perspectivas

Sábado, 30 Novembro 2013

O avião da LAM que caiu era um Embraer 190

Filed under: A vida custa — O. Braga @ 12:31 pm
Tags:

 

2013-11-30 12:31:11 (UTC+02:00) Harare, Pretoria

ÚLTIMA HORA: Destroços do avião encontrados e sem sobreviventes

“O pior aconteceu. Moçambique de luto. Destroços do avião encontrados e sem sobreviventes. Uma fonte que se encontra no local onde o avião das Linhas Aéreas de Moçambique, o Embraer ERJ-190AR (ERJ-190-100 IGW), denominada Chaimite, despenhou, confirma a localização dos destroços e sem nenhum sobrevivente.

De acordo com a mesma fonte, que mantemo-la em anonimato, que se encontra numa das equipas de busca, encontraram os destroços do avião de bandeira moçambicano e que neste momento está-se a fazer um trabalho de recolha dos mesmos, mas adiantou não haver espaço de sobrevivente.”


JetBlue CEO Laments Embraer 190 Costs

Embraer190“The president and CEO of JetBlue Airways is “disappointed” with the carrier’s fleet of Embraer 190s and says the airline continues to struggle with maintenance costs on the 100-seat E-Jets.

“We should never have been the worldwide launch customer of a new airplane,” David Barger said in an April 21 address to the Harvard Business School’s Aerospace & Aviation Club in Boston, adding, “We weren’t big enough.”

Barger also expressed unhappiness with the Brazilian aircraft’s General Electric CF34 engines. “We’re not pleased with what we’re seeing on the Embraer [with] the GE motor,” he said.”


Seis portugueses morreram na queda do avião da LAM

“O avião das Linhas Aéreas de Moçambique (LAM) que caiu no norte da Namíbia transportava seis cidadãos de nacionalidade portuguesa, afirmou à Lusa o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Cesário.

Segundo os primeiros dados fornecidos pela transportadora LAM, entre os 27 passageiros constavam cinco portugueses, mas o número foi actualizado para seis pelo Governo português, com José Cesário a referir, sem especificar, que existem casos de dupla nacionalidade.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros português revelou, em comunicado, que já foram contactaram os familiares de quatro dos portugueses que viajavam no voo TM470, entre Maputo e Luanda, em ‘codeshare” com a angolana TAAG.”

3 comentários »

  1. Apontar a aeronave como causa do grave acidente é bastante precipitado. Aviões da Embraer cortam o Brasil de Norte a Sul desde o final da década de 60 com pouquíssimos casos de acidentes. E nos últimos anos estes aviões ganharam o mundo. Grandes empresas como Alitalia, Air France, KLM, British Airways, Lufthansa, Delta e American Airlines utlilizam modelos Embraer em suas frotas (é só procurar na internet e confirmar…).
    Uma informação que não deve ser desprezada é a proibição de vôos da empresa moçambicana para a Europa. E justamente por questões de segurança.

    http://www.publico.pt/mundo/noticia/lam-a-renovacao-da-frota-nao-esconde-problemas-antigos-1614537

    http://www.centrohistoricoembraer.com.br/sites/timeline/pt-BR/Paginas/default.aspx

    Gostar

    Comentar por Onofre Velloso (@ovbastos) — Sábado, 30 Novembro 2013 @ 4:33 pm | Responder

    • Foi o que quis dizer: se você ler o artigo em inglês, verificará que os custos de manutenção dos Embraer 190 — segundo a empresa americana JetBlue — são grandes, e que o motor GE utilizado pela Embraer na versão 190 não aprovou.

      Eu quero dizer-lhe o seguinte: eu viajei em aeronaves Embraer e a minha experiência não foi boa. Mas isso foi a MINHA experiência. E é baseado na minha experiência que eu escrevi o que escrevi. E vou mais longe: os novos motores da AIRBUS 320 são já tão económicos em combustível que já não se justifica que se utilize a Embraer em rotas de pequenas distâncias.

      Gostar

      Comentar por O. Braga — Sábado, 30 Novembro 2013 @ 7:09 pm | Responder

  2. Viajei uma única vez em um destes modelos. Aproximadamente 600 Km entre Serra dos Carajás e Belém, no Norte do Brasil. E posso dizer que sobrevoar a floresta amazônica em uma bela tarde de domingo foi uma experiência fantástica. Pela paisagem que pude avistar e pelo avião em si.
    Entretanto, o que escrevi há alguns dias não foi baseado tanto em minha experiência. Escrevi principalmente por não acreditar que tantas empresas ao redor do mundo tenham comprado (e continuem a comprar) um avião que não presta.
    Apesar da opinião do CEO da JetBlue. Apesar do seu comentário sobre a economia dos novos motores do A-320. A American Airlines já anuncia o aumento de sua frota para vôos regionais com a aquisição de novos aviões Embraer (no caso o Embraer 175 que é quase igual ao 190). E, convenhamos, a American Airlines não é uma empresa qualquer.
    Recentemente foi descoberto um defeito nas baterias dos novíssimos Boeing 787. E acho que, ainda assim, ninguém questiona a qualidade destes aviões. O problema das baterias é um caso isolado que certamente será corrigido.
    E é possível que também se encontre algum defeito nos modelos da Embraer. Entretanto, ainda continuo a acreditar que a causa do acidente com o avião da LAM esteja na própria LAM. Deficiência de manutenção ou, principalmente, no treinamento de pessoal.
    A LAM já há alguns anos está proibida de voar na Europa. Os aviões da Embraer não estão.
    Tomara que tudo se esclareça. Qualquer que seja a causa, que sirva de lição para que novos acidentes sejam evitados.

    http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/american-airlines-lanca-novo-servico-com-avioes-embraer-2

    Gostar

    Comentar por Onofre Velloso (@ovbastos) — Terça-feira, 3 Dezembro 2013 @ 1:43 am | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: