perspectivas

Quarta-feira, 30 Dezembro 2015

O Rendimento Básico Incondicional; e o Paraíso na Terra

 

Nos países europeus com salário mínimo, o desemprego é (em média) duas vezes superior ao dos países que não têm salário mínimo. E mais: nos países que não têm salário mínimo, ganha-se em média mais 1.000 Euros do que nos países que têm salário mínimo. Contra factos não há argumentos.

Portanto, os factos falam por si. E por isso é que o Ludwig Krippahl, para não correr o risco de ser considerado idiota, chegou à conclusão de que o salário mínimo piora o nível de desemprego.

paraiso-na-terra-webPerante os factos, ¿qual é a alternativa proposta pelo Ludwig Krippahl? O Rendimento Básico Incondicional, diz ele. Antes quebrar do que torcer. Perante o fracasso objectivo e verificado da ideologia marxista, reinventa-se a narrativa: muda-se o disco mas toca-se o mesmo.

O Rendimento Básico Incondicional pretende ser um subsídio chorudo pago pelo Estado a cada indivíduo, independentemente de este trabalhar muito ou pouco, ou mesmo nada. É isto o que o Ludwig Krippahl propõe. Para não ser idiota, prefere ser lunático.

O problema da Esquerda é o de que, depois do fracasso do marxismo, deixou de existir uma ideologia clara que a oriente. A Esquerda anda às apalpadelas; e o mesmo se passa com o capitalismo, depois de se ter desligado das suas origens (com o Marginalismo), ou seja, depois de ser ter desligado da ética cristã protestante (Max Weber). Nos países onde a ética cristã protestante ainda se mantém, o capitalismo vai de vento em popa. Por isso é que, para a Esquerda, sempre foi muito importante reprimir o Cristianismo na cultura antropológica (de Karl Marx a Gramsci).

Perante o fim das ideologias do século XX, só resta o reforço infinito do Estado. O Estado, entendido em si mesmo, passou a ser a ideologia.

Para o novo capitalismo (neoliberalismo) desligado das suas raízes culturais cristãs, o Estado é o garante da legalidade, embora a sua legitimidade se tenha perdido com a perda da ética cristã. Para a nova Esquerda, o Estado é a substituição da ideologia marxista que fracassou.

1 Comentário »

  1. Só faltava mesmo mais este prego no caixão da Holanda, não bastava a podridão do liberalismo sexual e de consumo de drogas. Claro que com pompa e circunstancia vem a notícia pelo The Guardian.
    http://www.theguardian.com/world/2015/dec/26/dutch-city-utrecht-basic-income-uk-greens
    Quanto maior o estado…

    Comentar por Vitor Silva — Quinta-feira, 31 Dezembro 2015 @ 11:52 am | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.