perspectivas

Domingo, 14 Fevereiro 2016

O Henrique Raposo e as altas taxas de suicídio no Alentejo

Filed under: A vida custa — O. Braga @ 9:16 pm
Tags: , , , , ,

 

Vemos aqui um texto notável do Henrique Raposo acerca da alta taxa de suicídio no Alentejo, que se baseia em factos. Obviamente que os factos criam imediatamente anticorpos ideológicos.

A principal razão que Henrique Raposo invoca para justificar a alta taxa relativa de suicídio no Alentejo, é a cultura. Mas ele descarta a genética, e bem. Mas não deveria descartar a epigenética que é uma área de estudo relativamente recente.

A cultura antropológica (o mimetismo cultural) e a epigenética  “andam de mãos dadas”.

A reacção do blogue Jugular ao texto do Henrique Raposo é a reacção normal de quem se recusa a identificar as altas de suicídio com o mimetismo na cultura antropológica e com a epigenética — por causa da recente proposta radical de legalização da eutanásia. Perante factos, a Esquerda responde invariavelmente com ideologia.

4 comentários »

  1. A democracia já foi passada para trás há muito tempo:

    Gostar

    Comentar por Icxc Nica — Domingo, 14 Fevereiro 2016 @ 11:19 pm | Responder

  2. “Vemos aqui um texto notável do Henrique Raposo acerca da alta taxa de suicídio no Alentejo, que se baseia em factos”. A definição, por exemplo, de “postulado”. Basta dizer ex cathedra que se baseia em factos e já está. A direita a responder invariavelmnete com axiomas

    Gostar

    Comentar por Rui P. Bebiano — Quarta-feira, 2 Março 2016 @ 11:04 am | Responder

    • ¿O que é um “facto”?

      Um facto é um dado da experiência, com o qual o pensamento pode contar [definição comum].

      É neste sentido que se entende “facto”. Um dado da experiência.

      Ora, um “dado da experiência” não é necessariamente um “postulado”.

      ¿O que é um “postulado”?

      Em sentido comum, um postulado é uma posição declarada ou não, que constitui a base de partida de um raciocínio.

      Ora, uma posição declarada (ou não) que constitui a base de partida de um raciocínio pode não ser um “dado da experiência”. Eu posso partir de um postulado fictício — por exemplo, o conceito de “espaço absoluto”, de Newton, foi um postulado que serviu de muleta à sua (dele) mecânica. Hoje sabemos, através da relatividade de Einstein, que o “espaço absoluto” de Newton não é um dado da experiência.

      O livro do Henrique Raposo baseia-se em dados da sua (dele) experiência (factos), através de testemunhos directos que ele recebeu de pessoas da sua (dele) família e amigos, por um lado, e da própria experiência directa dele com a realidade alentejana, por outro lado.

      O que você pode dizer é o seguinte:

      “As testemunhas do Henrique Raposo mentem; e a recolha de dados da experiência não corresponde à realidade. ”

      Ou seja, o que você pode colocar em causa é a verdade dos factos, mas não deve confundir “facto”, por um lado, e “postulado”, por outro lado.

      Gostar

      Comentar por O. Braga — Quarta-feira, 2 Março 2016 @ 11:30 am | Responder

    • Adenda: quando a Direita começa a definir, a Esquerda engasga-se.

      Gostar

      Comentar por O. Braga — Quarta-feira, 2 Março 2016 @ 11:42 am | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma Resposta para Rui P. Bebiano Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: