perspectivas

Quinta-feira, 15 Março 2012

A confusão anética das fertilizações in vitro

“An Israeli court has ruled that two lesbians who created a child through in-vitro fertilization are both biological mothers of the child, according to reports in the Israeli media.

The couple, which is not named, reportedly conceived the child in-vitro with the egg of one partner and the sperm of a male donor in 2006. The embryo was then implanted in the womb of the other lesbian partner.”

via Israeli court recognizes biological motherhood of two lesbians for one child | LifeSiteNews.com.

Eu sou de opinião de que as fertilizações in vitro [IVF] deveriam ser proibidas mesmo para casais [1] salvo em casos excepcionais que confirmem a regra. E a razão por que tenho esta opinião pode ser ilustrada pelo caso que se passou em Israel e de que nos fala a notícia supracitada.

Duas lésbicas arranjaram um dador de esperma, e uma delas forneceu o óvulo que, depois de fecundado in vitro, foi depositado no útero da segunda lésbica que deu à luz a criança. Em resultado desta “confusão de grelos”, as duas lésbicas reivindicaram a dupla “maternidade” da criança — a criança passou a ter “duas mães” — porque, segundo decisão do tribunal israelita, uma delas era a mãe biológica e a outra foi a mulher que gerou a criança e deu à luz.

Em verdade, e na minha opinião, a criança tem só um pai e só uma mãe biológicos, que são os que lhe deram o ADN. A criança é realmente filha do homem que doou o esperma e da mãe que doou o óvulo. Isto parece-me tão óbvio que se pode dizer que pertence ao senso-comum. O que poderia acontecer é que a mulher que pariu acabou por se afeiçoar à criança e, por isso, poderia eventualmente ter direitos de adopção. Nada mais do que isto.

Este caso não fará jurisprudência em Israel porque, entretanto, a lei foi mudada e já não são permitidas fertilizações in vitro por pares de lésbicas ou por mulheres solteiras nesse país.

[1]

“Casais” são sempre naturais, ou seja: uma mulher e um homem; duas lésbicas são “um par de lésbicas”.

3 comentários »

  1. Concordo com o caro Braga!
    De facto, a ser assim como o tal tribunal de Israel deliberou, teríamos crianças cuja gestação não acabou naturalmente (partos prematuros) com quê? 3 pais?
    O Pai, a Mãe e a máquina???? Isso são as salgalhadas lógicas de espíritos doentes e doentios. Haja juízo!
    Cumpts
    P.S. qual o significado de anética?

    Gostar

    Comentar por Inspector Jaap — Quinta-feira, 15 Março 2012 @ 5:05 pm | Responder

  2. “A – ético” = anético = que é eticamente neutro ou não é ético.

    Gostar

    Comentar por O. Braga — Quinta-feira, 15 Março 2012 @ 5:31 pm | Responder

    • Obrigado por ter enriquecido a minha cultura! 🙂
      Cumpts

      Gostar

      Comentar por Inspector Jaap — Quinta-feira, 15 Março 2012 @ 5:34 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: