perspectivas

Sexta-feira, 7 Janeiro 2011

Richard Dawkins e a uniformização compulsiva do pensamento

Richard Dawkins já foi transformado pelos me®dia em um ideólogo político; a ideologia política é, assim, utilizada por Richard Dawkins para mascarar e disfarçar as insuficiências do neodarwinismo, ao mesmo tempo que serve os interesses do marxismo cultural que caracteriza a elite dos me®dia.

O neodarwinismo não é apenas o reconhecimento de que as espécies evoluem de acordo com o meio-ambiente terrestre; é a tentativa teorética de estender este princípio a todo o universo e à sua formação. E não só: é a tentativa de impôr esta mundividência como exclusiva e única autorizada.

E se alguém fizer esta simples e singela pergunta:

“Não é estranho que um universo alegadamente sem sentido possa criar, de uma forma acidental, seres humanos que se preocupam com o sentido do universo ?”

— quem fizer esta pergunta, e outras quejandas, passa automaticamente a ser chamado, pelo politicamente correcto neodarwinista, de “ignorante”.

A visão ideológica / política ateísta de Richard Dawkins não admite perguntas. O dogma neodarwinista terá que ser imposto de forma coerciva. Não admite dúvidas. Quem se questionar acerca do novo dogma, e nesta fase do processo político, passa a sofrer pressões políticas de todo o género. É de prever que numa fase subsequente aconteçam autênticas perseguições políticas contra os inimigos ideológicos, equiparáveis às que aconteceram na URSS e durante o nazismo.

O que me surpreende sobremaneira é que os me®dia ingleses classifiquem Richard Dawkins como um intelectual genial. Quando Richard Dawkins se recusa a debater publicamente com o bioquímico Michael Behe, aquele não considera este último como um cientista. Para Dawkins, o único modo de ser cientista é através da aceitação inquestionada do dogma neodarwinista — ou seja, quem não aceita o seu dogma não é cientista; antes é um ignorante.

Esta imposição obstinada de um pensamento único deve preocupar todo e qualquer espírito livre. O que está por detrás da ideologia política neodarwinista — porque se trata, de facto, de uma ideologia política — são as sementes de um novo totalitarismo; é a preparação de um estágio superior da afirmação unanimista do marxismo cultural no ocidente, e esse estágio superior exigirá o pensamento único compulsivo e imposto pela força bruta do Estado.

Na imagem: Nietzsche, Freud e Karl Marx. Hitchens, Richard Dawkins e Sam Harris.

1 Comentário »

  1. […] relação ao postal “Richard Dawkins e a uniformização compulsiva do pensamento”, um comentador escreveu : «A resposta à pergunta é “não”. Agora, por favor, apague esta […]

    Gostar

    Pingback por Comentários feitos recentemente neste blogue e que não foram publicados « perspectivas — Domingo, 23 Janeiro 2011 @ 6:06 am | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

AVISO: os comentários escritos segundo o AO serão corrigidos para português.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: