perspectivas

Terça-feira, 26 Setembro 2017

O Frei Bento Domingues conhece a vontade de Deus

Filed under: Frei Bento Domingues,Igreja Católica — O. Braga @ 7:26 pm

 

O Frei Bento Domingues escreveu o seguinte (ficheiro PDF):

“Não escondo que me divertem as pessoas religiosas e teólogas que dão a ideia — pelo que dizem e escrevem, pelo que aconselham ou mandam — que conhecem a vontade de Deus e os seus misteriosos caminhos. A tudo dizem: foi a vontade de Deus, mesmo quando essa expressão, pretensamente piedosa, é o pior insulto que Lhe podem fazer”.

O Frei Bento Domingues critica quem pensa que conhece a vontade de Deus; e, porque conhecendo ele a vontade de Deus, afirma que os outros que dizem que conhecem a vontade de Deus incorrem no “pior insulto que Lhe podem fazer”.


Adiante, o frade heresiarca escreve:

“As boas relações humanas são as de acolhimento e cooperação. As más são as de dominação psicológica, económica, política e religiosa. Por isso, a pergunta mais sagrada, mais religiosa, em todas as situações, talvez seja esta: em que posso ajudar?”

O Donald Trump deveria enviar o Frei Bento Domingues em uma embaixada de “acolhimento e de cooperação” ao Kim Jong-un, perguntando-lhe: “¿em que posso ajudar?” Sim, porque a “dominação psicológica e política”, em relação ao Kim Jong-un é uma coisa má. Já agora, o Frei Bento Domingues poderia fazer-nos o favor de emigrar para a Coreia do Norte onde poderia exercer um papel sagrado de promoção de “boas relações humanas”.


Em seguida, o frade protestante escreve (referindo-se a S. Mateus 6, 7-8)

“S. Mateus põe na boca de Jesus a recomendação: ‘Nas vossas orações não useis de vãs repetições, como fazem os gentios, porque entendem que é pelo palavreado excessivo que serão ouvidos. Não sejais como eles, porque o vosso Pai sabe do que tendes necessidade, antes de lho pedirdes’.”

A julgar pelo que diz o frade, por exemplo, rezar o terço vai contra a vontade de Jesus Cristo — porque o terço repete uma lengalenga oratória em de um tempo especifico mas longo. Mas a Bíblia dos Capuchinhos faz uma adenda:

“O texto refere-se às repetições de palavras e fórmulas mágicas com as quais os pagãos julgavam poder pressionar a divindade (1 Reis 18, 27-28), e a que os judeus não ficaram estranhos (Sir 7,14; Is 1,15) O erro de tal oração consistia, não em ser longa, mas em pretender demover Deus com essa atitude”.

Ora, os Capuchinhos demonstram uma de duas coisas: ou o frade é ignorante, tem uma deficiência cognitiva e uma dificuldade de interpretação e de exegese bíblica; ou é um filho-de-puta.

fbd-2-web

Anúncios

Deixe um Comentário »

Ainda sem comentários.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.