perspectivas

Quarta-feira, 28 Março 2012

O descarte da pessoa, isolada, face ao leviatão

Filed under: A vida custa,ética,cultura,globalização,Sociedade — orlando braga @ 8:22 am

“O Homem actual não vive no espaço e no tempo; em vez disso, vive na geometria e nos cronómetros.”
— Nicolás Gómez Dávila

Num dos últimos programas “Avenida da Liberdade” na RTPN, Bagão Félix chamou à atenção para o fenómeno da extrema efemeridade dos acontecimentos, e a tal ponto que factos e eventos de relevo são esquecidos a uma velocidade estonteante. (more…)

Quarta-feira, 18 Janeiro 2012

Recado para os adeptos de Ron Paul

Filed under: globalização — orlando braga @ 9:11 pm
Tags: ,

“O povo [americano] está tão oprimido e angustiado pela crise, que um alívio financeiro imediato bem pode desviar suas atenções dos perigos que o esperam, em futuro não muito longínquo, caso a América se desarme ante seus inimigos externos e internos e, assumindo as culpas de tudo o que se passa de mau no mundo, consinta em desmoralizar-se ainda mais. Tal é precisamente a proposta de Ron Paul.

Esse estranho ser de duas cabeças, direitista em casa, esquerdista no mundo, que se apresenta como o pai do Tea Party mas tem entre seus votantes 57 por cento de anticonservadores, parece ter sido criado especialmente para confundir o eleitorado, tal como um certo personagem que bem conhecemos por aqui, aquele que na mesma semana foi homenageado por sua adesão ao capitalismo e por sua fidelidade ao comunismo.”

via Mais um homem de duas cabeças.

Assino por baixo, com as duas mãos.

Dormir passa a ser uma concessão decorrente do acordo de concertação social

“O acordo estabelece o fim do descanso compensatório pelo trabalho suplementar prestado, que fica apenas com um acréscimo salarial de 25%, ficando assegurados os períodos de descanso diário e de descanso semanal obrigatórios.”

via Trabalhar aos sábados e feriados deixa de dar direito a folga extra – Economia – PUBLICO.PT.

Acho esta notícia extraordinária: o período de descanso diário — ou seja, a possibilidade de uma pessoa poder dormir — fica assegurado pelo acordo. E o período de descanso semanal — que pode não ser ao Domingo — também fica assegurado pelo acordo da concertação social.

A possibilidade de uma pessoa dormir [e já não falo no resto] é vista como uma concessão que advém do acordo de concertação social, e não um direito natural que existe não só para o ser humano como para muitos outros animais. E o direito sagrado do dia de descanso semanal, que é bíblico [o Sabath judaico, que mais tarde os cristãos transferiram para o Domingo que significa “Dia do Senhor”], para além de não ser hoje respeitado pela lei, é também visto como uma concessão da benevolência do sistema económico/político.

Quando a possibilidade de uma pessoa poder dormir, e/ou a possibilidade de uma pessoa poder ter direito ao Domingo, têm necessidade de ficar asseguradas por um acordo de concertação social, não estamos a falar de “um retorno ao feudalismo” como diz a CGTP, porque durante o feudalismo esses direitos ao descanso do ser humano nunca foram vistos como uma concessão decorrente de um acordo entre as classes sociais; o que está realmente a acontecer é a sinificação [transformação em uma espécie de China] paulatina da sociedade portuguesa e da periferia europeia, em que o próprio direito ao descanso e ao sono é colocado em causa.

Quarta-feira, 21 Setembro 2011

A “revolução” conservadora que urge

«Necessário, útil, agradável e supérfluo, tudo isto, para nós [economistas], é apenas mais ou menos útil. Não há também que ter aqui em conta a moralidade ou a imoralidade da necessidade à qual responde a coisa útil que permite satisfazer.

Que uma substância seja procurada por um médico para curar um doente, ou por um assassino para envenenar a sua família, é uma questão muito importante para outros pontos de vista, mas de todo indiferente para a economia. A substância é útil, para nós [economistas], nos dois casos, e pode sê-lo mais no segundo do que no primeiro.»

Léon Walras

Se Aristóteles lesse isto ficaria certamente deprimido durante algum tempo, e S. Tomás de Aquino cairia, duro, para trás. Porém, um verdadeiro liberal — como, por exemplo, alguns dos escribas do Blasfémias — terá que necessariamente concordar com Walras, ou então não é verdadeiro liberal.
(more…)

Quinta-feira, 12 Maio 2011

Sobre o acto de guerra que eliminou Ossama Bin Laden

Tem feito correr muita tinta a reacção de algumas personalidades conhecidas do mundo da política internacional que rejubilaram com alegria esfuziante, aquando da morte de Ossama Bin Laden (OBL), por um lado, e a reacção de uma casta de pseudo-intelectuais que condenaram o que eles chamaram de “execução sumária” do referido terrorista, por outro lado. No primeiro caso está, por exemplo, a boçal Ângela Merkel; e no segundo caso o execrável neomarxista americano Michael Moore.
(more…)

Terça-feira, 8 Março 2011

A economia torta precisa de uma política conservadora que a endireite

“Eu tenho uma licenciatura, sou qualificada, logo, quero trabalhar” — leio aqui.

1. Na Tunísia, 57% das pessoas que entram no mercado são licenciados em universidades. Cinquenta e sete porcento. Nesse país, a taxa de desemprego entre licenciados é de 45%, ou seja, três vezes mais do que a média nacional tunisina. Esta é a razão por que os jovens licenciados tunisinos têm tempo disponível para participar em Manifes e “arranham” a língua inglesa.

Em Portugal, os números não são muito diferentes: em 2007 a taxa de desemprego entre os licenciados era de 59,3%. Existem outras estatísticas que estão disponíveis na Internet.
(more…)

Segunda-feira, 7 Fevereiro 2011

As impressões digitais de George Soros na revolução egípcia

Filed under: globalização,Tuitando e blogando — orlando braga @ 7:03 am
Tags: ,

Terça-feira, 1 Fevereiro 2011

O “triple blind” egípcio

Filed under: globalização,Política — orlando braga @ 8:03 am
Tags: , , , ,

Enquanto que a Aljazeera incentivava o ódio entre a população egípcia, o preço do petróleo em bruto aumentava, e o Catar, onde está sediada a Aljazeera, vê assim aumentar os seus lucros como produtor de petróleo e gás natural. Entretanto, Mubarak mandou fechar os escritórios da Aljazeera no Cairo. Ou seja: a mais remota possibilidade de a Irmandade Islâmica egípcia poder chegar perto do Poder fez disparar o preço do petróleo, na medida em que o canal do Suez é controlado pelo Egipto.

No Egipto temos hoje uma situação de triple blind : Mubarak, Elbaradei e/ou a Irmandade Islâmica.
(more…)

Sexta-feira, 21 Janeiro 2011

A nova barbárie política e o Novo Totalitarismo

Um blogue que deve ser seguido quase como uma obrigação, é o blogue das Famílias Portuguesas. Nele, aconselho a leitura de um artigo com título “O Inimputável”.

«A família transmite princípios, valores e directrizes morais que os defensores da modernidade abominam. Com efeito, é através da família que é imprimida na mente e no coração dos jovens uma ideia insubstituível e estruturante: a estabilidade.»

(more…)

Terça-feira, 21 Dezembro 2010

Quando a esquerda radical se junta ao clube de Bilderberg

Clique p/ ler a notícia nos merdia



(more…)

Quarta-feira, 15 Dezembro 2010

A crise financeira de George Soros e dos Bilderbergers, a Wikileaks e a blogosfera

(more…)

Quinta-feira, 25 Novembro 2010

O fim do Estado-social

Filed under: economia,globalização — orlando braga @ 9:39 am

A partir do momento em que alguns países da Europa entram em concorrência económica aberta com países do quarto-mundo, os apoios sociais, por parte do Estado e nesses países europeus, têm que ser eliminados. Acreditar em coisa diferente disto é não ter a noção da realidade.

Quem defende a total liberalização da economia mundial, defende o fim de qualquer apoio do Estado ao cidadão. Nivela-se por baixo.

Página seguinte »

The Rubric Theme. Create a free website or blog at WordPress.com.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 450 outros seguidores