perspectivas

Quinta-feira, 17 Janeiro 2013

¿ Faz algum sentido obrigar as empresas a ter 40% de mulheres nos conselhos de administração ?

BRUSSELS – Most national parliaments in EU countries say the European Commission should go ahead with a law on female quotas on corporate boards. But six disagree.

via EUobserver.com / Justice & Home Affairs / Parliaments back EU-level gender quota law.

A União Europeia, através da comissária feminista e abortista Viviane Reading, pretende impor a todos as empresas da União Europeia uma quota mínima de 40% de mulheres nos respectivos conselhos de administração.

A respectiva lei / directiva já foi aprovada, com a oposição da República Checa, Dinamarca, Reino Unido, Polónia, Suécia e Holanda. Mas a oposição destes países não adianta nada porque já perderam a sua soberania, e vão ser obrigados a aplicar esta lei lunática.

¿ Será que as mulheres são uma espécie de deficientes mentais que precisam de quotas ?

ceo females

Esta lei tem uma vantagem para os homens dos conselhos de administração: as mulheres ficam a fazer croché, e os homens em reunião. Nos intervalos da reuniões, as mulheres interrompem o croché e sempre “dão uma mãozinha”.


Deixando agora a ironia: esta lei é ideologicamente contraditória, tendo em conta a radicalização do princípio da autonomia do indivíduo que prevalece na União Europeia. Se a autonomia do indivíduo é, nesta União Europeia, levada a um extremo tal que justifica o aborto, a eutanásia, o “casamento” gay, etc., então não faz sentido que se imponha aos gestores e donos das empresas o tipo de pessoa com que tenham que trabalhar todos os dias. Essa imposição é a negação do princípio de autonomia aplicado a esses indivíduos.

durao palhaço web

Os burocratas de Bruxelas não fazem a mínima ideia do que é uma empresa — por exemplo, Durão Barroso nunca trabalhou numa empresa. Aliás, deve-se dizer que Durão Barroso foi o pior presidente da comissão europeia: e até para Portugal, a sua presença na União Europeia tem sido prejudicial, porque nos coarcta a acção política de reivindicação a nível europeu. Durão Barroso tem sido o catalisador da mordaça política a que Portugal tem sido sujeito neste tempo de crise.

Adenda: o que faria sentido seria a criação de linhas de crédito bancárias especiais para mulheres organizarem o seu próprio negócio. Isso é que seria inteligente! Lá diz o velho ditado chinês: “se vires alguém com fome, ensina-a a pescar”.

1 Comentário »

  1. […] meu verbete crítico das quotas para mulheres nos conselhos de administração criou um certo “bruá” numa determinada rede social. Por isso, justifica-se este outro […]

    Gostar

    Pingback por Ainda sobre as quotas feministas nos conselhos de administração das empresas « perspectivas — Sexta-feira, 18 Janeiro 2013 @ 9:09 am | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: