perspectivas

Sexta-feira, 10 Janeiro 2014

A liberdade religiosa está a ser ameaçada pela aliança da direita com a esquerda

 

Este texto dá-nos uma visão breve do processo histórico recente que levou a colocar em causa a liberdade religiosa nos Estados Unidos. Um facto que é de extrema importância, e que eu chamo à vossa atenção, é o da aliança entre a direita neoliberal Goldman Sachs e a esquerda marxista cultural, no sentido da limitação e restrição da liberdade religiosa nos Estados Unidos. Ou seja: por razões diferentes, a direita Goldman Sachs e a esquerda marxista cultural estão de acordo no que respeita à limitação da liberdade religiosa.

(more…)

Segunda-feira, 2 Dezembro 2013

A Croácia proíbe o “casamento” invertido e anfíbio

 

 

bandeira da croacia“Os croatas aprovaram, em referendo, uma revisão da Constituição para impedir o chamado «casamento entre pessoas do mesmo sexo». A iniciativa partiu das forças políticas defensoras da Civilização e contou com o apoio da Igreja Católica, que na Croácia se movimenta em defesa dos valores cristãos e da família natural.

O Governo de esquerda tentou travar esta emenda constitucional. O Primeiro-Ministro, Zoran Milanovic, defensor da aberração chamada «casamento entre pessoas do mesmo sexo», lamentou em tom ameaçador a decisão dos croatas.”

(Fonte)

Domingo, 1 Setembro 2013

Foi você que pediu o “casamento” gay ?

Estatísticas publicadas no Canadá revelam que 4 em 5 assassinatos de gueis são perpetrados pelos respectivos “maridos”; ou seja, um “marido” guei mata o outro “marido”. E depois aparecem, nos jornais, parangonas contra a “homofobia dos heterossexuais”.

- Homicides chez les hommes gais lors de situations de violence conjugale : des statistiques alarmantes

No ano de 2010, aconteceram na cidade de Montreal 11 assassinados devido a violência doméstica; e dessas 11 mortes, 4 mortos eram “maridos” guei. Se tivermos em consideração o facto de os “maridos” guei serem uma minoria ínfima da totalidade dos maridos de Montreal, podemos ver a dimensão do problema da maridagem guei.

Não existem estatísticas em Portugal, porque a maridagem da ILGA Portugal não deixa. Mas no Canadá e em 2004, 15% dos gueis e das fufas declararam ter sido vítimas de violência dos respectivos e respectivas “maridos” e “maridas”, ao passo que no mesmo ano, apenas 7% dos cônjuges heterossexuados sofreram de violência doméstica.

Foi você que pediu a maridagem guei? Então limpe-se a esse guardanapo.

Sábado, 10 Agosto 2013

A Gaystapo em acção na Escócia

«The Court of Session in Edinburgh has fined a Scottish man £40,000 ($62,020 U.S.) in damages after he sent a message on Twitter calling a lesbian same-sex “marriage” advocate “a danger to children.”

Lesbian Jaye Richards-Hill sued David Shuttleton, an antiques dealer from Barrhead, near Glasgow, for defamation because of his remarks about her homosexual activism.»

O escocês David Shuttleton foi condenado por um tribunal a pagar cerca de 47 mil Euros por ter colocado uma mensagem no Twitter em que dizia que uma activista dos Khmers Rosa, de seu nome Jaye Richards-Hill, era um “perigo para as crianças”.

A agente da Gaystapo Jaye Richards-Hill recorreu para o tribunal da Ingaysição que, de acordo com a doutrina da Al Gayeda e segundo as normas do salafismo gay, condenou o cidadão David Shuttleton a pagar uma indemnização de 47 mil Euros por delito de opinião.

gay-inquisition-500-web-001.jpg

Quarta-feira, 27 Março 2013

Walter Schumm: um reaccionário troglodita, um nazi sanguinário, um porco homófobo e um estúpido ignorante

Antes de mais nada, convém dizer que o professor Walter Schumm não era, até há pouco tempo, um reaccionário troglodita, um nazi sanguinário, um porco homófobo e um estúpido ignorante. Pelo contrário, Walter Schumm assumiu posições e postulados, num passado recente, que são hoje utilizados pelo lóbi político gay para defender a adopção de crianças por pares de homossexuais. Já agora: Walter Schumm é professor na universidade do Kansas, Estados Unidos.

Um recente estudo do professor Walter Schumm demonstrou que grande parte dos jovens na casa dos vinte anos, e que foram criados por pares de lésbicas ou gays, assumem a homossexualidade. Ou melhor dizendo: 58% dos jovens criados por pares de lésbicas, e 33% dos jovens criados pares de gays, descrevem-se a si mesmos como “homossexuais”.

Ou seja, e em cálculos muito rápidos: se, por hipótese académica e numa primeira geração em consideração, 5% do total das crianças de uma sociedade fossem adoptadas e criadas por pares de homossexuais, a segunda geração de pares homossexuais potencialmente adoptantes de crianças seria da ordem dos 9,5% do total [de crianças] — o que corresponderia a um aumento geométrico da percentagem de homossexuais em circulação na sociedade.

¿Percebem agora por que razão o lóbi político da Gaystapo pretende a adopção de crianças?

Por outro lado, o estudo do professor Walter Schumm destruiu completamente o argumento da Gaystapo segundo o qual “os homossexuais já nasceram homossexuais”. É óbvio que, salvo os casos de anomalia genética (ADN), ninguém “nasce homossexual” — assim como ninguém “nasce maçon” e apesar disso a maçonaria parece existir há milhares de anos.

A partir de agora fica claro que Walter Schumm vai passar a ser um reaccionário troglodita, um nazi sanguinário, um porco homófobo e um estúpido ignorante.

Terça-feira, 12 Março 2013

O “bullying homofóbico” e o lóbi político homofascista

policia pensamentoA notícia do pasquim Público é extraordinária: alegadamente, crianças entre os 6 anos de idade e os 9 anos, são vítimas de “bullying homofóbico” nas escolas primárias (ensino básico) — como se as crianças dessa faixa etária tivessem uma vida sexual activa. ¿ Como é possível levar a sério esta gente? ¿ O que é que se passa com a imprensa?

1/ ¿ O que é o “bullying homofóbico”?

2/ ¿ O que são “comentários homofóbicos”?

Desde logo, o lóbi político gayzista constata, alegadamente, que existe em Portugal uma média de 3,36 queixas de “bullying homofóbico” por ano, e em todos os estabelecimentos de ensino do país. O que é que este número significa? Significa que o lóbi político gayzista acha que 3 queixas — por aquilo que se entende por “bullying homofóbico” — por cada ano, e em todas as escolas primárias, secundárias e universidades do país, é um “número monstruoso” e que merece o policiamento do pensamento dos alunos.


liberdade de expressão web png1/ Não existe uma definição de “homofobia” (até porque não existe uma definição de “homossexualidade”!). Desafio a quem quer que seja que defina “homofobia”. Existe um conceito de “homofobia” — mais ou menos alargado e/ou subjectivo —, mas não existe uma noção de “homofobia”. Ora, se não existe uma definição de “homofobia”, ¿ como se pode, então, definir “bullying homofóbico”? Podemos falar em bullying, em termos gerais, mas a noção de “bullying homofóbico” é um absurdo, porque se qualifica a priori uma categoria específica de bullying que não é definível.

2/ O lóbi político homofascista considera que comentários de tipo “os sapatos cor-de-rosa, nos homens, são uma característica dos invertidos” são “comentários homofóbicos”. O problema do lóbi político homofascista relaciona-se com a linguagem utilizada, e não com a particularidade de o comentário ser verdadeiro, ou não. Dou um exemplo com uma proposição:

“As mulheres, em geral, pensam de uma forma independente e livre, libertas em relação às normas masculinas e opressivas que se caracterizam pela dedução racional”.

Qualquer feminista radical aplaudiria esta minha proposição (até a deputada do Partido Socialista, Isabel Moreira!). Agora, a seguinte proposição:

“As mulheres, em geral, são ilógicas”.

¡ Explodem as cabeças das feministas e dos agentes do politicamente correcto!

E porquê? Porque, na primeira proposição, está implícita uma apologia (um pretenso elogio) da ilogicidade da mulher, e na segunda está implícita uma crítica. O problema do politicamente correcto está em relação a qualquer crítica a qualquer comportamento que diga respeito a um qualquer grupo social considerado alegadamente vítima de “dominação” — mesmo que esse grupo social seja intrinsecamente totalitarista.

Se disséssemos assim: “os sapatos cor-de-rosa, nos homens, são uma característica da diversidade sexual” — então, veríamos o politicamente correcto bater palmas. Mas no fundo, as duas frases significam a mesma coisa: a diferença é que a primeira frase é crítica de um comportamento, e a segunda frase pretende fazer a apologia desse mesmo comportamento.

Quando, numa sociedade, a liberdade de qualquer crítica a um qualquer comportamento passa a ser reprimida pela força bruta do Estado, estamos em presença de uma deriva totalitária da democracia — mais ou menos aquela que Tocqueville denunciou e que consiste na atomização da sociedade mediante a quase total intermutabilidade do indivíduo.

Constatamos o paradoxo do politicamente correcto: alegadamente em nome dos direitos privados do indivíduo, anulam-se os direitos sociais e privados do indivíduo.

Segunda-feira, 4 Fevereiro 2013

O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos adopta John Rawls

A política actual pode ser basicamente classificada segundo três categorias éticas: os liberais igualitaristas (por exemplo John Rawls & herdeiros ideológicos), os libertários (por exemplo, Nozick & Herdeiros), e os comunitaristas (por exemplo, Alasdair MacIntyre, Charles Taylor, Michael Walzer & Companhia Lda) que incluem também os conservadores e os paleo-conservadores americanos. O que os distingue as categorias entre si é a visão que têm do ser humano.
(more…)

Quinta-feira, 31 Janeiro 2013

Já ninguém pode dizer que ignora a agenda política homossexualista

Chris Ashford, Reader in Law and Society at the University of Sunderland analyses the Marriage (Same sex Couples) Bill for PinkNews and argues that despite first appearances, it isn’t the final piece of the jigsaw to achieving gay equality.

via Comment: The same-sex marriage bill isn’t the end of the journey towards gay rights – PinkNews.co.uk.

Chris Ashford, activista político homossexualista e Leitor em Direito da Universidade de Sunderland, Reino Unido, escreveu no sítio PinkNews que a legalização do “casamento” gay é apenas o início de um “caminho sem fim” em direcção à “total liberdade sexual”, que deverá incluir acesso livre e universal à pornografia (incluindo as crianças), à poligamia, ao incesto e às relações sexuais com crianças em função do “consentimento” dado por estas.

Verificamos, assim de repente, três factos objectivos:

1/ As academias e/ou universidades conduzem o processo de degeneração da cultura antropológica na Europa.

2/ A maçonaria perfilha esta agenda política homossexualista, como vemos hoje, por exemplo, em França e em Inglaterra.

3/ Os ideólogos homossexualistas já não escondem a sua agenda política, por um lado, e por outro lado, dado o clima de inanição cultural na Europa, partem já do princípio segundo o qual a “vitória é certa”.

the same sex marriage bill isn’t the end of the journey towards gay rights   PinkNews.co

[ ficheiro PDF ]

Terça-feira, 29 Janeiro 2013

O testemunho de um cidadão (Robert Oscar Lopez) que foi criado por duas lésbicas

Robert-Oscar-Lopez web

“History repeats. The movement to liberate same-sex love began because people loved each other.  Somehow, through convoluted digressions, it has become a tyrannical octopus seeking to control life and death itself.

The Rubicon was crossed when the gay movement sided with human trafficking; graft-ridden dirty deals with warlords for orphanages; bio-engineering, baby-farming, and emotional deprivation of innocent children by forcing them to replace a biological parent with a fictional same-sex partner.  Naturally, any child forced into such a psychically traumatic origin fantasy who feels resentful about it will be cursed by its caretakers as not only ungrateful, but also a homophobe.”

via Articles: The Oncoming Human Rights Crisis…Caused by the LGBT Movement.

Quarta-feira, 23 Janeiro 2013

O “casamento” gay põe fim à monarquia inglesa

paul flynn web“A child of a ‘royal gay marriage’ should be an heir to the throne, even if the child is not genetically connected to the royal line, an MP says.

Labour MP Paul Flynn wanted to change the Succession to the Crown Bill so that an adopted child or one conceived using insemination would become monarch.

Mr Flynn told The Sunday Times: “The amendment is to future-proof the legislation to ensure that every conceivable situation is catered for.”

via MP wants child of ‘royal gay marriage’ to get crown | News | The Christian Institute.

O deputado trabalhista inglês Paul Flynn declarou em uma entrevista ao Sunday Times que o regime multissecular de sucessão da coroa britânica terá que ser alterado, por via da legalização do “casamento” gay.

Assim, a criança de um “casamento gay real” (sic) deverá herdar o trono inglês, mesmo que essa criança não seja geneticamente ligada à linha real sucessória: poderá ser adoptada ou gerada por procriação medicamente assistida.

Está à vista o que a maçonaria pretende sem o confessar aos ingleses: acabar com a monarquia em Inglaterra.

Terça-feira, 4 Dezembro 2012

Decadência da sociedade

“Durante milénios, o Estado não casava ninguém, deixando isso ao costume social ou às entidades religiosas. Em Portugal, o casamento civil só surgiu em 1832, obrigatório a partir de 1911. Na Inglaterra foi apenas em 1837, na Alemanha em 1875; até a França, a mais antiga, teve-o unicamente em 1792. A situação anterior é razoável por ser sumamente aberrante o rei pretender regulamentar o amor. Só um tempo como o nosso, com uma doentia ânsia legislativa, aspira a tal coisa.”

via Logos: O ridículo da geração – João César das Neves.

casamento gay decadencia da sociedade web

Domingo, 25 Novembro 2012

Contra-manifestação feminista à marcha francesa “Todos Pelo Casamento”

Mais de 200 mil pessoas manifestaram-se em Paris a favor do casamento tradicional e natural, e contra a adopção de crianças por duplas de homossexuais. Podemos ver neste vídeo no Youtube a contra-manifestação violenta do feminismo organizado que utilizou extintores de incêndio contra os manifestantes.

Página seguinte »

The Rubric Theme Blog em WordPress.com.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 449 outros seguidores