perspectivas

Quinta-feira, 23 Junho 2011

O cardeal colorido

Muito recentemente, a conferência episcopal portuguesa reuniu-se e deu ao cardeal patriarca de Lisboa um novo fôlego nas funções que já desempenhava, depois de este ter solicitado ao Papa Bento XVI a sua resignação, alegadamente por limite de idade.

Acredito que entre os bispos portugueses que reelegeram o cardeal de Lisboa na sua função de presidente da conferência episcopal, alguns o fizeram por compaixão e por uma questão de humanismo cristão.

Este cardeal de Lisboa é, no mínimo, controverso. Já aqui se mencionou a sua posição pessoal em relação ao gaymónio. Agora, vem mais esta notícia triste acerca da posição do cardeal em relação ao sacerdócio.

Parece que o cardeal de Lisboa anda perdido em uma confusão de géneros: por muito que ele deseje que assim não seja, há (pelo menos) duas coisas que não são iguais nem nunca serão:

  • a aliança entre um homem e uma mulher — ou seja, a instituição do casamento — não é a mesma coisa que uma ligação sodomita;
  • e a mulher não é igual ao homem, mas são ambos equivalentes.

“Equivalência” significa um valor especifico semelhante entre coisas ou seres diferentes, mas não significa “igualdade”; não é preciso ter estudado teologia para saber isto.


Adenda: ainda sobre este assunto, deve-se ler: Cardeal Policarpo “não foi preciso ao falar do sacerdócio”

3 comentários »

  1. […] […]

    Gostar

    Pingback por Anónimo — Segunda-feira, 27 Junho 2011 @ 11:12 am | Responder

  2. […] José Policarpo já não deveria ser o cardeal patriarca de Lisboa, depois dos múltiplos erros, declarações polémicas, e testemunhos credíveis que vieram a lume. Porém, entendeu a Igreja que por uma questão de […]

    Gostar

    Pingback por A verdade liberta « perspectivas — Quarta-feira, 24 Agosto 2011 @ 7:05 am | Responder

  3. […] da Igreja Católica portuguesa — por exemplo, a Rádio Renascença que depende directamente do “arcebispo colorido” — patrocinam subrepticiamente o encurralamento político e cultural de pessoas que defendem […]

    Gostar

    Pingback por A inversão revolucionária da moral « perspectivas — Domingo, 19 Fevereiro 2012 @ 10:05 am | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: