perspectivas

Terça-feira, 12 Janeiro 2016

Eu escrevo o português de Angola

Filed under: A vida custa — O. Braga @ 12:00 pm
Tags: , ,

 

Quando eu escrevo o português de Angola, sinto-me mais angolano do que português. Portugal é hoje uma colónia, e não um país soberano.

 

Domingo, 13 Outubro 2013

A visão simplista e facilitista da língua portuguesa

 

Sempre houve pessoas que acreditaram que o facilitismo é sinal de progresso. Por exemplo, leio aqui que desde o século XVI existiram pessoas que defenderam a eliminação das consoantes mudas na língua, alegadamente "para acabar com o analfabetismo":

«O século XVIII trouxe novas achegas a esta problemática com Luís António Verney, no “Verdadeiro Método de Estudar, para Ser Util à República e à Igreja”, 1746. Com ele, a simplificação da língua servia para acabar com o analfabetismo, para aprofundar o que podemos chamar de democratização cultural e possibilitar que Portugal acompanhasse o progresso científico e entrasse na modernidade. O critério etimológico devia ser substituído pelo fonético, com regras ortográficas mais realistas e criteriosas.»

Segundo este critério, a melhor forma de fazer progredir uma economia e um país é ir abandonando o esforço do trabalho: quanto menos se trabalha → menos esforço do cidadão, logo, → mais progresso. Ou seja: quanto menos esforço se exige do cidadão, mais ele aprende e progride.

É esta ideia, a de facilitismo como sinónimo de progresso, que orienta este Acordo Ortográfico.

Sexta-feira, 3 Fevereiro 2012

Graça Moura dá ordem aos serviços do CCB para não aplicarem o Acordo Ortográfico

“O recém-empossado presidente do Centro Cultural de Belém (CCB), Vasco Graça Moura, fez distribuir ontem à tarde uma circular interna, na qual dá instruções aos serviços do CCB para não aplicarem o Acordo Ortográfico (AO) e para que os conversores – ferramenta informática que adapta os textos ao AO – sejam desinstalados de todos os computadores da instituição.”

via Graça Moura dá ordem aos serviços do CCB para não aplicarem o Acordo Ortográfico – Sociedade – PUBLICO.PT.

Ainda há portugueses com “eles” no sítio; nem tudo está perdido!

Quarta-feira, 5 Outubro 2011

As consoantes surdas do Acordo Ortográfico

«Eu sou do tempo em que se escrevia “recepção”. Não adianta fingir que sou do tempo em que se escreve “receção” para nos aproximarmos dos brasileiros – que, curiosamente, vão continuar a escrever “recepção”.»

via Contra o corte cego da consoante muda – Visao.pt.

Sábado, 17 Setembro 2011

No Partido Socialista, há um pato que não foi quebrado!

Vejam aqui!

Quarta-feira, 2 Fevereiro 2011

Como se chamam os naturais do “Egito” ?

Filed under: A vida custa,acordo ortográfico — O. Braga @ 7:20 am
Tags:

A resposta está aqui.

Quinta-feira, 13 Janeiro 2011

Não desejo receber nada que aplique o novo Acordo Ortográfico

Assunto: Retirar Contacto

Ex.mos Senhores,

Não desejo receber nada que aplique o novo Acordo Ortográfico, que considero um atentado à nossa identidade nacional no que ela tem de mais genuíno: a nossa língua. E a nossa língua é o português europeu, que não necessita deste Acordo para nada.

Ler o resto

Quarta-feira, 8 Setembro 2010

A importância do Acordo Ortográfico

Filed under: A vida custa,acordo ortográfico — O. Braga @ 4:40 pm
Tags: ,

Segunda-feira, 6 Setembro 2010

Um exemplo concreto das consequências do Aborto Ortográfico

(more…)

%d bloggers like this: