perspectivas

Sábado, 15 Agosto 2015

A criminalização dos maus tratos dos pais e das mães

 

“Governo aprovou a Estratégia para o Idoso, que prevê repressão de todas as formas de violência contra os mais velhos. Com a AR de férias, fica em banho-maria até à próxima legislatura”.

Aprovada criminalização do abandono ou exploração de idosos

Perante a decadência moral da sociedade, o Estado intervém cada vez mais; mas uma maior intervenção do Estado não compreende o problema. Não precisamos de mais leis e decretos. Do que precisamos novamente é de uma cultura moral razoável e segura, em que cada cidadão (ou a maioria deles) esteja disposto a assumir a responsabilidade não só por si próprio, mas também por todos os cidadãos.

Ainda há poucos anos, não passaria pela cabeça de ninguém criminalizar os maus tratos dos idosos, porque se tratavam de casos tão raros que eram apontados a dedo. Ainda existia, naquela altura, o estigma moral que a Esquerda erradicou da nossa cultura. A Esquerda passou a dizer que, em moral, vale quase tudo: é tudo uma questão de opinião e de desejo subjectivo. Os professores passaram a ser desrespeitados e mesmo maltratados nas escolas: o ensino tradicional desmorona-se e a Esquerda rejubila.

A Esquerda avança com o aborto livre e grátis, e com o “casamento” gay — com a anuência asinina de uma “Direita” culturalmente derrotada. As estruturas tradicionais entraram em colapso, sobretudo a família. Uma em cada duas crianças cresce numa família onde não nasceu. Muitas famílias degeneram em comunidades de conveniência composta por utilizadores de aparelhos dependentes de uma tomada eléctrica.

A Esquerda exulta!: vai destruindo a sociedade sem deixar impressões digitais.

Esta lei revela o colapso do regime político actual. E o Partido Social Democrata e o CDS/PP não estão isentos de responsabilidades.

A nossa sociedade ultrapassou o limiar da pobreza em termos éticos, morais, religiosos e ideológicos. Quando se tem que fazer uma lei para criminalizar especificamente os maus tratos das pessoas idosas, a sociedade já não tem combustível moral. Aquilo que fazia parte da cultura e dos costumes (o respeito pela mãe e pelo pai), é agora substituído pelo medo da polícia.

4 comentários »

  1. Em rumo ao estado policial e politicamente correcto… quem quer viver num Portugal destes? Porque é que ninguém se levanta para defender os reais interesses do povo e enfrentar essa escumalha socialista/fabiana/comunista/bloquista?

    Gostar

    Comentar por Eu Mesmo — Sábado, 15 Agosto 2015 @ 2:22 pm | Responder

    • Quando é para defender o seu bendito dinheiro, as pessoas manifestam-se tal como se manifestaram/manifestam/manifestarão contra o falecido BES. Quando é para defender a decência e a moral ninguém abre a boca porquê? Será que hoje em dia quase todo o mundo virou relativista(moral)?

      Gostar

      Comentar por Eu Mesmo — Sábado, 15 Agosto 2015 @ 2:25 pm | Responder

  2. Vi na internet esses dias a seguinte situação: uma estudante de medicina mexicana tirou uma selfie com uma idosa agonizante em um hospital (https://br.noticias.yahoo.com/estudante-de-medicina-tira-selfie-com-paciente-%C3%A0-beira-da-morte-e-cria-pol%C3%AAmica-165608710.html). Como não deve existir nenhuma lei proibindo especificamente isso, imagino que não sofrerá nenhuma repreensão. Ainda que sofresse uma censura do Conselho de Medicina, por exemplo, aposto que se ajuizasse uma ação no judiciário brasileiro (e pelo que você fala no português também) a censura seria anulada, e logo algum gênio proporia a Lei das Selfies em Hospitais – como se a culpa fosse das leis!

    Quanto ao ensino, a situação aqui no Brasil chega mesmo a ser deprimente. Se um professor tenta impor disciplina e modos nas escolas públicas, corre um risco sério sua integridade física e mesmo sua vida; nas escolas particulares, escuta um “cala a boca, eu pago teu salário, tu é meu empregado”. “Do que precisamos novamente é de uma cultura moral razoável e segura, em que cada cidadão (ou a maioria deles) esteja disposto a assumir a responsabilidade não só por si próprio, mas também por todos os cidadãos”. Esse sem dúvida é o ponto central.

    Último comentário sobre a obsessão atual da sociedade com a positivação do Direito: um jovem condenado por atear fogo em um índio, que morreu em decorrência do crime, foi aprovado em concurso público e fará (atualmente já deve fazer) parte da força policial do Distrito Federal (http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2014/04/condenado-por-atear-fogo-em-indio-passa-em-concurso-da-policia-do-df.html)! Em outras palavras: não havendo lei específica, nada há de errado em um pedófilo condenado, desde que já tenha cumprido sua pena, trabalhar em uma creche! Ai do gestor que tentar impedir o sujeito de tomar posse do cargo ou, se descobrindo posteriormente, tentar demiti-lo por justa causa! Processo violento por discriminação nas suas costas!

    Gostar

    Comentar por Raul Teixeira — Sábado, 15 Agosto 2015 @ 5:04 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: