perspectivas

Domingo, 17 Janeiro 2016

Sampaio da Nóvoa plagiou o professor universitário brasileiro Jean Lauand

Filed under: A vida custa — O. Braga @ 7:24 pm
Tags:

 

Da página do professor Jean Lauand, lemos o seguinte:

« Em 2014, foi publicada uma entrevista sobre alguns plágios de artigos meus, tendo como entrevistadores Chie Hirose e Elie Chadarevian, que haviam feito um levantamento de casos de menções a trabalhos de minha autoria, com ou sem citação. Delicadamente demos à entrevista o título: "Divulgação de pesquisas na Internet – alguns casos".

Recentemente fui indagado por alguns leitores sobre coincidências que acharam entre um trabalho meu e uma fala do Prof. António Nóvoa (já repetida por ele e por terceiros, que mencionam, repetindo, o renomado ex-reitor da Universidade de Lisboa e actual candidato à presidência de Portugal), sobre os três níveis de gratidão segundo S. Tomás de Aquino e a forma de gratidão em português, "Obrigado" (nível mais profundo). »

Professor António Nóvoa (Sampaio da Nóvoa), gratidão e ideias de um artigo de JL (23-11-15)

É isto que a Esquerda socialista propõe para presidente da república.

sn-presidente-capaz

Advertisements

5 comentários »

  1. Sr.Orlando eu não tenho simpatia por nenhum dos candidatos à presidência muito menos de um académico que simpatiza com o socialismo e esteve na terra do PT à qual ele exprime uma profunda gratidão no vídeo. Não seria considerado somente plágio se o Sampaio da névoa se declara-se autor do tratado da gratidão? No vídeo não parece ter feito isso…

    Comentar por Eu Mesmo — Segunda-feira, 18 Janeiro 2016 @ 2:15 pm | Responder

    • Não. Um professor universitário, mesmo que seja num discurso público circunstancial, tem a obrigação de mencionar o autor de uma determinada ideia que ele utilize nesse discurso.

      Não custa nada dizer: “Como escreveu Fulano de Tal, bla bla bla bla e tal”.

      Um professor universitário não é um simples bloguista que copia a Wikipédia.

      Vindo de um professor universitário, o plágio, mesmo que em discurso público oral (oratória), significa desrespeito pela própria classe a que ele pertence.

      ¿Percebeu?

      Comentar por O. Braga — Segunda-feira, 18 Janeiro 2016 @ 5:10 pm | Responder

      • Entendido, muito obrigado. Tenha paciência comigo, ainda sou muito novo e inexperiente na vida 😡

        Comentar por Eu Mesmo — Segunda-feira, 18 Janeiro 2016 @ 5:59 pm

  2. Engraçado, todas as palavras que aqui escrevemos, são da autoria de quem??? O autor do post deveria fazer menção ao seu autor… Não, não sou a favor do plágio. O que me incomoda, é de facto, usarem estas ‘ocorrências’ para denegrir a imagem de alguém que se propõe a PR. Sim, aqui o cerne da questão nunca foi o plágio, mas a ideologia política, no caso, do candidato a PR, visivelmente contrária à do autor do post. E com toda a certeza, não há seres perfeitos, isentos de mácula, nem à esquerda, nem à direita. Há seres humanos. Com ética e com falta dela. E já agora, a recusa no uso do AO é mais algum tipo de preconceito?

    Comentar por Maria do Mar — Quinta-feira, 27 Abril 2017 @ 10:03 pm | Responder

    • 1/ Assinalo o seu preconceito segundo o qual quaisquer ideias com que você não concorde é preconceito das pessoas que assumem essas ideias. ¿Você não concorda que eu coma pão com queijo? Então é preconceito da minha parte.

      Você não se dá contra que uma pessoa sem preconceitos encontra-se já em estado vegetativo. Quando você critica os preconceitos dos outros, o que você faz é assumir os seus próprios preconceitos sem que os conceba como preconceitos.

      A ler:

      http://sofos.wikidot.com/preconceito

      2/ os esquerdistas convivem muito mal com os direitos de autor dos outros (repito: dos outros); mas são umas autênticas feras quando defendem os seus próprios direitos.

      3/ perante factos objectivos, o esquerdista argumenta com a sua subjectividade: “constrói um filme” a partir de um facto real, mas o filme é pura ficção. Chama-se a isso delírio interpretativo.

      http://sofos.wikidot.com/delirio-interpretativo

      Eu, como autor do blogue, apenas referi o que o professor brasileiro escreveu na sua (dele) página. E a esquerdista diz que os factos que eu referi são ideológicos.

      Comentar por O. Braga — Sexta-feira, 28 Abril 2017 @ 4:16 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.