Partido Socialista, estivessem de acordo. Como dizia o velho António, que Deus o tenha: “em política, o que parece, é!”. E parece que Isabel Moreira defende Paulo Portas. ¿Será que tem alguma coisa a ver com Adolfo Mesquita Nunes?
(more…)

Domingo, 1 Julho 2012

Os comunistas australianos defendem o “casamento” gay como forma de destruir o capitalismo

SURRY HILLS, NEW SOUTH WALES, AUSTRALIA, June 26, 2012, (LifeSiteNews.com) – The Communist Party of Australia has weighed in on that nation’s debate over marriage, stating that redefining the age-old institution is a vital pillar of the Marxist war against capitalism and the Church.

An editorial in The Guardian, the official newspaper of the Communist Party of Australia, states that marriage arose out of private ownership, especially the need to inherit great estates. Since the priesthood is “a pillar of capitalism,” the “church sees marriage – as it defines it – as an institution vital to its continued power, indeed to capitalism itself.”

via Aussie Communists: ‘Strike blows’ against the Church and capitalism with same-sex ‘marriage’ | LifeSiteNews.com.

Quando nós vemos a posição de Adolfo Mesquita Nunes e de outros comparsas, no CDS/PP, acerca do “casamento” gay e da adopção de crianças por duplas de avantesmas, pergunto-me se é possível continuar com a liderança de Paulo Portas ou terão os militantes do CDS/PP de formar um novo partido.

O Partido Comunista australiano acaba de emitir um comunicado em que declara que o “casamento” gay é absolutamente essencial para destruir o capitalismo, e que serve inteiramente os interesses do comunismo. E tem absoluta razão.

Desde que tomámos conhecimento do que Engels escreveu acerca do casamento, que todos temos a obrigação de saber disso. Mas os estúpidos neoliberais da nossa praça adoram meter o pescoço no cepo; pélam-se por baixar as calças!

Há essencialmente dois tipos de estúpidos: os judeus americanos que apoiam Barack Hussein Obama, e os neoliberais portugueses.

Segunda-feira, 27 Fevereiro 2012

Adolfo Mesquita Nunes: o submarino

“Foi com perplexidade que assisti ao voto favorável vindo da bancada parlamentar do CDS-PP, por parte do Senhor Deputado Adolfo Mesquita Nunes, ao projecto de lei do Bloco de Esquerda sobre a adopção de crianças por “casais” do mesmo sexo.

Este Senhor Deputado já em 2007 tinha lutado a favor da liberalização do aborto, sendo assim co-responsável pelos mais de 80 mil bebés mortos legalmente, tudo patrocinado com o dinheiro dos nossos impostos.”

via Senza: Carta aos Deputados do CDS-PP.

Não tenho dúvidas nenhumas de que o CDS/PP de Paulo Portas pretende, a prazo, minar o CDS/PP naquilo que este partido tem de fundamental.
(more…)

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: