perspectivas

Sexta-feira, 18 Março 2022

Francisco J. Marques e o ódio que os “lisboeiros” têm ao norte de Portugal

Filed under: FC Porto,FCP,Lisboa,Lisboeiros — O. Braga @ 9:48 am

O Director de Comunicação do FC Porto, Francisco J. Marques, tem sido alvo de uma campanha caluniosa da parte dos me®dia de Lisboa, nomeadamente no canal CMTV que, através da jornaleira borrachona Tânia Laranjo, tratou de (mais uma vez) levar a mentira desbragada ao povo português.

Neste esforço de desinformação, por parte da CMTV, há que sublinhar o papel da jornaleira Mariana Águas (as mulheres da família Águas nunca foram grande espingarda), o benfiquista Diamantino Miranda (o tal que foi expulso de Moçambique, considerado Persona Non Grata por aquele país, e agora entretém-se a comentar os problemúnculos da vida pessoal de outrem).

Porém, a pior prestação opinativa veio de uma advogada que participou ontem em um programa da CMTV, que é filha de um conhecido dirigente histórico do MRPP. Aquele estafermo causídico partiu do princípio de que as “informações” fornecidas pela jornaleira Tânia Laranjo seriam verdades insofismáveis e, por isso, passou à condenação judicial de Francisco J. Marques, em directo na TV, ao vivo e a cores.

O Jornal de Notícias publica aqui o desmentido oficial de Francisco J. Marques. Sinceramente espero que a CMTV vá parar a tribunal por calúnia, assim como o referido estafermo causídico que condenou o Francisco J. Marques em praça pública e sem julgamento.

lisboa a prostituta web

Sábado, 29 Janeiro 2022

Campeões de Inverno

Filed under: FC Porto,FCP — O. Braga @ 6:24 pm

Se o Benfica, ou o Sporting, têm mais pontos em fins de Dezembro, um deles é o Campeão de Inverno.

Se o FC Porto tem mais pontos no fim do ano, o Campeão de Inverno é o vencedor da Taça da Liga (troféu que o FC Porto não valoriza).

O centralismo lisboeiro é isto. Sinceramente, prefiro ligar o norte de Portugal à Galiza: apesar de tudo, somos melhor tratados.

Terça-feira, 23 Novembro 2021

O que a Polícia Judiciária encontrou no estádio do FC Porto é muito anormal

Filed under: FC Porto,FCP — O. Braga @ 3:31 pm

slb2Durante as buscas mandatadas pelo juiz lisboeiro que nasceu nas Beiras (outro parolo que emigrou para Lisboa), a Polícia Judiciária encontrou documentação histórica considerada anormal na tradição portuguesa, a ver:

  • 2 taças dos Campeões Europeus
  • 2 taças da Liga Europa
  • 1 Supertaça Europeia
  • 2 Taças Intercontinentais

Perante estes factos, a Polícia Judiciária teve que recorrer à Interpol para conseguir interpretar os referidos achados, e espera que o juiz lisboeiro que nasceu nas Beiras dê ordem de arresto aos objectos encontrados.

Sábado, 22 Maio 2021

Eu confio mais no laboratório UNILABS do que na Justiça portuguesa

Filed under: Esta gente vota,Estado Lampiânico,FC Porto,FCP,Justiça — O. Braga @ 3:13 pm

Um juiz envia dez automóveis repletos de agentes da Polícia Judiciária para a sede do FC Porto para investigar um alegado falseamento de um teste de COVID-19 de um jogador que já não se encontra em Portugal desde Janeiro.

Ou seja: uma denúncia anónima espoleta uma missão de 30 agentes da Polícia Judiciária para investigar um jogador de futebol que já não vive em Portugal. Coisa como esta, nem na China comunista!

justa-corrupta-webE não venham, os corporativistas do costume, com tretas: a proporcionalidade do escopo da missão é da responsabilidade do juiz que assina a busca (neste caso, o juiz Carlos Alexandre).

Mais grave: quando os 10 carros com agentes da Polícia Judiciária chegaram às instalações do FC Porto, já lá estava a estação de televisão CMTV à espera deles para uma emissão em directo. Ele há “coincidências” do camandro…! é Lisboa em acção e no seu melhor (a capital-do-império-que-já-não-existe)!

Só lá faltava uma dúzia de helicópteros para fazer um perímetro de segurança aérea, e a polícia de choque em barda para reprimir os membros da direcção do FC Porto! (já não falando na necessidade de alguns F16 para garantir a defesa em caso de invasão do exterior).

Os juízes portugueses funcionam em absoluta roda livre. E não é de agora.

O estatuto de inimputabilidade dos juízes portugueses evoluiu para uma espécie de assunção do acto gratuito como prerrogativa política do juiz.

A Justiça portuguesa perdeu credibilidade; está politicamente instrumentalizada — e isto não significa que os juízes obedeçam necessariamente à classe política: na maioria dos casos, é o próprio juiz que marca a agenda política (por exemplo, Ivo Rosa).

Por este andar, seremos obrigados a rever o estatuto de inimputabilidade dos juízes.

Sexta-feira, 17 Julho 2020

¿Por que razão os polícias andam em grupos de três?

Filed under: A vida custa,FC Porto,FCP — O. Braga @ 12:13 pm

Eu gostaria de ter a mesma opinião do André Ventura em relação à polícia, mas infelizmente os factos demonstram que ele não tem a razão que julga ter.

Vemos aqui em baixo uma demonstração musculada da polícia em relação a duas raparigas adeptas do FC Porto — claramente, um exercício desproporcionado de força bruta policial sobre duas jovens mulheres.

Não me interessa saber quais as razões da carga policial sobre essas duas mulheres; basta-me a evidência de que não é necessária tanta força bruta e animal de três polícias para (alegadamente) disciplinar uma ou duas mulheres.

Conta-se a estória acerca da razão por que os polícias andam quase sempre em grupos de três: um deles sabe ler; outro, sabe escrever; e o terceiro gosta de acompanhar intelectuais.

Sábado, 11 Julho 2020

O jornaleiro Rui Santos, transcorrendo sobre o Benfica e o FC Porto, em Janeiro de 2020

Filed under: Benfica,FC Porto,FCP,Futebol — O. Braga @ 11:13 am

Segunda-feira, 6 Julho 2020

A reacção do Benfiquistão em relação aos resultados do FC Porto

Filed under: FC Porto,FCP,Futebol — O. Braga @ 2:16 pm
Tags:

paulo-garcia-web

Quarta-feira, 4 Março 2020

A sanha da capital-do-império-que-já-não-existe contra o FC Porto

Filed under: FC Porto,FCP,Lisboa,Lisboeiros — O. Braga @ 5:47 pm

Na passada Segunda-feira, o FC Porto passou para o primeiro lugar no campeonato nacional, e imediatamente os poderes fácticos lisboetas se insurgem contra o clube, chegando ao ponto de revistar a casa de Iker Casillas.

Naturalmente que tiveram que dizer ao povo do norte que iriam fiscalizar “todos os clubes”: se assim não fosse, não conseguiriam disfarçar a sanha prepotente do poder centralizador da capital-do-império-que-já-não-existe.

Terça-feira, 18 Fevereiro 2020

A direcção do FC Porto deve abster-se de declarações públicas político-partidárias

Filed under: FC Porto,FCP — O. Braga @ 4:16 pm

Não é a primeira vez que alguns comentadores oficiais de futebol do Porto Canal defendem posições políticas do Bloco de Esquerda. Mas, mais grave, são algumas opiniões proferidas pelo director de comunicação do FC Porto — seja no Porto Canal, seja no Twitter — que coincidem nitidamente com posições políticas do Bloco de Esquerda.

O FC Porto não é um clube de esquerda, e muito menos da extrema-esquerda.

Ou melhor dizendo: se o Francisco J. Marques pensa que o FC Porto é um clube de esquerda, então convém que faça disso alarde público, para que sócios como eu deixem de pagar as quotas. E o mesmo se aplica a Pinto da Costa.

Segunda-feira, 17 Fevereiro 2020

O Benfica agradece ao Marega e ao “efeito Joacine”

Filed under: FC Porto,FCP,Futebol — O. Braga @ 10:08 am

1/ Na época 2016/17, o Marega foi jogador do Vitória de Guimarães; durante um determinado jogo do Vitória, um grupo de espectadores— vou repetir: um grupo — berrou repetidamente “Marega vai pró caralh*”. Acto contínuo, o Marega intempestivamente saiu do campo de jogo, deixando a sua própria equipa a jogar com menos um jogador. O Marega borrifou-se para a sua equipa: o que interessou ao Marega foi contrariar esse grupo de adeptos, e afirmar publicamente que não estava disponível para ir “pró caralh*”.

O Marega é isto. O Marega tem um ego do tamanho do universo e uma inteligência de galinha.

2/ Eu vi o jogo de ontem (entre o Vitória e o FCP) pela televisão e não me apercebi de quaisquer invectivas racistas, vindas do público, contra Marega.

3/ Os 2 (dois) comentadores da SPORT TV1, que estavam no campo de jogo, também não se aperceberam de quaisquer insultos racistas vindos das bancadas, dirigidos ao Marega.

4/ O treinador do Vitória não se apercebeu de qualquer insulto racista contra Marega. Não tenho razões objectivas para duvidar da palavra dele.

5/ Não quero dizer com isto que não tenham existido insultos racistas contra Marega; o que eu coloco racionalmente em causa é a dimensão do problema criado pela interacção desse pequeno grupo de adeptos, por um lado, e Marega, por outro lado; e esse problema foi alimentado pelos me®dia. O Marega sabia bem o que estava a fazer.

Provavelmente terá sido um grupelho de 30 a 50 adeptos do Vitória a insultar Marega; e este pequeno incidente foi transformado, pelos me®dia, controlados pela extrema-esquerda (por exemplo, pelo radical emasculado Miguel Guedes, na TVI24), em uma espécie de desastre nacional.
De repente, “Portugal é um país profundamente racista” (como afirmou o Pedro Marques Lopes; excepto ele, obviamente: ele parece não ser português).

6/ Graças ao Marega e ao seu incomensurável ego e cérebro de galináceo, os me®dia falaram mais do “racismo de todos os portugueses” do que da vitória do FC Porto. Veio mesmo a calhar aos me®dia lisboeiros. O Benfica agradece ao Marega e à Joacine "Vai-te Katar" Moreira. Talvez tenha chegado o momento de mandar o Marega “pró Benfica”.


Nota: eu sou sócio do FC Porto.


Adenda: a cultura de vitimização, adoptada pelas “elites”

O teórico esloveno Slavoj Žižek contou uma anedota que caracteriza bem a Esquerda actual.

Numa sinagoga, o rabino rasga as vestes, gritando:

“Ó Javé, eu sou um pecador e não mereço a tua misericórdia!”.

E um judeu rico, chamado ao púlpito, secundou o rabino:

“Ó Javé, não tenhas pena de mim e castiga-me, porque sou um pecador!”.

E um judeu pobre, andrajoso, tartamudeou na plateia:

— “Ó Javé, ajudai-nos que somos todos pecadores!”

E diz o judeu rico para o rabino, apontando para o judeu pobre:

— ¿Quem é que essa criatura pensa que é?!!!

Sábado, 12 Maio 2018

Apresento os meus pêsames aos ‘cartilheiros’ do Benfica

Filed under: Benfica,FCP — O. Braga @ 7:59 pm

 bucha-estica-benfica-web

Quinta-feira, 15 Fevereiro 2018

A abada do Liverpool: Sérgio Conceição teve culpa #SomosPorto

Filed under: FC Porto,FCP — O. Braga @ 10:52 am

 

1/ Sérgio Conceição sabia que o meio-campo do Liverpool era fisicamente fortíssimo.

2/ Sérgio Conceição sabe que os jogos (normalmente) ganham-se e perdem-se no meio-campo.

3/ Perante aquele meio-campo composto por três bestas do Liverpool, Sérgio Conceição optou por um meio campo com três jogadores, e um deles o Octávio que é um peso-pluma.

4/ As substituições ainda pioraram a cena. Com as substituições, levamos mais três golos — porque o Sérgio Conceição ficou apenas com dois jogadores de meio-campo (Herrera e Sérgio Oliveira) contra as três bestas do Liverpool.

5/ Seria preferível que o Sérgio Conceição substituísse o Octávio pelo Máxi Pereira, colocando este último a jogar no meio-campo (uma vez que não tinha Danilo disponível; nem tinha o André que está sempre lesionado e que talvez seja melhor ir andando”… de repente, o meio-campo do FC Porto ficou deficitário) — porque perder por perder, que seja por poucos golos.

6/ Mourinho teria colocado quatro jogadores de bom “tackling” (recuperadores) no meio-campo do FC Porto contra os três brutamontes do Liverpool.

Página seguinte »

%d bloggers like this: