perspectivas

Quarta-feira, 2 Fevereiro 2011

O nível das elites em Portugal (2)

«A mim, esse crescimento [do aborto] dá-me satisfação, significa que o aborto clandestino está a desaparecer.»

Inês Pedrosa, jornalista e abortista militante

Parte-se, assim, do pressuposto de que o aborto praticado depois das 10 semanas de gravidez estipuladas pela lei, não existe. É assim que as elites se enganam a si próprias enganando o povo. É assim que se anestesiam as consciências, preparando o caminho para o aborto até aos 9 meses de gravidez e, depois, para a legalização do “direito” da mulher a matar a criança já nascida. É disto que estamos a falar.

Anúncios

5 comentários »

  1. Estas feministas têm muita culpa no cartório, e são responsáveis em grande parte pelo estado lastimável, e pela perda de valores a que estão vetadas as sociedades ocidentias.

    Abortos, houve sempre, e mesmo que fosse proibido ilegalmente ia continuar a existir, o que é lamentável é este tipo de declarações num pais que tem uma das taxas de nataliadade mais baixas da europa e uma das populações mais envelhecidas.

    Em vez de se promover politicas de natalidade como a politica do 3º filho, não promove-se o aborto e o casamento dos “abortos”.

    Foi a este nivel degradante que chegamos.

    Cumpts.

    Gostar

    Comentar por Pinheiro — Quarta-feira, 2 Fevereiro 2011 @ 9:31 pm | Responder

  2. A mim, esse crescimento [do aborto] dá-me satisfação, significa que o aborto clandestino está a desaparecer

    Parece-me que a dita senhora não se incomodaria com os furtos, desde que estes fossem realizados sob supervisão policial, garantindo assim a segurança dos ladrões.

    Gostar

    Comentar por shâmtia ayômide — Quarta-feira, 2 Fevereiro 2011 @ 11:40 pm | Responder

  3. Realmente o baixo nivel das elites é conseguido graças ao mais alto grau de especialização que apresentam, visto que estatisticamente de todas as qualidades indispensáveis para o desempenho das suas funções, apresentam um nível superior na má-fé 70% todas as outras nove qualidades são nulas ou inexistentes e depois na média já se vê…

    Gostar

    Comentar por Edu Cunha — Quarta-feira, 2 Fevereiro 2011 @ 11:49 pm | Responder

  4. Não importa se o aborto é legal ou ilegal. O que importa é o ato de matar o indefeso, aquele que não tem voz. Chega, em verdade, ser mais horripilante o aborto com chancela estatal. É o triunfo do ideal daquela que descaradamente apoiou o nazismo: Margaret Sanger. É, em minha opinião, o retorno do catarismo disfarçado. É o mal que se disfarça de algum bem. Apesar de que neste caso, nenhum bem há para servir de cortina de fumaça. Ah, me engano. Claro que o direito da mulher se tornar uma deusa e decidir sobre vida e morte. Este seria então o suposto bem. O aborto, é realmente prática nazista, pois o nazismo nunca escondeu suas intenções, sempre fez do ser humano um criminoso consciente de seus atos. Ao contrário do comunismo, este que explora as boas intenções para que o mal possa florescer.

    Como pode uma abordagem tão satânica ocupar lugar em mentes e corações de pessoas que se dizem amantes da vida e da liberdade? Como pode a cultura da morte se infiltrar na mente de desavisados que se deixam levar pela conversa mole dos promotores do infanticídio? De que maneira essa idéia assassina migra das mentes estragadas que as defendem para mentes que supostamente seriam dotadas de compaixão, entendimento, e humanidade no sentido Cristão? Muitas pessoas em posições-chave parece que têm medo de se opor ao mal. Essa gente tem medo de parecer anti-progressista. Que baixeza. Que nojo que provocam. São adoradores do Diabo. Talvez cada criança impedida de nascer seja como uma oferenda ao senhor do inferno.

    Gostar

    Comentar por Carlos Renato Fortes Vendramini — Quarta-feira, 2 Fevereiro 2011 @ 11:51 pm | Responder

  5. o aborto tem alguma coisa a ver com celulas estaminais?

    Medicina regenerativa portuguesa na vanguarda da investigação
    Rádio Renascença –
    A investigadora Joana Marques explica as vantagens da modificação genética face às células estaminais embrionárias, “uma vez que não levantam problemas éticos na sua utilização”. O mais recente desenvolvimento na medicina regenerativa é português. …
    na medicina regenerativa Investigadora da FMUP publica descoberta … Ciência Hoje
    Investigadora do Porto abre portas a alternativa às células estaminais Porto24
    Diário Digital – TVI24
    todos os 12 artigos de notícias »

    Gostar

    Comentar por ???????? — Segunda-feira, 11 Abril 2011 @ 9:26 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.