perspectivas

Sexta-feira, 7 Junho 2013

Daniel Oliveira! Então?, faxisto?!!!

O Daniel Oliveira defende uma humanidade desumanizada – e depois vem dizer que a maioria do povo francês é fascista.

Na medida em que a maioria do povo francês não aprova o “casamento” gay e a adopção de crianças por pares de invertidos, considera o Daniel Oliveira que a maioria do povo francês é fascista, nazi, e uma cambada maioritária de homófobos. Podemos concluir da classificação de Daniel Oliveira que essa maioria do povo francês é uma aberração ontológica que, por isso, não deveria existir.

chassons-les-nazis-pgn-300-web.png

Slogan dos ‘bloquistas’ franceses

Mas ele, Daniel Oliveira, diz ele próprio que não é fascista. Ele considera a maioria de um povo como sendo fascista, ao passo que ele, Daniel Oliveira, é uma boquinha d’anjo. Segundo o Daniel Oliveira, o facto de alguém considerar fascista a maioria de um povo revela “progressismo” da parte de quem assim julga.

Eu poderia entrar no mesmo tipo de burrice expresso por Daniel Oliveira, por exemplo, fazendo referência a muitíssimos actos de violência perpetrados por grupos de homossexualistas, como por exemplo este . Ou mesmo de assassínios perpretados por homossexualistas, como foi o caso de Mary Stachowicz que foi assassinada por um homossexual apenas porque ela lhe disse que não concordava com o comportamento dele. Mas não vou por aí.

Vemos o Daniel Oliveira a referir apenas um determinado acto de violência em Paris, com uma determinada conotação política, que enviou um homossexual para o hospital. Mas nunca, nunca, jamais, veremos o Daniel Oliveira mencionar os cerca de 100 mil cristãos assassinados todos os anos em todo o mundo, pelo simples facto de serem cristãos. Para o Daniel Oliveira, o assassinato anual de 100 mil cristãos é uma bênção que merece um silêncio ensurdecedor (a ver se se acaba com a raça dessa gentalha religiosa!).

O Daniel Oliveira talvez não seja racista pela cor da pele: antes, é um racista ideológico. Não discute ideias, mas entra só e apenas pela falácia ad Hominem (pelo ataque pessoal). Toda a gente que não concorda com as ideias dele é fascista. Até os conservadores, segundo Daniel Oliveira, têm obrigação de aceitar o “casamento” gay e a adopção de crianças por pares de invertidos; e têm que aceitar a procriação medicamente assistida indiscriminada e o sórdido negócio desumano das “barriga de aluguer”. O Daniel Oliveira defende uma humanidade desumanizada – e depois vem dizer que a maioria do povo francês é fascista.

A ler: L’hyperviolence des antifas

1 Comentário »

  1. Estava a olhar os comentários do belo artigo deste tal de Daniel Oliveira, e veja só que interessante: Ricardo Mendes da Fonseca: “A permeabilidade com que a ideologia extremada de direita”. Parei por aí.

    Gostar

    Comentar por Gabriela Fehr — Sexta-feira, 7 Junho 2013 @ 9:28 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: