perspectivas

Quarta-feira, 14 Janeiro 2015

O que é preciso saber do Islão

 

As pessoas que comentam nos me®dia a tragédia do Charlie Hebdo deveriam ler o Alcorão antes de dizer asneiras. Mas para além daquilo que está explícito e escarrapachado no Alcorão, há outras características do Islão que são mais difíceis de detectar pelo leitor incipiente.

1/ o dogma fundamental do Islão é a palavra incriada (não criada pelo Homem)

As palavras exaradas no Alcorão foram (segundo o Islão) ditadas directamente por Deus; e, alegadamente, existe mesmo um exemplar do Alcorão no Céu. E por isso Alá é o juiz supremo que legitima que mais de 200 versículos do Alcorão incitem directamente à violência e ao assassínio.

No Cristianismo, passa-se uma coisa muito diferente: os Evangelhos são assumidamente escritos por homens — os apóstolos — baseando-se nas palavras ouvidas de Jesus Cristo — assim como Platão escreveu o que ouviu de Sócrates.

No Islão, sem uma hermenêutica da Revelação chega-se invariavelmente ao terrorismo.

A liberdade, segundo o Islão, não é uma realidade moral: antes é uma submissão total e inegociável à palavra ditada directamente por Alá, o Alcorão. Se não houver inteligência no Islão, a fé conduz inexoravelmente à  morte e ao assassínio.

2/ o profeta Maomé deve ser imitado

maomeA imitação dos actos do profeta são a condição do muçulmano. Este deve seguir, durante toda a sua vida, os actos do profeta revelados na Sunna que contém os Hadith (os gestos e os actos do profeta). E na medida em que o próprio profeta degola os prisioneiros, queima edifícios e cidades, degola os incréus — esses actos do profeta são considerados “santos”.

3/ a escatologia muçulmana

A escatologia muçulmana existe, em parte, em função da escatologia cristã. O Islão tem a certeza do futuro, o que o assemelha à mente revolucionária: o Islão tem a certeza de que o mundo inteiro se vai tornar muçulmano antes do fim-dos-tempos, por um lado, e por outro  lado que a Sharia (a lei islâmica que substitui o Estado de Direito) será instaurada em todo o mundo antes da segunda vinda de Jesus Cristo — o que confundirá os incréus cristãos.

A instauração da Sharia transformou-se em uma prioridade, a Jihad (a guerra santa) em um dever em função da escatologia islâmica e do fim da História. O mártir que se fez explodir para seguir o exemplo do profeta terá um paraíso erótico à  sua espera — o desejo de matar e de se suicidar é motivado por uma pulsão sexual.

A única boa maneira de lidar com o Islão é confiná-lo aos países de origem. Não estamos perante acidentes da História ou de meras interpretações do Alcorão, mas antes estamos perante o fundamento do Islão.

Anúncios

5 comentários »

  1. […] Islão é “dois em um”: aglomera em si mesma a imanência da política e a transcendência da […]

    Pingback por O Islão é uma religião política | perspectivas — Terça-feira, 20 Janeiro 2015 @ 10:56 am | Responder

  2. […] Islão é “dois em um”: aglomera em si mesma a imanência da política e a transcendência da […]

    Pingback por O Islão é uma religião política | Bordoadas — Terça-feira, 20 Janeiro 2015 @ 10:58 am | Responder

  3. […] o combate ao Islão e à cultura […]

    Pingback por A desinstitucionalização da família interessa simultaneamente à Esquerda e à plutocracia globalista | perspectivas — Sexta-feira, 21 Agosto 2015 @ 5:28 pm | Responder

  4. O pior é que há gente que acredita que no convívio democrático com essa gente… na Europa estão expandindo-se cada vez mais, é o que o professor Olavo diz: apoiam os islâmicos e a laicização da sociedade ao mesmo tempo e o vazio que a laicização deixa na cabeça das pessoas é preenchida pelos islâmicos e lá se vai a Europa islamificando .

    Comentar por Eu Mesmo — Sábado, 22 Agosto 2015 @ 12:03 pm | Responder

  5. […] o combate ao Islão e à cultura […]

    Pingback por A desinstitucionalização da família interessa simultaneamente à Esquerda e à plutocracia globalista | Blog Consciente — Quarta-feira, 16 Setembro 2015 @ 7:05 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.