perspectivas

Terça-feira, 3 Abril 2012

O avanço da agenda política homossexual e pedófila

A ONU considera criar “direitos sexuais” para crianças a partir de 10 anos de idade.

No Brasil, um pedófilo foi absolvido porque o tribunal teve em consideração que as meninas de 12 anos de idade eram “prostitutas”.

Ou seja, o supremo tribunal brasileiro considerou que uma menina de 12 anos, ou ainda de menos idade, pode ter o estatuto de “prostituta”.

O tribunal brasileiro decidiu que as meninas de 12 anos “não eram inocentes”, e por isso decidiu também que os pedófilos não são culpados. Para estas meninas de 12 anos, o supremo tribunal brasileiro não encontra qualquer protecção legal.

Uma das agendas políticas do lóbi gayzista é a de promover a redução da idade de consentimento sexual das crianças, e parece que tanto a ONU como os tribunais brasileiros comungam da agenda política gayzista.

A situação chegou já a um ponto em que vamos ter que pensar seriamente na organização de uma guerrilha urbana clandestina contra o Poder instituído. Isto não vai melhorar: pelo contrário, vai de mal a pior.


Adenda: alguém me chamou à atenção para este postal de um blogue feminista brasileiro. Podemos ler, lá, o acórdão do STJ brasileiro. Reparem bem:

“Segundo a relatora, ministra Maria Thereza de Assis Moura, não se pode considerar crime o acto que não viola o bem jurídico tutelado – no caso, a liberdade sexual. Isso porque as menores a que se referia o processo julgado prostituíam-se havia tempos quando do suposto crime.”

Eu não conheço a lei penal brasileira, mas em Portugal a punição de relações sexuais de relevo com menores de idade não se resume ao estupro [violação sexual]: mesmo que exista, alegadamente, consentimento por parte da criança, o adulto é punido. Em Portugal, aplica-se o artigo 171 do Código Penal, que reza assim:

«1 – Quem praticar acto sexual de relevo com ou em menor de 14 anos, ou o levar a praticá-lo com outra pessoa, é punido com pena de prisão de um a oito anos.

2 – Se o acto sexual de relevo consistir em cópula, coito anal, coito oral ou introdução vaginal ou anal de parte do corpo ou objectos, o agente é punido com pena de prisão de três a oito anos.

3 – Quem:

a) importunar menor de 14 anos, praticando acto previsto no artigo 170 [exibicionismo]; ou
b) actuar sobre menor de 14 anos, por meio de conversa, escrito, espectáculo ou objectos pornográficos;

é punido com pena de prisão até três anos.

4 – Quem praticar os actos descritos no número anterior com intenção lucrativa é punido com pena de prisão de seis meses a cinco anos.»

Portanto, o Código Penal português pune o pedófilo mesmo que não exista um quadro jurídico de violação ou estupro.

Mas vejamos a lógica da relatora brasileira [ou a falta de lógica]: considera que não pode considerar crime o acto que não viola a liberdade sexual [neste caso, o acto que não viola a “liberdade sexual” de uma criança de 12 anos]. E a relatora diz que o pedófilo não violou a liberdade sexual da criança de 12 anos porque esta se prostituía há algum tempo.

Portanto, a lógica da justiça brasileira é a seguinte:

“Um acto ilícito, desde que praticado no decorrer do tempo, passa a ser lícito por direito consuetudinário.”

A justiça brasileira aplica o direito consuetudinário à ética e aos costumes. Pela mesma lógica, se um indivíduo for um assassino em série durante algum tempo, os seus actos homicidas passam a ser lícitos.

Advertisements

5 comentários »

  1. O que ocorre é que o Brasil é o segundo ou terceiro pais do mundo no ranking da idade em que se tem a primeira relação sexual. Por isso as leis brasileiras tendem a uma versão ocidentalizada(e liberal) das leis islâmicas sobre casamento com jovens.

    Comentar por Marcelo R. Rodrigues — Quarta-feira, 4 Abril 2012 @ 1:52 am | Responder

    • No aspecto que você refere, eu penso que o Brasil pegou na tradição e deturpou-a. É sabido que, tradicional e antigamente, era normal uma rapariga de 14 anos casar com um adulto. Porém, naquela época tratava-se de casamento, ou seja, de um compromisso para toda a vida. Esse compromisso era assumido pelo adulto não só em relação à família da rapariga, mas também em relação à sociedade.

      Por reminiscência dessa tradição, a lei brasileira sofreu alterações, mas os tempos mudaram e já não existe compromisso social e cultural em relação à rapariga.

      Comentar por O. Braga — Quarta-feira, 4 Abril 2012 @ 8:54 pm | Responder

  2. Nao só isso, Marcelo Rodrigues, mas aqui no Brasil a prostituição é altamente difundida e “consumida”. E pior: a prostituição infantil é chamariz para os estrangeiros (também “consumida” largamente pelos nativos).
    Para estragar mais ainda, existe aqui uma infiltração já bastante consolidade de gays na política. Denunciei no meu blog recentemente um projeto do deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) que pretende REGULAMENTAR a “profissão” de prostituta: http://oandarilho01.wordpress.com/2012/03/20/o-dia-em-que-jean-wyllys-me-chamou-de-mentiroso/

    A coisa por aqui está muito ruim…

    Comentar por Bruno Linhares (@oandarilho01) — Quarta-feira, 4 Abril 2012 @ 8:19 pm | Responder

  3. A clássica lorota de que os ativistas LGBT querem diminuir a idade do consentimento sexual. Tem alguma prova a apresentar?

    Bom, eu tenho isso: “Segundo Thorstad (neste link: http://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1300/J082v20n01_15#), págs. 251-274, a partir de 1979 (e a NAMBLA foi fundada em 1978), as organizações do ativismo pró-LGBT passaram a se opor às ideias da NAMBLA; desde 1994 a Aliança Gay & Lésbica Contra a Difamação (GLAAD) adotou a “Declaração de posição em relação a NAMBLA” dizendo que a entidade “repudia as metas da Associação Americana pelo Amor entre Homens e Meninos (NAMBLA), que incluem a defesa do sexo entre homens adultos e meninos e a remoção de proteções legais para as crianças. Esses objetivos constituem uma forma de abuso infantil e repugnante a GLAAD”; a Associação Internacional de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais, Travestis e Transgêneros (ILGA) foi explícita em afirmar que não há qualquer relação entre pedofilia e homossexualidade e expulsou de seus quadros o produtor do documentário pró-NAMBLA “Chicken Hawk” (em inglês).”

    Não há qualquer comprovação de que homossexuais tenham maior tendência a ser pedófilo. Temos esses dois artigos [http://www.recantodasletras.com.br/artigos/558378] e [http://cameronrefutado.ligahumanista.org/2011/06/homossexualidade-e-normal-e-ponto-final.html] que nos dão dados. Dados esses são:

    a) Segundo análise feita em 1.169 casos de violência doméstica atendidos no SOS Criança da ABRAPIA, entre janeiro de 1998 e junho de 1999, diagnosticou que 80% das vítimas são do sexo feminino e 90% dos agressores eram do sexo masculino;

    b) De acordo com o Sistema Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infanto Juvenil durante o período de 05 de fevereiro de 1997 a 28 de fevereiro de 2003, 76% dos casos de abuso sexual infantil tem como vítimas crianças do sexo feminino e 37% tem menos que 11 anos;

    c) Homossexuais não possuem predisposição a serem pedófilos. Em uma amostra aleatória de 175 casos de abusadores sexuais der crianças 76% reportam terem comportamento exclusivamente heterossexual, e 24% reportam comportamento bissexual. A atração sexual por crianças não é relacionada à orientação sexual. (A Groth-1978, Archives of Sexual Behavior 7(3): 175-181);

    d) De 1206 condenações de abusadores de crianças em Nova Jersey, 80.7% eram heterossexuais e 19% eram homossexuais (E Revitch-1962, Diseases of the Nervous System 23:73-78);

    e) 47% dos homens condenados por abuso sexual contra crianças (meninos) estavam dentro de um casamento heterossexual. (P Gebhard-1965, Sex Offenders, New York: Harper and Row);

    f) Na Inglaterra, em uma revisão de 200 ataques sexuais à garotos, apenas 32 dos perpetradores eram homossexuais. (J McGeorge-1964, Medicine, Science and the Law 4:245-53);

    g) De 148 abusadores que atacaram sexualmente crianças em Massachusetts, 71 (51%) selecionaram meninas, e 31 (21%) atacaram meninos e meninas, Ainda, os autores reportam que “os condenados atraídos por meninos reportaram que não tem interesse em relações homossexuais entre adultos e acharam a aparência feminina dos meninos juvenis atraente…” (p.20) Os pedófilos eram atraídos por crianças e adultos (51%), 83% exclusivamente heterossexuais, e 17% bissexuais. (A Groth-1978, LAE Journal – Lambda Alpha Epsilon American Criminal Justice Association, 41 (1): 17-22);

    h) No universo de 136 condenados, mais de 80% estavam envolvidos em relações adultas heterossexuais de longa data. (Simon C-1992, J Interpersonal Violence. 7:211-225);

    i) No Hospital Infantil de San Diego, dos 140 garotos que foram atacados, apenas 4% foram atacados por homossexuais. (M Spencer-1986, Pediatrics 78 (1):133-138);

    j) Também em um hospital infantil, de 269 crianças avaliadas para abuso sexual por adultos conhecidos, 0.7% das crianças foram abusadas por um homossexual e 88% foram abusados por heterossexuais. O resto das crianças (de um total de 352) foram ou abusadas por outras crianças ou adolescentes (21% da amostra total, daqueles que foram abusados por crianças/adolescentes do sexo oposto), ou por estranhos cuja orientação sexual era desconhecida (11.6%). (Jenny C–1994, Pediatrics. 94(1):41-4).

    (Leiam Mais Em: http://www.plc122.com.br/pedofilia/#ixzz1r6ckTH00 , se não forem ignorantes o suficiente)

    Ok, eu entendo, vocês tem que inventar que homossexualidade é abominação, e que é uma ameaça à sociedade. Por qual motivo? Não faço a mínima, mas provavelmente religioso. Falar que existe uma trama de ditadura gay é só mais uma coisinha que querem implantar para evitar com que homossexuais tenham seus direitos básicos de um cidadão. A única coisa que vejo na política atual do Brasil é uma correria de candidatos para se aliarem à instituições religiosas, e abominar uma discussão racional sobre um assunto em prol dos dogmas religiosos. Isso é populismo, isso é querer cair na graça do povo que, em sua maioria, tem encravado em sua cultura que o cristianismo é a verdade absoluta, e que todos devem obedecer suas leis dogmáticas.

    Comentar por Felipe Tercetto (@ftercetto) — Quarta-feira, 4 Abril 2012 @ 9:38 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.