perspectivas

Sábado, 19 Dezembro 2015

Na Holanda, é legal uma mulher dar a sua “coisa” em troca de lições de condução

Filed under: A vida custa,Europa,Política,politicamente correcto — O. Braga @ 10:12 am
Tags: ,

 

“The government in the Netherlands has clarified that it is legal for driving instructors to offer lessons in return for sex, as long as the students are over the age of 18.

However, it is illegal to offer sex in return for lessons”.

Driving instructors ‘may offer lessons in return for sex’, Netherlands government confirms

Quer isto dizer o seguinte: se uma gaja oferecer a “coisa” em troca de uma lição de condução, é legal. Mas se o professor de condução oferecer a lição de condução em troca da “coisa” da gaja, já não é legal.

A legalidade depende de quem pertenceu a iniciativa de dar a “coisa”. Se for a mulher a querer dar a “coisa”, é legal; se for o homem a querer que a mulher dê a “coisa”, não é legal.

Por outro lado, não é legal que se dê a “coisa” em troca de lições de condução; mas já é legal que se dêem lições de condução em troca da “coisa”.

Portanto, para se saber se se deu a “coisa” legalmente, temos que saber, em primeiro lugar, se se deu a “coisa” em troca das lições de condução, ou se se deram as lições de condução em troca da “coisa” — porque, segundo a lei holandesa, as duas situações são diferentes e dependendo da subjectividade de quem deu a “coisa”: porque, se a mulher que deu a “coisa” disser que a deu em troca das lições de condução, segue-se que o professor fica “coisado” em tribunal.

Ademais, esta lei é homofóbica, porque tratando-se de um instrutor de condução gay e de um instruendo gay, não se sabe bem quem deu o “coiso” a quem: ¿será que foi o instrutor gay que deu o “coiso”, ou foi o aluno gay que deu o “coiso”? Tratando-se de dois gays, o tribunal terá eventualmente que fazer uma análise forense ao esfíncter dos dois.


Isto é o que acontece quando o Estado se mete na “coisa”. O que uma mulher faz com a sua “coisa” é do foro ético e estritamente privado, e o Estado não tem que se meter na “coisa” dela. Podemos criticar moralmente uma mulher por dar a sua “coisa” a qualquer um, mas o Estado não tem que transformar a “coisa” da mulher em uma forma de cobrar impostos.

E ainda dizem que o Estado é mais intrusivo em Portugal do que na Holanda!

Deixe um Comentário »

Ainda sem comentários.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

site na WordPress.com.