perspectivas

Quinta-feira, 14 Fevereiro 2013

A irracionalidade da classe política portuguesa e o “casamento” gay

Depois de a classe política portuguesa ter legalizado o “casamento” gay, ¿ o que impede, na lei, por exemplo, que um pai case com uma filha maior, ou que um homem adulto se case com a sua irmã adulta? Resposta: apenas a alínea b) do Artº 1602 do Código Civil. Mas já não se compreende como essa alínea se aplica ao “casamento”, por exemplo, de dois primos direitos do mesmo sexo.

    foi cesariana

  • Para acomodar o “casamento” gay na lei, a classe política eliminou, do Código Civil, o adultério como justa causa para divórcio, criando para o efeito o “divórcio unilateral e na hora”. Hoje, um dos cônjuges pode pedir o divórcio sem que se ouça a outra parte do contrato, e independentemente de haver adultério, ou não. Ou seja, na lei actual, não há uma noção de “culpa” (de uma das partes, ou de ambas as partes) presente na dissolução de um casamento. A culpa desapareceu; escafedeu-se.
  • Para acomodar o “casamento” gay na lei, a classe política eliminou, do Código Civil, a imagem jurídica da falta de “consumação do acto sexual” no casamento como causa para divórcio — porque numa relação entre homossexuais, não há consumação do acto sexual propriamente dita.

Portanto, hoje, o conceito legal de “casamento” não inclui nele nem a consumação do acto sexual, nem a representação cultural do adultério. Ou seja, a classe política retirou da instituição do casamento qualquer referência implícita à actividade sexual entre os cônjuges. Hoje, segundo a lei, o casamento não tem actividade sexual. A actividade sexual, entre os cônjuges, é hoje apenas subentendida, mas não é explicita na lei. A lei não quer saber se os cônjuges têm uma actividade sexual, ou não. E tudo isto em nome da acomodação do “casamento” gay na lei.

Se a lei não quer saber se os cônjuges têm uma actividade sexual, ou não, então ¿ por que razão dois primos direitos — sejam do mesmo sexo ou de sexos diferentes — não se podem casar?

Contudo, o artigo 1602 do Código Civil mantém-se em vigor, o que é um absurdo. Ou seja, segundo a lei, por exemplo, dois primos direitos gays não se podem “casar”, alegadamente devido ao “parentesco no segundo grau da linha colateral”. Ora, como dois gays não dão filhos entre si, ficamos sem saber por que razão o artigo 1602 se mantém — a não ser que, de facto, existam dois tipos de casamento: o natural, e o outro. A julgar pelo espírito da lei, e não apenas segundo a forma da lei, dois primos direitos homossexuais podem, de facto, “casar” — o que já não acontece com dois primos direitos numa relação heterossexuada.


“Os problemas sociais não são solúveis. Mas podemos minorá-los, evitando que o empenho em aliviar um só deles, agrave todos.” — Nicolás Gómez Dávila

1 Comentário »

  1. Girl has no willpower and is 50 pounds overweight? Not her fault. She’s beautiful. Social constructs need to be changed.
    Girl sluts around with 100 guys without condoms? Not her fault. She’s empowered and strong.
    Girl is irresponsible with sex and has five abortions in her 20s? It’s her body and she can do whatever she wants. A fetus inside her is not a living entity.
    Girl is making less money than men? The patriarchy is holding her down.
    Girl gets drunk in a guy’s house and has sex with him? He took advantage of her. She was raped.
    Girl studies stupid major in college and can’t get a job? The 1% owes her a marketing manager position.
    Girl sleeps with her college professor in exchange for a better grade? She was a victim. The professor took advantage of her.
    Girl likes dating guys much younger than her? You go girl! Rob that cradle!
    Girl experiences an uncomfortable moment of any kind? She’s being harassed. Men are creeps.
    Girl travels to Italy or Spain to bang hot European men? She’s romantic.
    Wife gets slapped by husband after she pushed him first? Call the police and send him to jail.
    Wife cheated on her faithful husband? He wasn’t attending to her needs. She wasn’t happy. Give her the kids and half his money.
    Mother runs over her own kid in an accident? The SUV wasn’t safe. It’s the auto industry’s fault.
    Mother kills all of her kids? She was mentally sick. We must give her love instead of severe punishment.
    .
    http://www.rooshv.com/the-end-game-of-feminism

    Gostar

    Comentar por Marcelo R. Rodrigues — Quinta-feira, 14 Fevereiro 2013 @ 4:14 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: