perspectivas

Segunda-feira, 2 Maio 2016

O Frei Bento Domingues e o paganismo do papa Chiquinho

 

“Não é necessário acreditar em Deus para se ser boa pessoa. Em certo sentido, a ideia tradicional de Deus não está actualizada. Pode-se ser espiritual, sem se ser religioso. Não é preciso ir à Igreja e dar a esmola. Para muitas pessoas, a natureza pode ser uma igreja. Na história, algumas das melhores pessoas não acreditavam em Deus, enquanto alguns dos piores actos foram cometidos em Seu nome.”

Estas declarações, atribuídas a este Papa, circulam na internet, em forma de postal. Talvez não tenham sido ditas assim de seguida. Parecem-me um arranjo de várias declarações.

Frei Bento Domingues

Vemos na citação supra uma súmula do ilogismo argumentativo assumido pelo papa Chico; desde logo, ignora propositadamente a noção de juízo universal: parece-nos claro que as regras têm excepções, mas a cultura do politicamente correcto isola a excepção em relação à regra (nominalismo radical); a excepção assume a dimensão de regra, uma vez que é entendida fora do contexto da regra.

papa-freak-webMas o mais importante, na citação, é verificarmos que o papa Chico excomungou S. Paulo que sempre defendeu que a fé tem a primazia em relação à razão. S. Paulo é hoje persona non grata na Igreja Católica do papa Chico. Os princípios místicos Paulinos da iniciação cristã foram ostracizados pelo papa Chiquinho.

É claro que o Frei Bento Domingues identifica-se com a citação atribuída ao papa Chico.

Teríamos que saber o que significa “ser boa pessoa” — teríamos que ter a noção de “virtude”, por um lado, e se essa virtude teria como objecto um fim último, por outro lado. E depois teríamos que tentar saber se a positividade do sentido de vida é independente da religião (o Frei Bento Domingues e o papa Chiquinho parecem defender essa independência). E finalmente, saber se a putativa ausência de religião (a “espiritualidade sem religião”) não é uma forma de religião baseada num individualismo radical que o Frei Bento Domingues parece defender. Eu digo “parece”, porque a ambiguidade é a arma dos relativistas.

Frei Bento Domingues irá pagar bem caro as ideias que anda a propalar; pagará perante a sua própria alma — porque Deus não castiga ninguém. Será o próprio Frei Bento Domingues que se castigará a ele mesmo. Chama-se a isso “purgatório”, conceito que não existe senão no catolicismo que ele critica sistematicamente.

Talvez a principal característica do Cristianismo, desde a sua origem e para o bem e o para o mal, é o exclusivismo. Um pagão do império romano podia pertencer a um número ilimitado de seitas pagãs, mas um cristão era exclusivista (não podia abraçar outra seita) — e isto desde os primeiros apóstolos, passando pela patrística. O papa Chico transformou a Igreja Católica em uma religião pagã; e o Frei Bento Domingues rejubila.

Deixe um Comentário »

Ainda sem comentários.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

site na WordPress.com.