perspectivas

Sábado, 19 Julho 2014

Recordando o José Almada, em um tempo em que o mendigo está na moda

Filed under: A vida custa — O. Braga @ 12:31 pm

 

“Mendigo, meu amigo vem!
Vem sentar-te à minha mesa
Não te envergonhes da pobreza
Contigo, pobre, é que eu me sinto bem.

Vêem-te ao ombro a sacola
E é só por isso que te dão esmola
Mas ninguém sofre o dor
Que os outros têm, e daí o mal é que provém

Quando por essas ruas vais, sozinho,
Diz-me, acaso já encontraste alguém
Que te fitasse bem, face a face,
E que parasse no caminho?

Alguém a quem abrir o coração
A quem  dizer toda a verdade
Abre os teus olhos, não receeis,
Vem, não te envergonhes da pobreza.

Vem sentar-te à minha mesa
E bebe do meu vinho,
E come do meu pão,
Mendigo, meu amigo, meu irmão…”

Deixe um Comentário »

Ainda sem comentários.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: