perspectivas

Sexta-feira, 9 Junho 2017

A única forma de lidar com os muçulmanos é através do puro horror

Filed under: Islamismo,islamização,islamofobismo,Islão — O. Braga @ 6:58 pm

 

charles-martel-web
vlad-tepes-web

Anúncios

4 comentários »

  1. Há tempos eu já sabia disso. Basta estudar, um pouco que seja, a história das regiões onde o islamismo triunfou para chegar a essa conclusão. O maometano é, por definição, um câncer a ser extirpado por todos os meios possíveis. O canceroso, apesar de não gostar da quimioterapia em virtude da extrema agressividade desse tratamento ao organismo, ao saber que essa terapia é sua única chance de cura, não se furtará a adotá-la a fim de que lhe seja restaurada a saúde por completo. Posto isso, o “puro horror”, quando se trata de nossa autopreservação física, deve ser abraçado sem nenhum pudor; o horror, neste caso específico, deve ser sinônimo de vigor, condição fundamental para que a civilização ocidental (superior a todas as outras) volte a exibir o seu antigo e nobre fulgor, desafortunadamente apagado por políticos, intelectuais e toda sorte de gente sem o menor brilho próprio…

    Comentar por Ramon Oliveira — Sexta-feira, 9 Junho 2017 @ 9:48 pm | Responder

  2. Sr. Orlando testemunhou o discurso que aquela besta do Sobrinho Simões deu hoje no dia de Portugal? Hoje em dia as nossas elites mandantes que defendem orgulhosa e ostensivamente a agenda globalista afirmam que nós, portugueses, fomos os responsáveis pela globalização sobretudo durante os descobrimentos e tendo como principais agentes os jesuítas… o que diz disso ?

    Comentar por A Savaget From Portugal x — Sábado, 10 Junho 2017 @ 1:48 pm | Responder

    • Hoje, a classe política confunde muito “globalização”, por um lado, com “globalismo”, por outro lado.

      Ora, “globalismo” é um “ismo”, é uma determinada ideologia, ou a “lógica de uma ideia”, como diria Hannah Arendt. Mas quando as elites misturam os dois conceitos e confundem as duas noções, fazem-no propositadamente para enganar os povos.

      Comentar por O. Braga — Sábado, 10 Junho 2017 @ 5:49 pm | Responder

  3. Olavo de Carvalho
    6 h ·
    Guerra cultural assimétrica
    Cada ocidental que fala contra a invasão islâmica critica somente os excessos, o radicalismo, a violência, cuidando de resguardar intactas a religião e a civilização islâmicas enquanto tais. Inversamente, a propaganda pró-islâmica tem a permissão de atacar a civilização ocidental como um todo, sem atenuantes nem ressalvas de espécie alguma. Isso é guerra assimétrica e, como sempre, o atacado se submete às regras do atacante.
    No Brasil, temos a sorte de que acusações infundadas de racismo são crimes de calúnia puníveis por lei. Os americanos não dispõem de idêntico instrumento de defesa.
    O membro de uma comunidade religiosa que mata 150 mil cristãos por ano tem de haver perdido o último vestígio de consciência moral para sair numa passeata com um cartaz “Muslim lives matter.”
    A única resposta possível é: “Assassinos! Genocidas! Monstros!”
    Os muçulmanos devem ter, em cada país ocidental, EXATAMENTE OS MESMOS DIREITOS que concedem aos cristãos e judeus nos seus próprios países. Nem unzinho a mais.
    ESSA tem de ser a tônica da luta pela defesa do Ocidente. Não um vago falatório contra o terrorismo ou contra a imigração em massa.
    O advogado da causa islâmica que disser que isso é “fascismo” confessa, no mesmo ato, que é fascista.

    Comentar por Gabriel Máximo — Domingo, 11 Junho 2017 @ 5:11 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.