perspectivas

Segunda-feira, 26 Março 2018

O sistema de quotas para mulheres é um absurdo que vamos todos pagar muito caro

Filed under: feminazismo,feminismo,Política,politicamente correcto — O. Braga @ 10:28 pm

“A Esquerda nunca atribui o seu fracasso ao erro de diagnóstico, mas antes à perversidade dos factos.”
Nicolás Gómez Dávila


O Ludwig Krippahl defende a ideia segundo a qual — em alternativa ao sistema de quotas — se devem facilitar as condições económicas de um determinado estrato populacional alegadamente desfavorecido :

“Este ano entra em vigor uma lei que impõe quotas de género na direcção de empresas públicas e empresas cotadas em bolsa. Visa obrigar a que haja mais mulheres nestes cargos. É uma má solução e um precedente perigoso.

No ensino superior, alunos provenientes de famílias pobres estão sub-representados. Uma criança nascida num bairro de lata ou numa aldeia pobre do interior dificilmente irá tirar um curso superior. Esta injustiça corrige-se mitigando os efeitos injustos da pobreza. É preciso subsidiar transportes e refeições, melhorar o ensino básico gratuito e acabar com as propinas, por exemplo. Impor quotas para candidatos pobres não iria resolver o problema e só iria criar uma nova injustiça ao preterir candidatos com melhor desempenho académico em favor de alunos mal preparados. Os sistemas de quotas são agnósticos às causas e servem apenas para disfarçar estatísticas”.

Vejamos um vídeo acerca da comunidade negra americana e o sistema de quotas para negros.


“A civilização é produto de actividades deliberadas; a cultura resulta de actuações involuntárias.”
Nicolás Gómez Dávila



A Esquerda nunca tem em consideração a cultura antropológica ou a cultura de uma determinada comunidade: a culpa dos fracassos de uma determinada comunidade restrita (que tem uma cultura própria) é sempre da sociedade em geral.

Não é por haver muitos pretos na classe política — ou na ruling class  — que a comunidade negra americana ganha mais com isso; nem é por não haver quaisquer custos de vida (“tudo à borla para pretos!”) que a haverá ganhos palpáveis para a comunidade negra em geral.

Ademais, o Ludwig Krippahl confunde a condição biológica (determinada pela natureza) que diferencia o homem e a mulher, por um lado, com a diferença entre pobres e não-pobres (marcada pela sociedade e não necessariamente pela natureza), por outro lado. A comparação que ele faz é absurda.

quotas

Quando comparamos os rendimentos entre homens e mulheres, temos que o fazer dentro de uma mesma profissão — que é o que o politicamente correcto (propositadamente) não faz: compara alhos com bugalhos.
É um absurdo comparar o rendimento de um homem licenciado em engenharia electrotécnica, por exemplo, com o rendimento de uma mulher licenciada em História. Temos que comparar aquilo que é comparável.

A ideia (própria do mentecaptos de Esquerda) segundo a qual um patrão prefere pagar mais dinheiro pelo mesmo trabalho feito por um homem (em vez de pagar menos dinheiro pelo mesmo trabalho feito por uma mulher), é um atestado de burrice feito à classe empresarial. Um patrão inteligente (um bom burguês que se preze!) pretende sempre pagar o menos possível pelo mesmo trabalho — independentemente de se tratar de homem ou mulher.

O grande problema da nossa cultura antropológica burguesa é o de que o trabalho tipicamente feminino é desvalorizado pelas elites (burguesas); e esta cultura burguesa marca e determina também a cultura de Esquerda. O que a nossa sociedade necessita é de demarcar-se desta cultura burguesa (e da cultura burguesa da Esquerda segundo a doutrina de Engels, também!) e passar a valorizar culturalmente o trabalho tipicamente feminino, e não comparar coisas que são incomparáveis.

A discriminação injusta só existe perante a desvalorização humana. A Esquerda luta contra a realidade imposta por valores burgueses — mas a Esquerda utiliza os valores burgueses como sendo os únicos possíveis.

Anúncios

Deixe um Comentário »

Ainda sem comentários.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.