perspectivas

Sexta-feira, 18 Março 2011

Crise moral: a ONU aprova ataque militar a um país soberano

Filed under: Política — O. Braga @ 9:36 am
Tags: , , ,

Damo-nos conta de que foi criado um precedente que justifica, a partir de agora, qualquer intervenção armada em um qualquer país soberano. Qualquer golpe de Estado em um qualquer país pode, a partir de agora, sofrer um ataque organizado a partir da ONU.

Já não se trata de invocar o combate ao terrorismo, como aconteceu no Iraque ou no Afeganistão: trata-se agora de legitimar qualquer intervenção militar em um qualquer país, apenas porque as grandes potências assim o entendem. O Direito Internacional está moribundo.

Não estou aqui a defender o Khadaffi: estou a criticar o desrespeito da ONU pelo princípio da soberania de alguns pequenos países (porque Cuba é intocável), enquanto que o Irão, China e outros, cometem atrocidades todos os dias e a seu belo prazer, e ninguém lhes toca. A ONU entrou em Moral Hazard.

1 Comentário »

  1. é natural tal fracasso.

    A única entidade que realmente unificava os povos era a Igreja. Forjou várias alianças entre reis que salvaram a Europa dos sarracenos.

    A cena que marca o fim da antiga “Liga das Nações” é os prantos do rei da Etiópia protestando com a invasão realizada pela Itália de Mussolini.

    Gostar

    Comentar por shâmtia ayômide — Sexta-feira, 18 Março 2011 @ 1:18 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: