perspectivas

Sábado, 8 Dezembro 2012

Governo “conservador” inglês pretende obrigar a Igreja Católica a “casar” fanchonos

«The Government has turned back on its promise not to allow same-sex marriages in church.»

via Govt goes back on word over gay marriage in church | News | The Christian Institute.

casamento sixties webSegundo um áudio da BBC (Bolshevik Broadcasting Corporation) que pode ser escutado na ligação supracitada, o governo “conservador” — “conservador de tipo Adolfo Mesquita Nunes” — de David Cameron deu o dito pelo não dito: primeiro, tinha dito que as confissões religiosas não seriam obrigadas a celebrar “casamentos” entre duas avantesmas nos seus respectivos templos ou igrejas. Mas agora, o governo “conservador” britânico mudou de opinião e já diz que vai apoiar — jurídica e financeiramente — as confissões religiosas que realizem “casamentos” entre pares nas suas igrejas, o que significa que o governo britânico não vai apoiar jurídica e financeiramente as confissões religiosas que não o façam (discriminação de tratamento ou “tolerância repressiva” segundo Marcuse).

A linguagem de David Cameron, que pode ser ouvida no áudio, é perfeitamente orwelliana quando diz o seguinte:

«Por ser absolutamente a favor do casamento, é que eu sou a favor do “casamento” gay.»

Esta proposição é contraditória, ou seja, induz em “pensamento duplo”, porque não é razoável definir o casamento apenas como uma espécie de amizade permitida pela polícia. O casamento é, por sua própria natureza, heterossexuado, e não heterossexual e/ou homossexual. O termo “casamento heterossexual” é tautológico, e o termo “casamento homossexual” é absurdo. O casamento é heterossexuado.

Portanto, não é possível ser a favor do casamento e simultaneamente ser a favor do “casamento” gay — e a prova empírica disto é que nas sociedades em que o “casamento” gay foi legalizado, o casamento (heterossexuado) vai deixando de fazer parte da cultura antropológica (por exemplo, em Portugal).

Nos cidadãos ingleses mais inteligentes, a linguagem orwelliana de David Cameron do “pensamento duplo” induz uma dissonância cognitiva, que pode conduzir, a prazo, a uma revolta (“o retorno do pêndulo histórico à sua posição natural”), ou pode conduzir a um baixar-de-braços do povo que permita uma instauração paulatina de um novo tipo de totalitarismo.

Das duas, uma: ou David Cameron é estúpido ou é um indivíduo imbuído de um espírito totalitário.

Adenda: A ler, sobre este assunto: Gay marriage given the green light for weddings in churches

Deixe um Comentário »

Ainda sem comentários.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: