perspectivas

Sexta-feira, 12 Agosto 2016

O Islão não tem solução

Filed under: A vida custa — O. Braga @ 11:41 am
Tags: , , ,

 

Um tal Guilherme Valente escreve no Observador, começando por dizer que “não há dois Islãos”; mas na segunda parte do texto diz que há muçulmanos que “pretendem viver um Islão pacífico e tolerante”. Ou seja, parece que há aqui uma contradição, porque, ou há dois Islãos, ou não.

islam-evolution-webA primeira vez que li o Alcorão fiquei impressionado, para não dizer horrorizado. O Alcorão é exactamente a antítese do Novo Testamento cristão. Os muçulmanos que “pretendem viver um Islão pacífico e tolerante” pretendem apenas ser seres humanos normais, com uma religiosidade natural independente dos ditâmes do Alcorão. Um muçulmano “pacífico e tolerante” é alguém que, no seu íntimo, desvaloriza, até certo ponto, o Alcorão.

Um erro comum dos intelectuais ocidentais é o de acreditar que é possível reformar o Islão sem mexer no Alcorão (mantendo intacto o Alcorão).

Durante séculos, a turba analfabeta da Mafoma seguia os líderes espirituais maomedanos literatos, ou seja, seguia as interpretações politicamente convenientes do Alcorão e dos Hadith (a tradição) que passavam dos literatos para o povo analfabeto. A partir do momento em que o povo mafamético aprendeu a ler e a escrever, os literatos perderam o controlo da situação e o Alcorão passou a ser interpretado ad Litteram, como seria de esperar.


Hoje sabemos, devido a estudos aturados de muitos biblistas, que algumas passagens de algumas epístolas de S. Paulo não fora escritas por ele. As chamadas epístolas “deuteropaulinas” não foram escritas por S. Paulo, a ver:

  • Efésios, Colossenses, 2 Tessalonicenses, 1 Timóteo, 2 Timóteo, Tito.

As que não fazem parte desta lista foram mesmo escritas por S. Paulo. Porém, mesmo nas que se demonstrou terem sido escritas por S. Paulo, existem as chamadas “interpolações”, como por exemplo em 1 COR 14, 34-35 — ou seja, esta passagem de Coríntios 1 não é de S. Paulo. As “interpolações” têm origem em notas marginais que os escribas mais tarde incorporaram no próprio texto, inserindo-as em alguns casos em um determinado lugar, e noutros casos, noutro lugar.

Portanto, e por exemplo, a subordinação ontológica da mulher em relação ao homem (1 COR 14, 34-35) não é (comprovadamente) da autoria de S. Paulo, e esta passagem foi convenientemente acrescentada mais tarde em função dos costumes vigentes na época.

O mesmo não se passa no Alcorão. O Alcorão é uma peça única que não pode ser desconstruída ou alterada sem que a religião islâmica seja destruída.

2 comentários »

  1. Ah! Sim. O que a nossa religião/igreja é contra, a gente diz que não faz parte da Bíblia! Muito conveniente! A verdade é que, se formos dar crédito ao que esses teólogos modernos dizem em seus “estudos aturados”, nada do que há na Bíblia subsistirá.

    Comentar por Cinéfilo Realista (@cinerealista) — Sexta-feira, 12 Agosto 2016 @ 6:13 pm | Responder

    • Você acredita se quiser. Mas pergunte a um qualquer Padre da sua confiança, antes de colocar em dúvida aquilo que não sabe. Vou repetir: há epístolas atribuídas a S. Paulo que não são de S. Paulo. Pergunte ao Padre da sua freguesia.

      Comentar por O. Braga — Sexta-feira, 12 Agosto 2016 @ 6:20 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.