perspectivas

Sexta-feira, 26 Fevereiro 2016

O suicídio e a regra de ouro

Filed under: filosofia — O. Braga @ 2:24 pm
Tags: , , ,

 

Cristo não se pronunciou acerca de todas as questões da existência humana (v.g., eutanásia). Depois da sua morte, passou a competir à Igreja interpretar e exprimir o julgamento de Cristo acerca de cada nova ou velha questão que se põe à humanidade”.

Pedro Arroja

O que o Pedro Arroja escreve não corresponde à verdade. Jesus Cristo (Lucas 6, 31) falou da regra de ouro que, interpretada racionalmente, demonstra o contrário do que diz o Pedro Arroja. A regra de ouro engloba, em uma síntese, todas as questões da existência humana.

Naturalmente que se interpretarmos a regra de ouro de forma irracional, chegamos à conclusão de que o suicida deseja que toda a gente se suicide. Ou seja, a regra de ouro só se aplica no seu sentido positivo, porque se interpretada no sentido negativo, torna-se absurda e niilista.

A interpretação racional da regra de ouro diz-nos o seguinte: só se encontrarmos um sentido de vida seremos capazes também de suportar o sofrimento e a caducidade.

Quem tem a certeza do sentido da sua vida, pode morrer — por exemplo, Sócrates ou Jesus Cristo. Pelo contrário, quem sofreu uma perda do sentido de vida nem sequer pode morrer: a morte acontece-lhe; morre miseravelmente.

Deixe um Comentário »

Ainda sem comentários.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

site na WordPress.com.